sábado, 3 de junho de 2017



AÉCIO E PERRELA AGORA ATÉ JÁ BRIGAM

Os amigos cruzeirenses já quebram o pau entre si coisa que jamais alguém imaginasse que aconteceria. Perrela e Aécio eram como a corda e a caçamba.
O que estava rolando apenas nas redes sociais tornou-se destaque em todos os grandes veículos de comunicação do país, entre rádios, jornais e TVs. O Jornal da Itatiaia pôs a conversa no ar, na íntegra:
* “Aécio e Perrella evitam comentar conversa grampeada pela Polícia Federal”
Grampo da Polícia Federal, no âmbito da Lava Jato, mostra a conversa entre os senadores Aécio Neves e Zezé Perrella. No telefonema, Aécio, chamado de chefe pelo colega, cobra lealdade e dá bronca em Perrella, que fica na defensiva. Os dois senadores evitam repercutir o assunto.
Acho que não preciso provar o quanto sou seu amigo na vida, né cara? Então vou te falar como amigo, com a liberdade de amigo. Poucas vezes ouvi declaração tão escrota, Zezé, como essa que você deu na rádio Itatiaia”, disparou Aécio.
O ex-governador prossegue e lembra como Zezé Perrella chegou ao Senado.“A pretexto de se defender, você jogou todo mundo na lama. A não ser, Zezé, que sua campanha foi financiada na lua, pela semente lá sua, pela quentinha do Alvimar. Nossa campanha foi a mesma Zezé”, ressaltou tucano.
Entre 2007 e 2011,  durante o governo de Aécio e Antonio Anastasia em Minas Gerais, a Limeira Agropecuária e Participações (uma das empresas da família Perrella) foi contratada pra fornecer sementes a um programa de combate à fome. No entanto, conforme o Ministério Público Estadual, a entrega das sementes não foi comprovada.

Já a Stillus Alimentação, outra empresa da família,  foi denunciada por fraudes no fornecimento de quentinhas aos presídios do Estado.
Na defesa e constrangido durante a conversa, o ex-presidente do Cruzeiro cita o caso do helicóptero carregado de droga pra se justificar. Em 2013, a aeronave da família foi apreendida com quase meia tonelada de pasta de cocaína.
Contudo, Aécio mantém o tom da bronca e diz  a Perrella que ele também pode ser citado no âmbito da operação da Lava Jato.
O grampo termina com a promessa de Perrella de conceder nova entrevista, dessa vez defendendo Aécio e Antonio Anastasia. 
“Olha, vou falar de você e Anastasia, que tenho certeza que vocês estão sendo injustiçados e tal. Pode ficar tranquilo faço isso no Senado e na própria Itatiaia”, prometeu.
Em nota, a assessoria de Aécio Neves diz que não vai comentar as gravações, vazadas ilegalmente, segundo a defesa. A nota destaca, ainda, que as campanhas de Aécio e do senador Antonio Anastasia foram feitas em absoluto respeito à legislação.
Já a assessoria de comunicação do senador Zezé Perrella alega que a campanha mencionada era a do senador Itamar Franco, de quem ele era apenas suplente, e reitera estar confiante que as investigações da Polícia Federal irão provar que ele não cometeu nenhuma irregularidade.
Aécio e Joesley
Reportagem do jornal Folha de São Paulo detalha como o senador Aécio Neves afirmou ao empresário Joesley Batista ter pressionado o presidente Michel Temer, junto com outros empresários, pra que fossem feitas mudanças na Polícia Federal que incluíam a substituição do diretor-geral do órgão, Leandro Daiello.
A conversa foi gravada pelo próprio Joesley no hotel Unique, em São Paulo, no dia 24 de março, e anexada ao acordo de delação que o grupo J&F fechou com a Procuradoria-Geral da República.
Aécio disse a Joesley que o governo deveria aproveitar a crise gerada pela Operação Carne Fraca para a troca. Joesley ponderou que era uma boa chance para trocar Daiello. Joesley disse: “Tem que tirar esse cara”. Aécio repetiu: “Tem que tirar esse cara”.
Segundo a reportagem da Folha de São Paulo, Aécio ainda contou a Joesley que outros empresários estavam “pressionando” Michel Temer a tomar medidas contra a PF. Ele disse que participou de jantar com Temer, o presidente do Bradesco Luiz Trabuco, e uma pessoa citada apenas como Pedro.
A assessoria do tucano não comentou as declarações de Aécio e Joesley, mas confirmou o encontro entre o senador, Temer e empresários. A assessoria disse que o senador afastado teve longo despacho sobre a pauta de reformas.
O Bradesco confirma que Trabuco esteve com Aécio no dia 24 de março, em encontro com o presidente do Banco do Brasil, Paulo Caffareli, mas pra tratar da mudança na presidência da Vale.

COMO30 de maio de 2017 às 18:26
COMO COMEÇOU A BRIGA
 “Acho que não preciso provar o quanto sou seu amigo na vida, né cara? Então vou te falar como amigo, com a liberdade de amigo. Poucas vezes ouvi declaração tão escrota, Zezé, como essa que você deu na rádio Itatiaia”, disparou Aécio.
Na defesa e constrangido durante a conversa, o ex-presidente do Cruzeiro cita o caso do helicóptero carregado de droga pra se justificar. Em 2013, a aeronave da família foi apreendida com quase meia tonelada de pasta de cocaína.
Contudo, Aécio mantém o tom da bronca e diz  a Perrella que ele também pode ser citado no âmbito da operação da Lava Jato.
Folha de São Paulo detalha como o senador Aécio Neves informou ao empresário Joesley Batista ter pressionado o presidente Michel Temer, junto com outros empresários, pra que fossem feitas mudanças na Polícia Federal que incluíam a substituição do diretor-geral do órgão, Leandro Daiello.
A conversa foi gravada pelo próprio Joesley no hotel Unique, em São Paulo, no dia 24 de março, e anexada ao acordo de delação que o grupo J&F fechou com a Procuradoria-Geral da República.
Aécio disse a Joesley que o governo deveria aproveitar a crise gerada pela Operação Carne Fraca para a troca. Joesley ponderou que era uma boa chance para trocar Daiello. Joesley disse: “Tem que tirar esse cara”. Aécio repetiu: “Tem que tirar esse cara”.
Segundo a reportagem da Folha de São Paulo, Aécio ainda contou a Joesley que outros empresários estavam “pressionando” Michel Temer a tomar medidas contra a PF. Ele disse que participou de jantar com Temer, o presidente do Bradesco Luiz Trabuco, e uma pessoa citada apenas como Pedro.
O Bradesco confirma que Trabuco esteve com Aécio no dia 24 de março, em encontro com o presidente do Banco do Brasil, Paulo Caffareli, mas pra tratar da mudança na presidência da Vale.
Chape perdeu a cabeça e causa confusão após o jogo na Arena Condá

Depois do apito final e da classificação do Cruzeiro às quartas de final da Copa do Brasil, no empate sem gols diante da Chapecoense, nesta quinta-feira, a Arena Condá virou palco de batalha. A tensão começou com a torcida, que começou a gritar ‘Vergonha’, reclamando de dois gols anulados pela arbitragem, e terminou na área interna do estádio. Jogadores celestes foram encurralados na porta de entrada do vestiário por dirigentes e atletas da equipe catarinense. e O TRIO de arbitragem estava certo em anular os gols, marcados em impedimento.

O quarteto de arbitragem foi muito pressionado por jogadores, dirigentes e o técnico da Chapecoense, Vagner Mancini, depois do apito final, e teve que deixar o gramado protegido por escudos da Polícia Militar local. O quarto árbitro, Evandro Tiago, foi atingido por objeto arremessado da arquibancada e saiu com corte e sangramento abaixo do olho esquerdo.
Por causa disso, a Arena Condá pode e deve ser interditada.

Na entrada do vestiário destinado ao Cruzeiro, mais confusão. Dirigentes e jogadores da Chapecoense acuaram os celestes, que tiveram dificuldade para entrar no local. No meio do tumulto, câmeras de TV mostraram o lateral-esquerdo Diego Barbosa atirando copo de água em integrantes da Chape, sob protesto de Vagner Mancini. Na coletiva, o comandante pediu desculpas em nome do clube catarinense.
CHAPE COM MEDO DO MINEIRÃO
Após o tumultuado confronto de quinta-feira passada na Arena Condá e que valeu a ida do Cruzeiro, com o empate em 0 a 0, para as quartas de final da Copa do Brasil, os dois times voltam a se encontrar neste domingo, no Mineirão, pela quarta rodada do Brasileiro e num combate direto pela liderança da competição. A Chape está na ponta pelo saldo de gols.
Novidades no Cruzeiro: Robinho e Ezequiel voltam depois de muito tempo no estaleiro. Rafael Sóbis demora mais um mês pra voltar.
Além de Sassá, do Botafogo, o Cruzeiro, por indicação de Mano Menezes que foi treinador do jogador no Corinthians, tenta contratar o atacante Luciano, por empréstimo. Luciano estava no Leganés da Espanha.
A Chapecoense receia que o troco seja dado nesta partida do Mineirão, mas pode ter certeza de que isso não acontecerá jamais. O Cruzeiro nunca fez isso, apesar de ser roubado pela arbitragem várias vezes no gigante da Pampulha. (Arre, égua!)
COELHO PERDE EM CASA

Heita Coelho que voltou a perder em casa, desta vez pro Paysandu, líder da Série B, por 2 a 0, e continua sem vencer no Horto e parou nos 5 pontos na classificação geral. O time de Enderson Moreira jogou pedrinhas e foi dominado totalmente pelos paraenses. Na próxima rodada, terça-feira, o Coelho receberá o Ceará. Outra derrota?

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Escolha a melhor forma de se identificar em Comentar como: Depois pitaque à vontade.