segunda-feira, 7 de novembro de 2016



CRUZEIRO MANDA AZAR ÀS FAVAS E GOLEIA FLU NO MINEIRÃO PROVOCANDO DISPENSA DO TÉCNICO LEVIR CULPI

MARINHO, ex-Cruzeiro voltou a comandar o Vitória, em Salvador, com dois gols e uma assistência na vitória por 3 a 2 sobre o Furacão. Ele é ou não do Cruzeiro e está apenas emprestado aos baianos?



CRUZEIRO COM ATUAÇÃO DIGNA GOLEIA FLU E DERRUBA LEVIR CULPI.

Ao longo da semana, o discurso do elenco do Cruzeiro era de que o torcedor que comparecesse ao jogo contra o Fluminense, no Mineirão, seria recompensado. Mas não foi atendido. Apenas pouco mais de 7 mil pagantes e 10 mil torcedores estiveram no Gigante da Pampulha na tarde deste domingo. Viram uma chuva de gols e com certeza foram embora para casa felizes. Sobretudo pelo fato de atletas do setor ofensivo terem quebrados longos jejuns. Rafael Sobis, Willian e Alisson, que não marcavam gols  há muito tempo, voltaram a comemorar e melhoraram suas marcas pessoais. Arrascaeta também deixou o dele.

O gol de Richarlison, do Flu, chegou a assustar, pois foi o primeiro da partida. Mas a Raposa conseguiu a reação, goleou o adversário por 4 a 2 e chegou a 44 pontos (12ª posição), número que encaminha a permanência na elite do Campeonato Brasileiro. A quatro rodadas do fim da Série A, a seis de vantagem sobre o 17º colocado Internacional.

O próximo objetivo do Cruzeiro é garantir a permanência matemática na Primeira Divisão. Isso só será possível no dia 16 de novembro (quarta-feira), às 21h45, quando pegará o Sport na Ilha do Retiro, pela 35ª rodada.

Já o Fluminense encerrou a 34ª rodada em nono lugar, com 48 pontos. No dia 15 (terça-feira), às 17h, o Tricolor das Laranjeiras receberá o Atlético-PR, no Maracanã.


0 Cruzeiro levou susto nos primeiros minutos de jogo. Cícero, aos 5min, arriscou de longa distância e exigiu grande defesa de Rafael. Aos 9min, Henrique errou passe no meio-campo, Scarpa recuperou a bola e tocou para Richarlison. O ex-camisa 9 do América se livrou de dois adversários e abriu o placar no Mineirão: 1 a 0. Pouco depois, o jovem de 19 anos ainda teve outra grande oportunidade, mas bateu cruzado em direção à linha de fundo.

Somente a partir dos 20 minutos é que o Cruzeiro se encontrou no jogo e passou a ocupar o campo de ataque. A Raposa empatou aos 25min. Numa triangulação entre Willian e Henrique, o camisa 9 escorou para Rafael Sobis, que bateu bonito com o pé esquerdo: 1 a 1. Foi o quarto gol de Sobis, que não marcava desde o dia 4 de agosto – há pouco mais de três meses –, na vitória por 4 a 2 sobre o Internacional, no Independência, pela 18ª rodada do Brasileiro.

A situação do Flu ficou pior no momento em que Levir Culpi precisou substituir Richarlison, machucado. Entrou Magno Alves. O Cruzeiro deixou de ser incomodado na defesa e mostrou confiança pra buscar a virada. Que veio num lance fortuito, aos 45min. Num cruzamento esquisito de Alisson, Willian se atirou em direção à bola e conseguiu o desvio de cabeça. A bola bateu na trave antes de entrar: 2 a 1. Ele não marcava desde 24 de julho – derrota por 2 a 1 pro Sport, no Mineirão, pela 15ª rodada.

O terceiro gol cruzeirense veio já no segundo tempo. Com apenas 48 segundos, Arrascaeta roubou a bola de Edson, e bateu de fora da área, no canto direito de Júlio César: 3 a 1. Aos 5min, o uruguaio voltou a participar, dessa vez como garçom. O passe pra Alisson em ótimas condições de chutar a gol. Depois de quatro meses, o camisa 11 deixou sua marca no Mineirão: 4 a 1. Nos acréscimos, o Flu diminuiu em bola dividida entre Magno Alves e Ramón Ábila: 4 a 2. 

Depois do jogo, o técnico Levir Culpi foi dispensado, que bobagem né gente, faltam apenas três rodadas.

ATÉ FACADA TEVE NA FESTA DO BOA

A festa dos torcedores do Boa Esporte(FOTO) pelo título da Série C, conquistado na noite deste sábado em Varginha, no Sul de Minas, foi manchada pela quebradeira provocada pela torcida do Guarani, adversário e vice-campeão do torneio. Segundo a Polícia Militar, ao final da partida, que terminou com a vitória do Boa por 3 a 0, membros de torcidas organizadas do time visitante iniciaram uma depredação generalizada do Estádio Dilzon Melo, o Melão. Eles quebraram partes do alambrado, banheiros, jogaram pedaços de pedras e arremessaram até freezers dos bares do local.

De acordo com o tenente-coronel Hudson Abner Pinto, comandante do 24º Batalhão da PM, 130 policiais foram escalados para a operação exclusiva do jogo e a torcida visitante foi estimada em cerca de 3 mil pessoas. Quatro pessoas foram presas e encaminhadas à Polícia Civil. Depois que o jogo já havia terminado e as torcidas já tinham dispersado, policiais militares se depararam com um homem com uma faca pendurada nas costas. Ainda segundo o tenente-coronel, o ferimento foi causado por uma briga entre torcedores do Guarani. O homem foi atendido e segue em observação na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Varginha. 


COM TIME RESERVA, GALO FOI PRESA FÁCIL DO COXA .



Duas voltas: Alexandre Kalil, o novo prefeito de BH, e Maluf voltaram e viram pela TV o time perder do Coritiba: 

Finalista da Copa do Brasil, o Atlético ficou mais distante do sonho de conquistar dois títulos nacionais na temporada. Com alguns titulares poupados e novo terceiro uniforme, o Galo teve atuação ineficaz diante do Coritiba, neste domingo, no Couto Pereira, e acabou derrotado por 2 a 0, em duelo pela 34ª rodada do Campeonato Brasileiro. Raphael Veiga, em belo chute de fora da área, e Kleber Gladiador, de pênalti, marcaram os gols da vitória do Coxa.

O resultado negativo na capital paranaense não tira a chance matemática, mas deixa remota a pretensão de título do Alvinegro, que fica na quarta colocação, com 60 pontos, dez a menos que o líder Palmeiras. Já o Coritiba, na luta para escapar do rebaixamento, chega a 42 pontos, na 14 ª posição na tabela.

Com a pausa no Campeonato Brasileiro para os jogos das Eliminatórias da Copa do Mundo, o Atlético volta a campo somente em 17 de novembro. O Galo recebe o Palmeiras, numa quinta-feira, às 21h, no Independência, em última cartada na briga pela taça. Um dia antes, o Coritiba enfrenta o Santa Cruz, no Couto Pereira.

E a estratégia de arriscar chutes de fora da área deu resultado ao Coritiba. Logo aos sete minutos do segundo tempo, Raphael Veiga ficou com sobra na intermediária, dominou e, no quique da bola, soltou a bomba. A bola foi no ângulo direito de Victor e ainda tocou no travessão antes de entrar: golaço do Coxa! 1 A 0

Vendo as chances na briga pelo título desaparecerem, o técnico Marcelo Oliveira resolveu tirar Robinho do banco de reserva. Poupado, o atacante entrou em campo aos 16 minutos, na vaga de Luan, pouco efetivo no jogo.  A alteração não surtiu efeito, e o Galo continuou ineficaz em campo. Para tentar reverter a situação, o comandante alvinegro decidiu realizar mais duas substituições: Maicosuel, de volta ao time após lesão, assumiu o lugar de Cazares; e Fred, que também havia sido poupado, entrou para a saída de Otero.

Mesmo com a linha ofensiva reforçada, o Atlético não conseguiu criar jogadas perigosas. A equipe tentou lançamentos e inversões, mas pecou nos erros. Nos minutos finais, o Coritiba recuou e dificultou ainda mais as ações atleticanas. Nos acréscimos, o Galo levou mais um golpe. Patric derrubou Kazim dentro da área, e o árbitro assinalou pênalti. Na cobrança, Kleber Gladiador deslocou Victor, mandou no cantinho direito e definiu o placar no Couto Pereira: 2 a 0.




Nenhum comentário:

Postar um comentário

Escolha a melhor forma de se identificar em Comentar como: Depois pitaque à vontade.