segunda-feira, 6 de fevereiro de 2017

PERRELA ENTRA NO MEIO DA BRIGA IMPRENSA, MANO E GALO



Mal o campeonato mineiro começou e as polêmicas sobre arbitragem amiga já envolvem Mano Menezes, Cruzeiro, Galo e Imprensa ganharam destaque no dia a dia da Toca da Raposa. Para mim trata-se de armadilha de xenófobos com intuito de expulsar o excelente treinador de Minas. Por isso, que a Imprensa daqui engole os bagaços de treinadores, porque cada repórter nas entrevistas coletivas, após os jogos, vestem a camisa de seus times de preferência e só faz perguntas capciosas.

Questionado se a vitória do Cruzeiro sobre Tricordiano   (decidida num gol irregular de Ábila) havia sido “limpa” - em referência  à declaração interpretada como ‘indireta’ a um triunfo do Atlético conseguido após pênalti duvidoso -, o treinador insinuou que os jornalistas eram alvinegros.

Ex-presidente do clube celeste, Zezé Perrella( foto) fez coro e lembrou uma histórica entrevista de Adilson Batista, ex-técnico da Raposa, que fez críticas semelhantes.
O agora senador pelo PMDB publicou no Twitter trecho da resposta em que Adilson diz que “muita gente da mídia tem raiva do Cruzeiro."

TRINCHEIRA: De minha parte, já escrevi diversas vezes que a maioria dos cronistas esportivos mineiros se veste de branco-e-preto e morre de amores pelo Galo.
A mídia, segundo Adilson afirmou na época, só gosta do Atlético. Muita gente da mídia tem raiva do Cruzeiro, ódio do Cruzeiro. Isso é o que eu penso. Eu sou profissional, respeito o outro lado. Mas eu vejo grande parte da mídia que tem ódio do Cruzeiro.

Continuou o treinador - "O Cruzeiro incomoda muita gente, porque não é fácil chegar em quatro Libertadores, disputar Mundial, chegar em Brasileiro, ganhar Copa do Brasil. Então, quando vêm enfrentar o Cruzeiro, vêm com respeito”,

A polêmica voltou à tona em 2017. Em 29 de janeiro, momentos após a estreia vitoriosa do
 Cruzeiro no Campeonato Mineiro sobre o Villa Nova, Mano Menezes deu declarações que foram interpretadas como ‘indiretas’ ao Atlético..

“A vitória foi limpa, o que sempre deixa a gente contente, pois o gol foi natural, certinho, não teve pênalti duvidoso, nada. Isso me deixa tranquilo”, disse o treinador um dia depois do triunfo alvinegro sobre o América-TO, concretizada após um pênalti polêmico sofrido e convertido por Fred.

A polêmica resposta repercutiu. O presidente Daniel Nepomuceno disse que o Atlético deveria “se preocupar com a Libertadores” - competição que o Cruzeiro não disputará em 2017. Bem humorado, Fábio Santos também comentou.

“Ele [
Mano] gosta desse tipo de declaração. Já brinquei com ele. Além de ser excelente treinador, eu não sabia desse lado dele de comentarista de arbitragem”, disse, aos risos, o lateral.

Após a repercussão,
 Mano Menezes despistou e disse que a declaração não havia sido endereçada ao Atlético.

"Quando eu fiz a avaliação sobre o jogo, logicamente eu estava fazendo uma avaliação sobre o jogo do
 Cruzeiro. Não citei o nome do Atlético. Quando eu quiser falar sobre o Atlético, eu vou falar 'Atlético'. Se serviu o chapéu para alguém, não é problema nosso", disse.

TRINCHEIRA - Os focas que atualmente moram nos centros de treinamentos, fazem perguntas capciosas e levam trombadas dos treinadores.

COLETIVA AGITADA

Os jornalistas entraram em cena nesse domingo, após a vitória do Cruzeiro sobre o Tricordiano por 2 a 1. O gol da vitória, marcado por Ábila, ocorreu num lance em que o centroavante argentino estava impedido. Além disso, a arbitragem não assinalou pênalti favorável ao time de Três Corações.

Questionado se a vitória do
 Cruzeiro havia sido “limpa” - palavra utilizada após a primeira partida do time no Campeonato Mineiro -, o treinador criticou a imprensa:
- “Eu já imaginava que alguém iria vestir a camisa e fazer uma pergunta desse nível. A gente já sabe de onde vêm as coisas aqui. Eu cheguei, sou novo, mas já tenho uma ideia da aldeia. Como você mesmo disse, o lance do impedimento é um lance de computador. Mas eu respeito sua opinião, da mesma maneira que eu respeitei a opinião das pessoas que tiveram opinião contrária a minha aquele dia."
-"Não sei se alguém se ofendeu. Não era para ninguém se ofender, nem da imprensa, nem de outros clubes. Acho que a arbitragem não foi boa, porque aconteceram dois lances de impedimento que o auxiliar se enganou no primeiro tempo e que nós iríamos entrar na cara do gol e poderíamos ter aberto uma vantagem muito cedo muito maior. E essas coisas realmente acontecem em outros jogos e no nosso”, defendeu-se o treinador.


Também no domingo, o diretor jurídico do Atlético, Lásaro Cunha, usou o Twitter para provocar o treinador do Cruzeiro e ironizar a quantidade de torcedores que foi ao jogo contra o Tricordiano e as polêmicas de arbitragem no duelo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Escolha a melhor forma de se identificar em Comentar como: Depois pitaque à vontade.