sexta-feira, 28 de outubro de 2016

GALO VERSUS URUBU NO MINEIRÃO - HAVERÁ RECORDE DE PÚBLICO?


Não foi só o coração que falhou; Eros Dátilo apanhou e muito dos seguranças da Arena

O torcedor do Cruzeiro Eros Dátilo Belizardo, de 37 anos, que morreu  depois de passar mal durante o jogo do time celeste, na noite dessa quarta-feira, no Mineirão, deu entrada no Hospital Metropolitano Odilon Behrens às 23h07, encaminhado por uma ambulância privada que atende no Mineirão. Segundo nota da Secretaria Municipal de Saúde (SMSA), a vítima chegou ao hospital já sem vida, com múltiplos traumas. A partida era entre o Cruzeiro e Grêmio pela Copa do Brasil 2016.

Segundo a nota, "O paciente E.D.B deu entrada no Hospital Metropolitano Odilon Behrens às 23h07, encaminhado via ambulância privada que atende no Mineirão. O paciente chegou ao hospital já sem vida – apresentando múltiplos traumas - e o óbito foi oficialmente declarado às 23h16."

De acordo com a Polícia Militar (PM), um dos seguranças que trabalhavam na hora do jogo disse que tentou impedir que dois torcedores mudassem de setor no estádio.

Durante a abordagem, segundo a ocorrência, o torcedor foi mobilizado pelo segurança e começou a passar mal. Ele foi levado para o atendimento médico do Mineirão. E depois, acabou transferido para o Hospital Odilon Behrens.

No boletim, testemunhas contaram que o torcedor havia sido agredido e levado para o interior de uma sala e saiu de lá desacordado, depois de cerca de 5 minutos lá dentro, com dois seguranças.
A torcida do Atlético promete comparecer em peso neste sábado, às 16h30. e já foram  vendidos, 32 100 ingressos pro jogo contra o Flamengo, válido pela 33ª rodada do Campeonato Brasileiro. Dois setores do Gigante da Pampulha estão esgotados: Roxo Superior e Vermelho Inferior.Vale lembrar que o número de bilhetes comercializados não contabilizam os sócios cativos da modalidade Galo na Veia Preto. Esse associados têm entrada garantida.
A partida é um confronto direto pelas primeiras colocações. Os cariocas ocupam hoje a vice-liderança, com 61 pontos. Terceiro colocado, com 59, o Galo assume a posição em caso de vitória e segue a perseguição ao líder Palmeiras, que soma 67.

ANAF QUER PUNIR NEPOMUCENO E MAIS DOIS CARTOLAS POR CAUSA DE RICHI

A Associação Nacional de Árbitros de Futebol (ANAF) protocolou no Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) uma notícia de infração disciplinar desportiva contra os presidentes de Atlético (Daniel Nepomuceno), Palmeiras (Paulo Nobre), Fluminense (Peter Siemsen) e Figueirense (Wilfredo Brillinger), o diretor de futebol do Coritiba (Alex Brasil), o técnico do Internacional (Celso Roth) e os jogadores Lucca, do Corinthians, e Diego Souza, do Sport. Todos fizeram críticas contra árbitros recentemente.

Nepomuceno, no entender da ANAF, "desrespeitou e criticou acintosamente" o árbitro do jogo do Atlético contra o Botafogo na seguinte postagem no Twitter: "Semana caótica da arbitragem brasileira! Não adianta mudar o comando pra vermos essa vergonha que vimos hoje."

"A ANAF entende que as condutas perpetradas foram contrárias à disciplina e à ética desportiva. Deixando claro que os árbitros são idôneos e não têm a intenção de favorecer ou até mesmo de prejudicar qualquer agremiação na disputa do Campeonato Brasileiro, houve acusação, ofensa, desrespeito e insinuação infundadas, que afrontam sobremaneira os artigos do CBJD", diz a entidade, em confuso texto publicado em sua página na internet.

A denúncia contra Peter Siemsen reclama que ele "desrespeitou, criticou e agride verbalmente" o árbitro Sandro Meira Ricci após o Fla-Flu. A declaração contestada pela ANAF é a seguinte: "É uma bagunça. Além de prejudicar o Fluminense no primeiro gol do Fla, no qual Réver está impedido e atrapalha a saída do nosso goleiro, houve essa lambança. Ficou clara que o juiz usou a interferência externa. Hoje isso é irregular. O juiz demorou 13 minutos, permitiu a entrada de pessoas estranhas ao campo. Conversou com o delegado do jogo. Ele postergou a decisão. Não tenho dúvida que ele recebeu informação externa e anulou o gol. Ele validou o gol inicialmente, aí ia correr para o meio do campo. Ele usou a interferência externa. Depois, não deu o tempo correto de acréscimo. Ele desestabilizou o Fluminense".

Contra Paulo Nobre, a denúncia se dá porque ele "criticou" o árbitro do Fla-Flu "dizendo que a decisão tomada foi pautada em um auxílio externo."

A ANAF quer que a procuradoria denuncie todos nos artigos 258 e 243 do Código Brasileiro de Justiça Desportiva. O primeiro prevê suspensão de uma a seis partidas para jogadores e de 15 a 180 dias para dirigentes que "desrespeitem os membros da equipe de arbitragem ou reclamem desrespeitosamente contra suas decisões". O segundo, suspensão de um a seis jogos para atletas e de 15 a 90 dias para dirigentes em caso de "ofender alguém em sua honra, por fato relacionado diretamente ao desporto".


quarta-feira, 26 de outubro de 2016

HERÓI NACIONAL: CARLOS ALBERTO TORRES RECEBEU DESPEDIDA COMO TAL NO RIO DE JANEIRO.

Quem achou absurdo em rotular Carlos Alberto Torres, o Capitão da Seleção Brasileira do tricampeonato mundial no México, não viveu a melhor época do nosso futebol com um monte de craques vestindo nossa Amarelinha mundo afora. Como atleta teve a dimensão de Garrincha, Didi, Vavá, Tostão e Zagalo. Saiu do Brasil, quando desistiu da Seleção e seguiu os passos do Rei. Foi para os Estados Unidos e virou ídolo do futebol de Nova Iorque, no famoso time do Cosmos, cheio de craques, inclusive Pelé e Beckenbauer.

Sob a bandeira nacional, foi velado, na noite desta terça-feira, o corpo de Carlos Alberto Torres e vítima de infarto fulminante, aos 72 anos, em sua casa, no Rio de Janeiro.Muito novo, eu posso encarar assim, pois tenho 73. Acompanhei a história de Carlos Alberto desde quando surgiu no Fluminense e depois no Santos de Pelé e na Seleção Brasileira. Quis o destino que eu viesse trabalhar na Imprensa falada de BH  e o pessoal do Peixe, no Hotel Brasil Paláce, o melhor da Capital na época  fosse o meu primeiro time grande de São Paulo que eu entrevistasse. Acabei me tornando conhecido do Rei, de Lima, de Torres, do Zito, Coutinho e Pepe. Chegava ao hotel e entrava logo pra pegar a turma. Além do mais, eu era repórter da Rádio Guarani, emissora da Rede Tupi, e a mais ouvida de Minas.

BOM DE BOLA BOM DE BRIGA

A morte de Carlos Alberto Torres trouxe à tona histórias marcantes sobre a vitoriosa carreira do ex-jogador. O ‘Capita’, como ficou conhecido por ter sido o responsável por levantar a Taça Jules Rimet após o título brasileiro na Copa do Mundo de 1970, foi tema de entrevistas realizadas com ex-jogadores que tiveram passagens importantes pelo futebol mineiro.

Conhecido pela tranquilidade e felicidade fora dos gramados, Carlos Alberto Torres também protagonizou entreveros históricos dentro deles. No duelo entre Seleção Brasileira e Atlético, em 1969, o eterno capitão se envolveu em confusão com Dadá, ídolo alvinegro.

"Ouvi uma gravação do João Saldanha (então técnico da Seleção Brasileira) me criticando. Respondi pela imprensa e mandei o Saldanha praquele lugar. Respondi à altura. O Saldanha, covardemente, mostrou minha resposta aos jogadores. E o Carlos Alberto comprou a briga. No jogo, o Carlos Alberto me deu uma entrada violenta. Nós discutimos e brigamos. E passamos o jogo discutindo. E ficamos brigados", conta Dadá, que explica como ocorreu a reconciliação.

"
Acabei indo para a Copa de 70, com o Zagallo. Na Seleção, durante a Copa, eu e o Carlos Alberto não conversávamos. Anos depois, ocorreu um evento para que os jogadores da Seleção conversassem com algumas pessoas e os escolhidos foram justamente eu e o Carlos Alberto. Lá nos abraçamos e voltamos a conversar. Ficamos muito amigos. (A morte) foi um abalo muito grande. Fomos inimigos mortais. Mas depois viramos amigos leais", diz Dario.

As confusões, no entanto, eram momentos raros para Carlos Alberto. Conhecido pelo jeito “leve” de viver, o ex-lateral direito colecionou amizades no futebol - tanto quando jogador, quanto quando treinador. Nas quatro linhas, revolucionou a maneira de jogar de um lateral.

"Joguei com ele no juvenil, começamos juntos. Foi um jogador espetacular. Foi o cara que começou essa leva de laterais que apoiam o time no ataque. Ele foi um dos que começou, pois tinha muita categoria. Eu achava que podia jogar no meio do campo, mas ele era muito alto, desengonçado", conta Evaldo, ídolo do Cruzeiro e ex-companheiro de Carlos Alberto no Fluminense.

Entretanto, antes do reconhecimento, chegou a ser duramente questionado nas categorias de base - por conta do comportamento.

"Carlos Alberto era um brincalhão, só tinha tamanho. Aos 17, 18 anos só vivia de brincadeira, sacanagem, não levava nada a sério. Por conta disso, Nilton Cardoso, treinador na época, falou que ele não jogava nada. Se Carlos Alberto não jogava nada, estamos perdidos", conta Evaldo.

Nos tempos de categorias de base, a principal crítica ao ‘Capita’ eram as dificuldades por ele enfrentadas na marcação.

"Quando ele subiu do juvenil, naquela época os técnicos falavam que tinha que marcar. Eu falava que ele tinha que ir pra frente", relembra Procópio, ex-jogador de Atlético e Cruzeiro e parceiro de Carlos Alberto no Fluminense.

Anos depois, foram justamente as habilidades defensivas do ex-lateral que ajudaram o time carioca a conquistar um prêmio curioso durante excursão pela Europa.

"Tive a felicidade de conviver e vê-lo subir para ser o maior lateral de todos os tempos. Os que ficam, ficam triste e saudosos. Mas é pelas coisas boas que vamos lembrar dele, das concentrações, das viagens. Na Rússia, durante o jogo entre Fluminense e Seleção Russa, ele marcou o melhor jogador russo e deu um show. Foi um jogo que terminou 0 a 0. Assim, o Fluminense ficou invicto na Europa. Por isso, ganhamos um prêmio para ver o Papa Paulo VI ser eleito", contra Procópio.

Trincheira - Quando um zagueirão imortal feito Procópio elogia Carlos Alberto Silva está avalizada a conduta de craque ele. Procópio foi um dos maiores zagueiros e atuou ao lado do Capita

O sepultamento do ‘Capita’ foi marcado pra esta quarta-feira, às 11h, no Cemitério do Irajá. O corpo, levado em caminhão do Corpo de Bombeiros, numa imensa carreata que deixou a sede da CBF rumo ao local do enterro. No cortejo, os fãs poderam se despedir do ex-lateral-direito, que comandou a Seleção Brasileira na histórica conquista em gramados mexicanos

Carlos Alberto Torres morre aos 72 anos

Carlos Alberto Torres, capitão da seleção brasileira na conquista da Copa do Mundo de 1970, morreu nesta aos 72 anos, vítima de um infarto, anunciou a emissora "Sportv", onde o ex-jogador trabalhava como comentarista.O ÍDOLO estava em casa, descansando e jogando palavra. De repente passou mal e caiu no sofá
O "Capita", como ficou conhecido, é autor de dois momentos históricos do futebol brasileiro, o quarto gol na vitória sobre a Itália por 4 a 1, e por levantar a Taça Jules Rimet, então conquistada em definitivo pelo país.

Como jogador, Torres defendeu Fluminense, Santos, Botafogo, Flamengo e New York Cosmos. Começou como lateral-direito e também foi zagueiro, tendo no currículo inúmeros grandes momentos, conquistando infinidade de troféus, estaduais e nacionais.

Jogador talentoso, versátil e de muito vigor físico, o Capita integrou seleção do século XX da América do Sul, ao lado em time que ainda contava com Fillol; Figueroa, Passarella e Nilton Santos; Rivellino, Didi e Di Stéfano, Garrincha, Maradona e Pelé.

Além disso, foi técnico de diversos clubes no Brasil, tendo sido campeão brasileiro logo no primeiro ano na função, em 1983, com o time da Gávea. Ajudou o Fluminense a vencer o Campeonato Carioca no ao seguinte, e o Botafogo a conquistar a Copa Conmebol, em 1993. Também comandou as seleções de Omã e do Azerbaijão.

Pai de dois filhos, um deles o ex-zagueiro Alexandre Torres, Carlos Alberto Torres chegou a ser eleito vereador no Rio de Janeiro, para legislatura vigente entre 1989 e 1993. Em 2008, chegou a se candidatar a vice-prefeito da cidade, pelo PDT, em chapa encabeçada por Paulo Ramos.

Por meio de redes sociais, clubes como Botafogo, Flamengo, Corinthians, Náutico, assim como o presidente do Fluminense, Peter Siemsen, e personalidades do mundo do esporte, como o ex-capitão da seleção brasileira de vôlei, Nalbert, já se manifestaram, lamentando a morte do ex-jogador.

Grande líder e capitão. Não só do Brasil, mas do futebol, por onde passou. Respeito, exemplo, capitão de uma Seleção que só tinha craques. É a vida, está descansando e vamos ficar aqui lembrando desse grande atleta e homem. Peguei ele no final da carreira, jogando contra, convivi com o filho. Nos encontrávamos sempre com diplomacia”, disse Roberto Dinamite.

ENCONTRO COM 3 ÍDOLOS

Num certo episódio de minha vida profissional, eu me encontrei no Hotel Oton Palace, com três feras das Seleções Brasileiras Campeãs do Mundo; Hideraldo Luiz Bellini, que levantou a Taça em 1958, na Suécia e imortalizou o gesto que os outros capitães do mundo inteiro vieram usar ao receber a Taça do Mundo.
Lá estava, também, o menino Carlos Alberto Torres, de uma geração de laterais direitos fantástica, e que levantou a Copa do Mundo, do tricampeonato, no Estádio Asteca, no México. O papo foi divertido e durou umas três horas, enquanto a gente mandava um frango com quiabo regado a Brahma gelada.
 Depois deu sono em Bellini e Mauro, dois fantásticos zagueiros centrais que combinaram uma jogada nota 10. Bellini seria titular em 58 pra formar zaga com Orlando - o sarrafo humano - seu companheiro de Vasco da Gama. Sucesso total! Porém em 62, no Chile Mauro teria de ser o titular e o capitão. Ambos tinham grande liderança no grupo; em campo, Bellini era mais raçudo, tipo beque da roça, mas com algum toque de classe e Mauro Ramos de Oliveira, mineiro de Poços de Caldas era técnica pura, nada de dar botinada; formou a zaga com Zózimo, do Bangu, outro paredão intransponível.
Perguntei ao Bellini sobre uma história que se contava sobre uma bronca dele em Orlando Peçanha. O quarto zagueiro do Vasco. não era sopa não. Batia muito e tinha excelente técnica. Bellini o alertara que na Copa do Mundo, os árbitros são duros, expulsam e marcam pênaltis sem pestanejar. Orlando apenas respondeu: "Deixa comigo, capitão".
No jogo contra a Inglaterra, que terminou em 0 a 0, o Brasil passava aperto. Meteram umas das famosas bolas aéreas pra área brasileira e Bellini não chegou nela pelo alto. Orlando estava logo atrás. Matou a bola no peito e quando um atacante inglês ferveu  nele,, antes de deixar a bola cair, aplicou um lençol na marca do pênalti sob o olhar aterrorizado de Bellini e do técnico Vicente Feola que do banco gritou: "Não deixa não Bellini, o Orlando vai entregar o jogo nestas presepadas.", Depois do primeiro drible, Orlando aplicou outro e meteu um bico na bola lá pra frente.
O Capitão Bellini puxou-lhe a manga do uniforme e esbravejou: "Se você fizer outra bobagem dessa, e lhe dou uma porrada, ainda que seja expulso". Com sorriso sarcástico, Orlando olhou bem nos olhos de Bellini e falou: "Capitão, você não será expulso, nem vai me dar porrada. Agora, se aparecer a chance, faço de novo. Só faz uma beleza daquela quem sabe jogar; olha como a torcida sueca não para de aplaudir"

OUTROS EPISÓDIOS que o trio me confirmou: o caso do Marco Antônio, lateral esquerdo do Fluminense, bom de bola, mas um tanto mascarado. Na Copa começou a rebolar demais, Pelé chamou a atenção dele e no jogo seguinte, após uma reunião entre Carlos Alberto, Gerson,  o capitão Zito e o técnico Zagalo, e mais Carlos Alberto Parreira e Claudio Coutinho, ambos interferência que deu certo do Exército na Seleção,  o lateral Marco Antônio foi sacado do time, indo pra reservar e não mais jogou. Entrou o falecido Everaldo, que na base da madeira gaúcha, ganhou a posição e fechou aquele setor.
Confirmaram, também,  Mauro, Bellini e Carlos Alberto Torres que no jogo contra a Bulgária, Fontana esperneou porque estava na reserva de Piazza que era volante. -" Eu vim numa copa e não vou entrar em campo nem uma vez sequer, é um absurdo professor " chiou com Zagalo. Pelé,  Gerson , Zito e CA Torres chamaram Zagalo num canto e o convenceram a mudar a equipe porque o adversário era fraco. Piazza voltou pra volante  e Fontana entrou. O jogo foi duro e terminou 3 a 2 para nós, mas no final, numa falha de Fontana, quase que eles empataram.



sexta-feira, 21 de outubro de 2016





NA VITÓRIA SOBRE O TIMÃO A HISTÓRIA SE REPETIU:


BICHO CABEÇUDO É TREINADOR: MANO DEIXA ARRASCAETA - HERÓI DO JOGO- NO BANCO E FATALIDADE ESCALOU O TIME CERTO

  Abila voltou às redes adversárias contra o Timão

Por decisão do técnico Mano Menezes, Arrascaeta sentou no banco de reservas do Cruzeiro em suas últimas cinco partidas entre os relacionados. Nesta quarta-feira, no Mineirão, o comandante teve de escolher entre o gringo e Alisson para substituir o lesionado Rafinha no quarto minuto do jogo contra o Corinthians. Talvez a opção por Arrascaeta tenha sido uma das mais felizes de Mano à frente do clube. Inspirado, o uruguaio deu assistência para o primeiro gol de Ramón Ábila, sofreu a penalidade máxima convertida pelo centroavante argentino e anotou o quarto gol cruzeirense no triunfo por 4 a 2 que garantiu a classificação às semifinais da Copa do Brasil.







Com a atuação de gala, Arrascaeta chegou ao 11º gol e à 15ª assistência em 44 partidas pelo Cruzeiro na temporada 2016. “Falava com o Gino, meu melhor amigo, que estava confiante e muito bem. Sabia que ia entrar bem. Essa confiança é muito importante para mim”, comemorou o jogador.

Nesta quarta, o camisa 10 infernizou a defesa corintiana com muitos dribles e jogadas de velocidade. Uma das “vítimas” foi o zagueiro Pedro Henrique, que, ao ser ultrapassado pelo gringo, cometeu pênalti aos 11min do segundo tempo. Na etapa inicial, Arrascaeta já havia mostrado esperteza ao roubar bola do volante Camacho. Contudo, acabou se equivocando no toque para Ábila.

O grande lance do meia-atacante ocorreu aos 37min da etapa final. Numa jogada ensaiada, Robinho cobrou falta por cima da barreira e encontrou Arrascaeta livre de marcação. O chute cruzado ganhou o canto direito de Walter e encaminhou a classificação cruzeirense.

Por que, então, Arrascaeta foi reserva? Questionado, Mano Menezes se justificou.
Para o torcedor entender, nós vinhamos jogando com Arrascaeta, o time não vinha jogando mal e até fez bons resultados. Mas depois, em 12 pontos, fizemos um. E precisava fazer algo para reconquistar a competitividade. A coisa não estava boa. E mesmo gostando de uma vitória por 4 a 2, a gente não pode ver o jogo apenas com nossas referências. O treinador tem que encontrar soluções: trouxe Robinho para o meio-campo, coloquei dois homens de lado. O Ábila é homem de área, que joga entre os zagueiros. Na entrada do Arrascaeta, ele entrou pela esquerda, competindo, mas sofrendo para marcar. Sei que se pedir, ele vai fazer isso, mas vou perder o que tenho de melhor dele, que é ir para o ataque. No segundo tempo eu coloquei ele no meio de campo, depois mudei o time, com mais um homem de meio de campo. Aí ele ficou livre. Mas é assim, eu estou aqui para isso, sou pago para isso e preciso encontrar soluções para o Cruzeiro vencer ”, explicou.

Como Rafinha sofreu incômodo muscular na parte posterior da coxa esquerda, é possível que Arrascaeta ganhe outra oportunidade de jogo diante do Vitória, domingo, às 17h, no Barradão, pela 32ª rodada do Campeonato Brasileiro. Semifinalista da Copa do Brasil – enfrentará o Grêmio na próxima fase –, o Cruzeiro ainda corre risco de cair para a Série B e por isso precisa vencer o Leão, adversário direto na luta contra o Z4. O time celeste ocupa o 13º lugar, com 38 pontos, três a mais que os baianos, em 17º.
TRINCHEIRA - Já o Cruzeiro embalado após a goleada sobre o Coringão viaja a Salvador e pega o Vitória no Barradão. Osso duro de roer, porque é confronto direto, o jogo vale seis pontos e os dois precisam deles.

ESTA FOI A SEMANA DE SÃO VICTOR

Nesta semana, a Massa teve um excelente reencontro com os milagres de São Victor, o sinônimo de sucesso em disputas de pênaltis. O goleiro alvinegro participou das últimas três vezes em que o clube esteve envolvido nesta situação. Em todas, saiu vitorioso e como herói. Nas duas primeiras, ajudou o Galo a conquistar o título da Copa Libertadores em 2013. Nessa quarta-feira, foi o responsável direto por levar o time à semifinal da Copa do Brasil, ao defender duas cobranças de jogadores do Juventude.
A primeira vez aconteceu na semifinal da Copa Libertadores.

Depois de perder pro Newell’s Old Boys na Argentina, por 2 a 0, o Galo devolveu o placar no Independência. Nas primeiras duas cobranças de cada equipe, dois gols. Depois, Jô e Richarlyson erraram pelo Galo. Casco e Cruzado, dos argentinos, perderam. Na quinta cobrança, Ronaldinho marcou para o Atlético. Já Maxi Rodríguez cobrou no canto esquerdo e Victor voou pra buscar e levar o Galo à decisão.

 SUCESSO NA DECISÃO

Logo depois, veio a decisão, contra o Olímpia. Fora de casa, mais uma derrota por 2 a 0. No Mineirão, Leonardo Silva marcou nos minutos finais e igualou a disputa, levando o jogo pra prorrogação e, depois, pênaltis.

A abertura das cobranças foi com Miranda. O jogador do Olímpia chutou no meio do gol e Victor voltou a ser herói. A defesa deixou os atleticanos mais tranquilos. Alecsandro, Guilherme, Jô e Leonardo Silva balançaram as redes. Na última cobrança, o time paraguaio precisava do gol para seguir vivo. No entanto, Gimenez acertou a trave direita e o Galo conquistou a taça.

Quarta-feira, o Galo voltou, após três anos, a decidir uma classificação nos pênaltis. Depois de Atlético e Juventude marcarem os dois primeiros gols, Wallace foi pra cobrança, bateu no canto direito, e Victor defendeu. Após o terceiro gol do Galo, Roberson foi para a marca da cal, cobrou no lado esquerdo, e o camisa 1 alvinegro voltou a defender. Depois, Cazares deslocou o goleiro rival e levou o time mineiro à semifinal.

Mesmo antes das históricas disputas por pênaltis, Victor já havia sido herói na marca da cal. Nas quartas de final da Copa Libertadores, o mexicano Tijuana teve um pênalti aos 48 minutos da etapa final. Se marcasse, o Galo cairia nas quartas de final. Riascos partiu para a bola, cobrou no meio, e o goleiro atleticano salvou com a perna esquerda para levar o Atlético à semi.

Preparador de goleiros do Atlético, Francisco Cersósimo ressaltou o trabalho do goleiro atleticano na Cidade do Galo em busca de melhora na técnica para estar sempre preparado em uma disputa de pênaltis.

O dia a dia de treino deles é muito forte nesse sentido. Vocês acompanham o Victor nos treinos, ele está sempre defendendo pênaltis, brincando com o Robinho, disputam muito, é uma rivalidade saudável. O clube ganha com isso. Sei que penalidade vai muito do emocional do batedor, você tem de estar com a cabeça forte e frio para sair vencedor”.

TRINCHEIRA - Neste domingo, o Galo terceiro colocado no G-4 do Brasileirão, com 56 pontos, - atrás do Palmeiras (primeiro) com 64 e Flamengo (segundo), com 57, tem chances de subir pois pega o Figueirense, que briga pra não cair, em Belo Horizonte. O Palmeiras recebe o Sport, em São |Paulo; e o Flamengo tem o Corinthians, no Rio de Janeiro.




quinta-feira, 20 de outubro de 2016


CHAMAMENTO DE DEUS

Não me faço de exemplo; apenas quero registrar nessas neste espaço que os desígnios de Deus, às vezes, existem para nos colocar à prova. O destino estabelece que nossa hora chegou e lhe põe no coração a expectativa falsa de que Deus decidiu tê-lo ao Seu lado. Porém, senti posteriormente aos fatos, por três vezes, nas quais esse chamamento passou por meu espírito, que Deus apenas testou minha crença  Ou melhor, quis testar minha fé em mim mesmo e nas pessoas.

Na primeira vez, durante um churrasco na casa de meus cunhados, em Caratinga, revelei a um deles, doutor Romeu, cardiologista, o incomodo que me perseguia há dias. Qualquer coisa parecida com mal-estar estomacal. Examinando superficialmente, ele detectou extra-sístole e recomendou que na minha volta procurasse urgente o meu médico. Feito o exame, foi constatado entupimento de 85% numa artéria importante. Estava em processo de angina. Salvei-me a tempo com a implantação de um stend.

Da segunda vez, mesmo incomodo. De novo, imaginei problemas com a velha esofagite, Procurei o meu médico. Sugeriu que eu voltasse ao cardiologista. Novos entupimentos mais sérios e a recomendação de cirurgia. Reativei a fé em mim e na crença em Deus. Fui sem medo à mesa de cirurgia, apesar de a seriedade do problema. Estava a um passo de fatal infarto.

A terceira foi neste período. Saí do bloco cirúrgico, passei os dias previstos na UTI e preparava-me para retornar ao apartamento. Tive uma terrível dor na mão esquerda, bem inchada. Reclamei aos médicos de plantão, às enfermeiras. Ninguém me atendia.

Acreditei em mim e no meu canal aberto com Ele. Roguei-lhe que fizesse o meu cardiologista, doutor Carlos Eduardo Ornelas, aparecer. Normalmente, ele não aparece naquele horário.  Mal acabei de orar, o doutor Ornelas, de súbito, surge à minha frente. Só ele poderia salvar-me naquela hora, pensei. E foi assim que ele constatou a infecção que já me tomava o corpo. Eu me salvei pela terceira vez.

Nos desígnios de Deus a minha hora, ainda, não chegara. Tenho coisas a fazer por aqui. Outros, menos crentes em si próprios e em terceiros, podem ser pegos pelo chamamento Divino, por ignorarem  ao  aconselhamento Dele: “ Faça a tua parte que eu te ajudarei...”

CUIDADO COM O CARRO NO SOL!

Impressiona-me a vontade de servir de certas pessoas como era o meu amigo João Alberto Bueno de Abreu, que eu tratava por João da Viola. Uma das pessoas mais simpáticas, inteligentes. Sua arte no violão, no cavaquinho, no desenho e como protético nasceu com ele. João morava em Caratinga e era companheiro de belas serenatas ao som de seu violão e de sua criatividade. Nos últimos meses, João deixou seus amigos assustados porque uma doença maldita cismou de levá-lo constantemente aos hospitais. Corajoso, enfrentou o mal com dignidade e denodo e não deixou de enviar mensagens  de alerta e autoajuda aos seus amigos. Pediu-me que espalhasse esta mensagem

-" Por essas e outras é que, às vezes, pessoas são acometidas de enfermidades graves e não sabem a causa. E a gente nem se dá conta..Olha o risco.
Preste atenção!!!! Isto é importante!
Um carro estacionado na sombra durante um dia com as janelas fechadas pode conter de 400-800 mg. de Benzeno. Se está no sol a uma temperatura superior a 16º C., o nível de Benzeno subirá a 2000-4000 mg, 40 vezes mais o nível aceitável...
           
A pessoa que entra no carro mantendo as janelas fechadas inevitavelmente aspirará em rápida sucessão, excessivas quantidades desta toxina.

O Benzeno é uma toxina que afeta o rim e o fígado. E o que é pior, é extremamente difícil para o organismo expulsar esta substância tóxica.
                
O manual do condutor indica que antes de ligar o ar condicionado, deve-se primeiramente abrir as janelas e deixá-las assim por um tempo de dois minutos, porém não especificam "o porquê", só deixam entender que é para seu "melhor funcionamento".
              
Aqui vem a razão médica:

 De acordo com um estudo realizado, o ar refrescante antes de sair frio, manda todo o ar do plástico quente o qual libera Benzeno, que causa câncer (leva-se um tempo para dar-se conta do odor do plástico quente no carro). Por isto é a importância de manter os vidros abertos uns minutos.

"Por favor não ligar o ar condicionado ou simplesmente o ar, imediatamente ao se entrar no carro. Primeiro deve-se abrir as janelas e depois de um momento, ligar o ar e manter as janelas abertas até uns minutos.

 Além de causar câncer, o Benzeno envenena os ossos,  causa anemia e reduz as células brancas do sangue. Uma exposição prolongada pode causar Leucemia, e incrementar o risco de outros tipos de câncer. Também pode causar um aborto. O nível apropriado de Benzeno em lugares fechados é de 50 mg/929 cm2.

Assim amigos, por favor, antes de entrar no carro, abram as janelas e a porta para
que o ar interior saia e disperse esta toxina mortal.
Não esqueçam de repassar, é muito importante".
João da Viola morreu de câncer



sexta-feira, 14 de outubro de 2016

GALO GOLEIA COELHO E CHEGA MAIS PERTO DA LIDERANÇA

O Atlético cumpriu sua missão e está vivo na briga pelo título do Campeonato Brasileiro. Nesta quinta-feira, no Mineirão, o time venceu o América por 3 a 0, e contou com o empate do líder Palmeiras frente ao Cruzeiro (0 a 0) para reduzir para cinco pontos a distância até a ponta da tabela. Na terceira colocação, o Galo soma agora 56 pontos, contra 61 do Palmeiras e 60 do Flamengo.

Na próxima rodada, no domingo, o Atlético enfrenta o Botafogo no Rio de Janeiro. Já o Palmeiras pega o Figueirense em Santa Catarina. O Flamengo, vice
-líder, encara o Internacional, em Porto Alegre. Restam agora oito rodadas para o término da competição.
 o América está cada vez mais próximo de selar o rebaixamento. Na lanterna, com apenas 21 pontos, o Coelho tem no domingo o compromisso contra o Corinthians, em São Paulo.

FUTEBOL  ITALIANO QUER LEVAR DE ARRASCAETA

Em boa fase no Cruzeiro, embora tenha sido reserva nos últimos dois jogos, o meia-atacante De Arrascaeta já desperta interesse de clubes italianos. De acordo com o “Calcio Mercato”, Roma e Fiorentina já definiram o uruguaio como uma de suas prioridades para a próxima janela de transferências, no fim da temporada brasileira. O site diz que o clube de Florençe tentou a contratação do jogador no último período de negociações, no fim de agosto.

Arrascaeta viveu ótimo momento na última sequência positiva do Cruzeiro na temporada, na chegada de Mano Menezes. Quando o clube celeste ficou um mês sem perder, o uruguaio foi, ao lado de Ramón Ábila, responsável por mais de 60% dos gols da equipe. A fase rendeu ao meia-atacante o retorno à Seleção Uruguaia. Ele foi convocado por Óscar Tabárez para os jogos contra Venezuela e Colômbia, pelas Eliminatórias da Copa do Mundo da Rússia, em 2018.

Recentemente, o mesmo veículo listou cinco grandes talentos das Eliminatórias sul-americanas. Arrascaeta foi um dos escolhidos e ganhou muitos elogios, tendo sido comparado ao brasileiro Philippe Coutinho, hoje na Seleção do técnico Tite, que defendeu a Inter de Milão entre 2010 e 2013. O site afirma que o desembarque do meia-atacante cruzeirense na Europa é só questão de mais algum tempo até que seja concretizado.

Contratado a peso de ouro no início de 2015, Arrascaeta estreou pelo Cruzeiro na vitória por 3 a 1 sobre o Guarani, no Campeonato Mineiro daquele ano. O jogador já disputou 86 jogos com a camisa celeste e marcou 19 gols. Em 2016, foram 43 partidas, 10 tentos anotados e 15 assistências. Ele se lesionou em três ocasiões na temporada e ficou fora do time por esse motivo por 19 dias. Arrascaeta tem contrato com o Cruzeiro até 2020.
                               Já, já, Alisson e Arrascaeta estarão longe da Toca

TRINCHEIRA - Não se assustem caso Arrascaeta de mande no final do ano, aproveitando a janela internacional, pro Milan ou Internazionale e por um preço de feijão azedo. Ele não é do Cruzeiro. Quem o comprou foi Pedrinho do Supermercado BH.

Marcelo Oliveira deixou o “caso Cazares” para a diretoria do Atlético. No entanto, adiantou que conta com o meia equatoriano para os jogos decisivos pelo Campeonato Brasileiro e pela Copa do Brasil. Para isso, fez uma cobrança: o jogador precisa estar focado no clube.

Cazares foi cortado do jogo contra o América por não se reapresentar ao Galo no horário marcado pela comissão técnica, após defender o Equador nas Eliminatórias. Incomunicável, o atleta só entrou em contato com a diretoria alvinegra no final da tarde de quinta-feira. Alegou problemas na documentação no embarque para o Brasil.

   Cazares joga bola, mas não tem um pingo de juizo.

Marcelo Oliveira citou Lucas Pratto como exemplo. O atacante defendeu a Seleção Argentina nas Eliminatórias, retornou ao Atlético dentro da programação, entrou no segundo tempo contra o América e marcou um dos gols na vitória por 3 a 0.
“O Cazares é uma situação de diretoria. Havia um planejamento, uma programação, para o retorno dos jogadores. Cabe ao técnico tomar suas medidas, não só pela produção, mas pelo interesse dos jogadores. O Pratto chegou tarde, mas se colocou à disposição, entrou com todo gás e foi premiado com um belo gol. Não podemos perder o Cazares, pela técnica, mas ele tem que estar alinhado na mesmo caminho de todos os jogadores”, cobrou o técnico.
Questionado se Cazares seria titular contra o América, Marcelo Oliveira disse que iria avaliar as condições físicas do armador, que encou longa viagem do Equador ao Brasil. O treinador voltou a destacar que o equatoriano tem totais condições de ser peça importante no time.

Sem Cazares, Marcelo escalou Otero, outro que estava disputando as Eliminatórias. O venezuelano teve boa atuação no triunfo alvinegro.
“Eu queria observar a chegada do Cazares, porque ele chegaria depois de meia-noite, por causa de uma viagem longa. Não resta dúvidas que o Cazares pode jogar no time do Atlético. Era possível aproveitar o Otero, por causa do desgaste. Trabalhei o time no treino, bola parada, jogadas em diagonais. Talvez fosse o Otero de qualquer forma.”

MORREU OUTRO EX-ÍDOLO DO GALO: Hector Cincunegui, o uruguaio que marcou época na lateral do Atlético morreu.

Aos 76 anos, o uruguaio Héctor Carlos Cincunegui de Los Santos, ex-lateral-esquerdo do Atlético no fim dos anos 1960 e início da década de 1970, morreu na noite dessa quinta-feira, em Montevidéu, no Uruguai. Ele estava internado no Hospital Gremca e faleceu depois de um acidente vascular cerebral, além de outras complicações.

O Galo publicou uma nota de pesar pelo falecimento do ex-atleta.

“O Atlético lamenta o falecimento de Hector Cincunegui. Campeão Brasileiro em 1971, o lateral esquerdo uruguaio vestiu a camisa do #Galo entre 1968 e 1973. Cincunegui faleceu na noite desta quinta-feira, em Montevidéu, no Uruguai. Nossos sentimentos aos familiares e fãs do atleta que tanto honrou a camisa do Clube Atlético Mineiro”.

O Gringo, como também era conhecido, vivia com debilidade desde 2006, quando sofreu o primeiro AVC, que deixou sequelas graves, como a dificuldade de se expressar e a perda da memória. O derrame o acometeu após um jogo do Danubio pelo Campeonato Uruguaio. Depois de assistir a peleja, ele voltou para casa e começou a sentir uma forte dor de cabeça. Receoso de ficar internado em um hospital, proibiu a mulher de acionar o sistema de atendimento de urgência de Montevidéu. A esposa chamou o filho Fernando, que logo pediu uma ambulância.

Cincunegui sempre deixou saudade na torcida do Galo.


Fernando, em entrevista ao Superesportes em 2015, explicou com detalhes o episódio: “Ele voltou do estádio, e ficou deitado na cama em casa. Quando minha mãe chamou para comer, ele não queria levantar. Quando cheguei em casa, ele me disse que não tinha nada, disse que estava com dor de cabeça. Minha mãe trouxe um café, mas ele não conseguia sair da cama, estava paralisado. Rapidamente, chamei um médico. Depois de um tempo no hospital , o médico disse que era um derrame. O cerebelo ficou espremido pelo sangue e tinha que passar por uma operação”, contou.

A cirurgia foi um sucesso, e Cincunegui se recuperou bem, tomando uma medicação prescrita pelos médicos. Depois de um tempo, contudo, as sequelas se potencializaram. "Acredito que por causa da medicação ele começou a sentir os resultados da doença. Ficou duro, com muita dificuldade de locomoção, faz muita força para poder caminhar, pegar uma coisa qualquer. Outro problema é que ficou muito quieto, sem se comunicar bem. Até hoje ele tem muita dificuldade de reconhecer as pessoas", afirmou o filho do ex-jogador, em depoimento no ano passado.


terça-feira, 11 de outubro de 2016

MARATONA BRASILEIRA PRA PEGAR VENEZUELA HOJE SEM NEYMAR


 Sem contar com Neymar, suspenso pelo terceiro cartão amarelo, o comandante Tite esboçou a equipe titular com algumas mudanças. Willian ocupa a vaga do camisa 10 e Paulinho retorna ao meio de campo, no lugar de Giuliano. A formação que deve ir a campo conta com Alisson, Daniel Alves, Marquinhos, Miranda e Filipe Luis; Fernandinho, Paulinho, Renato Augusto, Willian e Philippe Coutinho; Gabriel Jesus. Com 18 pontos, o Brasil é o vice-líder da competição, atrás apenas do Uruguai, que soma 19.
Com uma grande sequência de vitórias na bagagem desde a chegada de Tite, a Seleção Brasileira  desembarcou em Mérida, cidade do próximo desafio nas Eliminatórias para a Copa do Mundo de 2018, nesta terça-feira, contra a Venezuela, às 21h30 (de Brasília).

A maratona foi puxada: depois de mais de seis horas no avião fretado pela CBF, que teve de pousar para abastecer em solo brasileiro por conta dos problemas políticos que envolvem os dois países – a parada foi em Boa Vista, capital de Roraima –, o elenco ainda encarou mais uma hora e meia de ônibus para chegar ao Hotel Convención nos primeiros minutos desta segunda-feira.

A ordem do técnico foi jantar e ir direto para o quarto descansar, já que o único treino antes da partida acontece nesta segunda, às 18h (de Brasília), no Estádio Metropolitano, palco do confronto válido pela 10ª rodada das Eliminatórias. A delegação retorna para São Paulo ainda na madrugada de quarta-feira, após o jogo.

TRINCHEIRA - É bom lembrar que a Venezuela chegou a fazer 2 a 0 na Argentina, antes de tomar dois gols e garantir o empate em 2 a 2.
CÉUS: CRUZEIRO PEGA VERDÃO DE SP EM ARARAQUARA 

Lucas Romero, Robinho e Ramón Ábila sentaram no banco de reservas para acompanhar a atividade recreativa orientada pelo técnico Mano Menezes na tarde desta segunda-feira, dois dias depois da vitória sobre a Ponte Preta, por 2 a 0, no Mineirão. O exercício foi o pontapé inicial da equipe pro confronto contra o Palmeiras, nesta quinta, às 19h30, em Araraquara, no interior de São Paulo.

A principal novidade foi o retorno do volante Denílson. Ele acabou cortado da lista de relacionados para o jogo do último fim de semana instantes antes da partida por causa de uma virose. Nesta segunda-feira, ele treinou normalmente e estará à disposição de Mano para o compromisso contra o atual líder do campeonato. Recuperado de lesão no adutor da coxa, Alex fez trabalho interno na Toca da Raposa II.

Os titulares, como de praxe, participaram de atividades na academia do CT cruzeirense. Rafael Sobis foi o único que realizou trabalho no campo. Acompanhado pelo preparador Eduardo Silva, ele deu voltas no campo e fez leve atividade física, também ao lado do profissional do clube. O camisa 7 voltou a mostrar bom futebol na vitória sobre a Ponte e foi responsável pela assistência para o gol de Ramón Ábila, o primeiro do triunfo por 2 a 0.

Como acontece toda segunda-feira, o quadro de acompanhamento das lesões foi apresentado aos jornalistas na sala de imprensa da Toca. Dedé (refratura na patela direita), Judivan (lesão grave no joelho esquerdo), Mayke (reação por estresse na tíbia direita), Fábio (lesão no ligamento cruzado anterior do joelho direito) e Marcos Vinícius (lesão no músculo reto femoral da coxa esquerda) seguem no departamento médico do Cruzeiro.
HOJE, O TIME viaja para Araraquara, no interior de São Paulo, em voo fretado. Uma vitória sobre o Palmeiras pode colocar o clube celeste no décimo lugar do Campeonato Brasileiro. Porém, o resultado negativo pode deixar a Raposa novamente na zona de rebaixamento, caso os concorrentes diretos vençam seus compromissos.


sábado, 8 de outubro de 2016

CRUZEIRO BUSCA SAIR HOJE DO BURACO PRA ONDE FOI EMPURRADO PELO
INTER AO VENCER O CORITIBA.

O Cruzeiro foi “empurrado” pelo Internacional pra zona de rebaixamento do  Brasileiro, ao vencer o Coritiba por 1 a 0, gol do atacante Vitinho, na cobrança de pênalti, e subiu provisoriamente ao 16º lugar, com 33 pontos. A vantagem do Colorado sobre a Raposa é no saldo de gols: -5 a -6.

No entanto, tudo melhora caso o Cruzeiro vença a Ponte Preta neste sábado, às 21h, no Mineirão, no complemento da 29ª rodada. O time azul depende de simples vitória diante de sua torcida pra sair do Z4 e subir cinco posições na tabela.

Como alguns dos concorrentes, na fuga da degola já jogaram na rodada- o Vitória perdeu para o Grêmio por 1 a 0, na Fonte Nova, e o Sport empatou com o São Paulo por 1 a 1, na Ilha do Retiro,o eventual triunfo sobre a Macaca deixaria o Cruzeiro na 12ª colocação, com 36 pontos. Além de ultrapassar Internacional, Sport e Vitória, o time de Mano Menezes bateria São Paulo e Coritiba, que somam 36 pontos, no número de triunfos: 10 a 9.

No turno do Brasileiro, o Cruzeiro goleou a Ponte Preta por 4 a 0, no Moisés Lucarelli, em 22 de junho. Os gols na partida válida pela 10ª rodada foram marcados por Henrique, Arrascaeta (duas vezes) e Alisson.

Para o reencontro, Mano Menezes já confirmou a equipe com Rafael; Ezequiel, Leo, Bruno Rodrigo e Edimar; Henrique, Lucas Romero, Robinho e Rafinha; Rafael Sobis e Ramón Ábila.
Os desfalques recentes são Arrascaeta (convocado para jogar as Eliminatórias da Copa do Mundo de 2018 pela Seleção Uruguaia), Ariel Cabral (suspenso pelo terceiro cartão amarelo) e Manoel (punido com quatro jogos de gancho pelo STJD).
TRINCHEIRA: Esta escalação de Mano Meneses me deixa preocupado, porque a Ponte tem feito uma campanha excelente pra sua história. 

PROJEÇÕES PARA O CRUZEIRO NA 29ª RODADA:
- Em caso de vitória sobre a Ponte Preta, ganhará cinco posições e subirá para o 12º lugar;

- Em caso de empate, ganhará a posição do Internacional (16º lugar) e sairá da zona de rebaixamento mesmo se o Figueirense vencer o Botafogo domingo, no Orlando Scarpelli. Isso porque os catarinenses chegariam a oito triunfos, um a menos que o time mineiro;

- Em caso de empate por 5 a 5 ou mais gols, o que é bastante improvável, ultrapassará Internacional e Sport, chegando ao 15º lugar;

- Se perder, poderá encerrar a 29ª rodada na 18ª colocação.

NEYMAR FORA CONTRA VENEZUELA

Neymar brilhou intensamente na goleada por 5 a o sobre a Bolívia, alcançada na noite desta quinta-feira, em Natal. Durante o primeiro tempo, após se desentender com Azogue, o atacante do Barcelona recebeu o cartão amarelo do árbitro colombiano Wilson Lamouroux.




Punido, Neymar (foto)será obrigado a cumprir suspensão automática na partida contra a Venezuela, marcada para as 21h30 (de Brasília) de terça-feira, em Mérida. Por outro lado, o atacante tem presença garantida no duelo com a Argentina, previsto para o dia 10 de novembro, em Belo Horizonte, pela 10ª rodada.

Diante da Venezuela, o técnico Tite poderá contar com o retorno do volante Paulinho, que cumpriu suspensão automática contra a Bolívia. Daniel Alves, Miranda, Filipe Luís, Giuliano e Lucas Lima estão pendurados e correm risco de desfalcar a Seleção no clássico contra a Argentina.

Com 18 pontos ganhos, apenas um a menos que o Uruguai, o Brasil figura no segundo lugar das Eliminatórias Sul-Americanas ao Mundial 2018. Já a Venezuela, próximo rival da Seleção, tem míseros dois pontos e ocupa o último posto da tabela de classificação do torneio.