quinta-feira, 16 de março de 2017

MANO ANALISA  CRUZEIRO DIANTE DO MURICI E JOGO SEM GOL DE MEIA.
Mano Menezes analisou mais uma vitória do Cruzeiro na temporada, desta vez diante do Murici-AL
Mano Menezes só tem o que comemorar. Depois do triunfo por 3 a 0 sobre o Murici-AL, pela Copa do Brasil - décima segunda vitória em jogos oficiais - o comandante analisou a demora do Cruzeiro para abrir o marcador e minimizou o problema. O treinador destacou o cuidado defensivo da equipe alagoana, que já havia sido derrotada dentro de casa na última semana.

 “O adversário veio com muito mais cuidado defensivo, fez linha de cinco, abaixou bem, prendeu os volantes. Jogaram em zona muito mais baixa. O espaço entre as linhas era menor. Rodamos a bola, começamos a mexer muito. Quando assentamos um pouco mais, abrimos o campo de jogo e encontramos o caminho para fazer. Poderíamos ter feito mais”, avaliou.

Nesta quarta-feira, Thiago Neves passou em branco mais uma vez, embora tenha tido a chance de marcar em cobrança de pênalti desperdiçada na reta final da partida. Mesmo ainda sem conseguir marcar pelo Cruzeiro, o meia-atacante tem total confiança de Mano, que minimizou a noite sem gols do camisa 30 e projetou o primeiro tento de seu principal articulador para os próximos compromissos.  

“Não falta nada ao Thiago. Ele está jogando bem, fazendo a função, apenas ainda não fez gol. Essas coisas, até prum jogador experiente, atrapalham. Hoje forcei a situação (pedindo para Thiago cobrar o pênalti), porque a penalidade aconteceu, sofrida por ele, mas são os ensinamentos do futebol. Tudo tem sua hora, vai acontecer naturalmente
”, destacou. 

TRINCHEIRA - Thiago Neves esteve bem longe de seu verdadeiro futebol. Aliás, todo time. O adversário fraco tinha caixa de goleada. O Cruzeiro contou com dois gols contra e teve dois pênaltis a favor. Sóbis converteu um e Thiago perdeu o outro. O jogo foi bem abaixo do esperado.  Pelada pura.

Depois de avançar na Copa do Brasil, o Cruzeiro aguarda a definição de seu adversário. Os confrontos desta etapa serão definidos na sexta-feira, às 14h30, em sorteio na Confederação Brasileira de Futebol (CBF).

Antes de pensar no próximo rival pela competição nacional, porém, o compromisso é pelo Campeonato Mineiro. No próximo domingo, dia 19, o duelo é contra o Tombense, às 16h, no Mineirão. A partida valerá pela 8ª rodada do Estadual.

CASOS E HISTÓRIAS DO SÍLVIO'S BAR

-"Bom Dia Flávio Anselmo!!!

Inicialmente gostaríamos de parabenizá-lo pelos posicionamentos, não somente esportivos, mas, principalmente políticos. Pessoas de coragem como você é que são imprescindíveis, como citou Bertold Brecht.

Meu nome é César Claudier, sou historiador e em parceria com o amigo e companheiro de profissão, Rildo César, temos pesquisado há alguns anos, as histórias, trajetórias, curiosidades e tradições de alguns bares de Belo Horizonte.

No ano de 2015, lançamos o nosso primeiro livro, intitulado “Entre Caixotes e Balcões: Boteco do Seu Jorge”, onde é demonstrada a trajetória e a saga do Bar do Jorge, no bairro São Geraldo, que há quase 50 anos embalada as noites desta comunidade, sempre com bom humor, ótimo papo, boa comida e um sensacional ambiente, sob a tutela do sócio fundador, o lendário Jorge.

Iniciamos nova pesquisa, identificando agora as tradições, costumes e curiosidades de um dos mais tradicionais bares de Belo Horizonte, o Silvio’s Bar, situado no bairro Esplanada. O resultado de nossas pesquisas estão culminando no lançamento de um segundo livro, agora intitulado de “Entre umas e outras histórias do Silvio’s Bar”, ao qual faremos o lançamento dentro do próprio bar, ao final deste mês.

O nosso trabalho é totalmente independente, e para viabilizarmos a impressão dos nossos livros contamos com o apoio financeiro de comerciantes da região leste de BH, e também dos nossos amigos e familiares.

O nosso segundo livro, que trata da sensacional trajetória do Silvio’s Bar, apesar de muitas dificuldades, já está praticamente viabilizado financeiramente, e já estamos organizando o evento do lançamento do nosso trabalho. Entretanto neste período necessitamos de outros apoios acima da questão financeira.

Necessitamos fazer a divulgação do lançamento do livro na mídia. Iniciamos nossa divulgação no Facebook e wathsapp, preparamos um release e flyer ao qual temos enviado para emissoras de TV, rádio e mesmo para os jornais impressos, porém, até o momento, não estamos obtendo êxito em nossas tentativas.

Gostaríamos de convidá-lo para o evento do lançamento do nosso livro, além de pedirmos ajuda na divulgação. Caso possa divulgar em seu blog, ou mesmo nos indicar um meio para conseguirmos divulgação na mídia, seja impressa, televisiva, rádio etc.
Desta forma, estamos encaminhando em anexo, o release e flyer referentes ao lançamento do nosso livro, e ficaríamos muito agradecidos se pudesse nos ajudar, e ficaríamos ainda mais felizes com sua presença no lançamento.

TRINCHEIRA- Também sou escritor independente, com 20 livros editados. Negócio caro e que rende pouco, a não ser que tenha algum esquema no Ministério ou Secretaria de Cultura.
Eu nunca tive por esse caminho, porque os artistas da Rede Globo chegam primeiro. Grato pelos elogios e sucesso na empreitada. Grato pelo convite, pena que eu não posso sair de casa por ordem médica, principalmente à noite.
Bruno é tratado como celebridade em jogo do Boa Esporte

Varginha - Recém-contratado pelo Boa Esporte, o goleiro Bruno, de 32 anos, passou no primeiro teste. Ele foi bastante assediado pelos torcedores, nesta quarta-feira à noite, no Estádio Municipal Dilzon Melo (Melão), em Varginha, onde os companheiros do novo time venceram o Araxá por 2 a 0 pelo Módulo II do Campeonato Mineiro.

Foi a primeira vez que Bruno assistiu a um jogo oficial desde julho de 2010, quando preso por participação na morte de Eliza Samudio. Condenado a 22 anos e 3 meses de prisão, o goleiro foi posto em liberdade, em 24 de fevereiro passado, por liminar concedida pelo Supremo Tribunal.Federal (STF).

Bruno recebeu o carinho do público logo na chegada, mas não teve o nome gritado pela torcida durante a partida. Tirou selfies e deu autógrafos. Entrou no estádio com a camisa do Boa na companhia de diretores e de uma equipe da Inglaterra que faz documentário sobre ele. Chegou pelo portão principal e fez questão de apertar as mãos de funcionários.

Assistiu à partida no espaço preparado pela diretoria, na arquibancada. Ao seu lado, apenas as pessoas mais próximas. De lá, ficou de pé durante o hino nacional.

O primeiro gol saiu aos 35 minutos. Depois de uma confusão na área, o ponta-direita Daniel empurrou a bola para as redes. Bruno comemorou, erguendo as duas mãos. Dez minutos depois, viu Caio, o camisa 9, entrar como um furacão pela direita: 2 a 0. Bruno voltou a levantar os braços. Apenas 935 torcedores compareceram ao jogo.





Nenhum comentário:

Postar um comentário

Escolha a melhor forma de se identificar em Comentar como: Depois pitaque à vontade.