sexta-feira, 14 de outubro de 2016

GALO GOLEIA COELHO E CHEGA MAIS PERTO DA LIDERANÇA

O Atlético cumpriu sua missão e está vivo na briga pelo título do Campeonato Brasileiro. Nesta quinta-feira, no Mineirão, o time venceu o América por 3 a 0, e contou com o empate do líder Palmeiras frente ao Cruzeiro (0 a 0) para reduzir para cinco pontos a distância até a ponta da tabela. Na terceira colocação, o Galo soma agora 56 pontos, contra 61 do Palmeiras e 60 do Flamengo.

Na próxima rodada, no domingo, o Atlético enfrenta o Botafogo no Rio de Janeiro. Já o Palmeiras pega o Figueirense em Santa Catarina. O Flamengo, vice
-líder, encara o Internacional, em Porto Alegre. Restam agora oito rodadas para o término da competição.
 o América está cada vez mais próximo de selar o rebaixamento. Na lanterna, com apenas 21 pontos, o Coelho tem no domingo o compromisso contra o Corinthians, em São Paulo.

FUTEBOL  ITALIANO QUER LEVAR DE ARRASCAETA

Em boa fase no Cruzeiro, embora tenha sido reserva nos últimos dois jogos, o meia-atacante De Arrascaeta já desperta interesse de clubes italianos. De acordo com o “Calcio Mercato”, Roma e Fiorentina já definiram o uruguaio como uma de suas prioridades para a próxima janela de transferências, no fim da temporada brasileira. O site diz que o clube de Florençe tentou a contratação do jogador no último período de negociações, no fim de agosto.

Arrascaeta viveu ótimo momento na última sequência positiva do Cruzeiro na temporada, na chegada de Mano Menezes. Quando o clube celeste ficou um mês sem perder, o uruguaio foi, ao lado de Ramón Ábila, responsável por mais de 60% dos gols da equipe. A fase rendeu ao meia-atacante o retorno à Seleção Uruguaia. Ele foi convocado por Óscar Tabárez para os jogos contra Venezuela e Colômbia, pelas Eliminatórias da Copa do Mundo da Rússia, em 2018.

Recentemente, o mesmo veículo listou cinco grandes talentos das Eliminatórias sul-americanas. Arrascaeta foi um dos escolhidos e ganhou muitos elogios, tendo sido comparado ao brasileiro Philippe Coutinho, hoje na Seleção do técnico Tite, que defendeu a Inter de Milão entre 2010 e 2013. O site afirma que o desembarque do meia-atacante cruzeirense na Europa é só questão de mais algum tempo até que seja concretizado.

Contratado a peso de ouro no início de 2015, Arrascaeta estreou pelo Cruzeiro na vitória por 3 a 1 sobre o Guarani, no Campeonato Mineiro daquele ano. O jogador já disputou 86 jogos com a camisa celeste e marcou 19 gols. Em 2016, foram 43 partidas, 10 tentos anotados e 15 assistências. Ele se lesionou em três ocasiões na temporada e ficou fora do time por esse motivo por 19 dias. Arrascaeta tem contrato com o Cruzeiro até 2020.
                               Já, já, Alisson e Arrascaeta estarão longe da Toca

TRINCHEIRA - Não se assustem caso Arrascaeta de mande no final do ano, aproveitando a janela internacional, pro Milan ou Internazionale e por um preço de feijão azedo. Ele não é do Cruzeiro. Quem o comprou foi Pedrinho do Supermercado BH.

Marcelo Oliveira deixou o “caso Cazares” para a diretoria do Atlético. No entanto, adiantou que conta com o meia equatoriano para os jogos decisivos pelo Campeonato Brasileiro e pela Copa do Brasil. Para isso, fez uma cobrança: o jogador precisa estar focado no clube.

Cazares foi cortado do jogo contra o América por não se reapresentar ao Galo no horário marcado pela comissão técnica, após defender o Equador nas Eliminatórias. Incomunicável, o atleta só entrou em contato com a diretoria alvinegra no final da tarde de quinta-feira. Alegou problemas na documentação no embarque para o Brasil.

   Cazares joga bola, mas não tem um pingo de juizo.

Marcelo Oliveira citou Lucas Pratto como exemplo. O atacante defendeu a Seleção Argentina nas Eliminatórias, retornou ao Atlético dentro da programação, entrou no segundo tempo contra o América e marcou um dos gols na vitória por 3 a 0.
“O Cazares é uma situação de diretoria. Havia um planejamento, uma programação, para o retorno dos jogadores. Cabe ao técnico tomar suas medidas, não só pela produção, mas pelo interesse dos jogadores. O Pratto chegou tarde, mas se colocou à disposição, entrou com todo gás e foi premiado com um belo gol. Não podemos perder o Cazares, pela técnica, mas ele tem que estar alinhado na mesmo caminho de todos os jogadores”, cobrou o técnico.
Questionado se Cazares seria titular contra o América, Marcelo Oliveira disse que iria avaliar as condições físicas do armador, que encou longa viagem do Equador ao Brasil. O treinador voltou a destacar que o equatoriano tem totais condições de ser peça importante no time.

Sem Cazares, Marcelo escalou Otero, outro que estava disputando as Eliminatórias. O venezuelano teve boa atuação no triunfo alvinegro.
“Eu queria observar a chegada do Cazares, porque ele chegaria depois de meia-noite, por causa de uma viagem longa. Não resta dúvidas que o Cazares pode jogar no time do Atlético. Era possível aproveitar o Otero, por causa do desgaste. Trabalhei o time no treino, bola parada, jogadas em diagonais. Talvez fosse o Otero de qualquer forma.”

MORREU OUTRO EX-ÍDOLO DO GALO: Hector Cincunegui, o uruguaio que marcou época na lateral do Atlético morreu.

Aos 76 anos, o uruguaio Héctor Carlos Cincunegui de Los Santos, ex-lateral-esquerdo do Atlético no fim dos anos 1960 e início da década de 1970, morreu na noite dessa quinta-feira, em Montevidéu, no Uruguai. Ele estava internado no Hospital Gremca e faleceu depois de um acidente vascular cerebral, além de outras complicações.

O Galo publicou uma nota de pesar pelo falecimento do ex-atleta.

“O Atlético lamenta o falecimento de Hector Cincunegui. Campeão Brasileiro em 1971, o lateral esquerdo uruguaio vestiu a camisa do #Galo entre 1968 e 1973. Cincunegui faleceu na noite desta quinta-feira, em Montevidéu, no Uruguai. Nossos sentimentos aos familiares e fãs do atleta que tanto honrou a camisa do Clube Atlético Mineiro”.

O Gringo, como também era conhecido, vivia com debilidade desde 2006, quando sofreu o primeiro AVC, que deixou sequelas graves, como a dificuldade de se expressar e a perda da memória. O derrame o acometeu após um jogo do Danubio pelo Campeonato Uruguaio. Depois de assistir a peleja, ele voltou para casa e começou a sentir uma forte dor de cabeça. Receoso de ficar internado em um hospital, proibiu a mulher de acionar o sistema de atendimento de urgência de Montevidéu. A esposa chamou o filho Fernando, que logo pediu uma ambulância.

Cincunegui sempre deixou saudade na torcida do Galo.


Fernando, em entrevista ao Superesportes em 2015, explicou com detalhes o episódio: “Ele voltou do estádio, e ficou deitado na cama em casa. Quando minha mãe chamou para comer, ele não queria levantar. Quando cheguei em casa, ele me disse que não tinha nada, disse que estava com dor de cabeça. Minha mãe trouxe um café, mas ele não conseguia sair da cama, estava paralisado. Rapidamente, chamei um médico. Depois de um tempo no hospital , o médico disse que era um derrame. O cerebelo ficou espremido pelo sangue e tinha que passar por uma operação”, contou.

A cirurgia foi um sucesso, e Cincunegui se recuperou bem, tomando uma medicação prescrita pelos médicos. Depois de um tempo, contudo, as sequelas se potencializaram. "Acredito que por causa da medicação ele começou a sentir os resultados da doença. Ficou duro, com muita dificuldade de locomoção, faz muita força para poder caminhar, pegar uma coisa qualquer. Outro problema é que ficou muito quieto, sem se comunicar bem. Até hoje ele tem muita dificuldade de reconhecer as pessoas", afirmou o filho do ex-jogador, em depoimento no ano passado.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Escolha a melhor forma de se identificar em Comentar como: Depois pitaque à vontade.