terça-feira, 11 de julho de 2017

O goleador Ábila ainda chuta o balde e exige mais chance de titular ao Mano


Há uns 10 dias o goleador Ramón Ábila que tem andado na prateleira da cozinha do Cruzeiro, encostado pelo técnico Mano Mendes, arrogante e da linha de Vanderlei Luxemburgo, o atacante teve reunião com a diretoria do Cruzeiro, a fim de expor suas mágoas e pedir mais oportunidades na equipe,  e suas reclamações repercutem até hoje na Toca da Raposa II. Mano preferiu não tratar a situação como uma reclamação do argentino.

"Sempre temos todos os assuntos conversados internamente. Ábila não reclamou. Ábila deu sua opinião, que ele tem todo o direito de dar", ressaltou Mano Menezes.
"O Ramón Ábila conversou com a diretoria, mas não consideramos isso como algo absurdo, muito pelo contrário. Ele manifestou a insatisfação por não estar jogando, o que é bom. Pior se fosse diferente disso. Mas a condição de jogar compete ao treinador.", ressaltou Klaus
Apesar do encontro com a diretoria, a tendência é que Ramón Ábila siga no banco de reservas. Isso porque no treinamento coletivo pro jogo contra o Palmeiras o argentino treinou entre os suplentes. Mesmo tendo marcado três gols no treinamento, o argentino não foi testado em momento nenhum entre os titulares. Rafael Sobis iniciou a atividade no comando de ataque e, depois, Mano optou por colocar Sassá na função.
Artilheiro do Cruzeiro na temporada, com 13 gols, Ramón Ábila ainda não teve uma sequência de quatro jogos entre os titulares em 2017. A maior série de partidas em que foi escalado entre os 11 aconteceu no mês de maio, quando atuou contra Nacional-PAR (eliminação na Copa do Sul-Americana, em 10/05); São Paulo (1ª rodada do Brasileirão, 1 a 0, em 14/05) e Sport (2ª rodada do Brasileirão, 1 a 1, em 21/05). O argentino tem 32 jogos neste ano, 14 como titular.
Contra o Atlético Furacão esta noite em Curitiba, o Cruzeiro terá aquele punhado de desfalques de sempre por lesões e agora somou mais um: o clube comunicou que o volante Hudson - outro canelinha de vidro -  sofreu lesão muscular no adutor da coxa direita e para em tratamento por quatro a seis semanas. O atleta se machucou na partida contra o Palmeiras, vencida pelo clube celeste ( 3 a 1), domingo, no Mineirão, pela 12ª rodada do Campeonato Brasileiro. Hudson marcou o segundo gol cruzeirense nesse confronto.

No departamento médico, Hudson se junta a outros sete jogadores: Robinho (lesão grau 2 no músculo adutor da coxa esquerda), Rafinha (lesão grau 2 na parte posterior da coxa direita), Manoel (fratura no quinto metatarso do pé esquerdo), Arrascaeta (torção no joelho direito), Raniel (lesão no joelho direito), Dedé (edema ósseo no joelho esquerdo) e Judivan (lesão grave no ligamento cruzado posterior do joelho esquerdo). Dessa lista, Manoel, Raniel e Arrascaeta estão em fase de transição da fisioterapia para a preparação física.

Na foto de Alexandre Guzanche, o voltante Hudson reza pare passar a fase de contusões.



Sem Hudson, Mano Menezes escala Lucas Silva na partida contra o Atlético-PR,  na Arena da Baixada, pela 13ª rodada do Campeonato Brasileiro. Como também perdeu Ariel Cabral, mas por suspensão, o treinador poderá utilizar Ezequiel, que, apesar de estar tratamento de problema crônico no púbis, treinou normalmente nesta terça e tende a ser relacionado. Assim, o argentino Lucas Romero, um dos curingas da equipe, deixaria a lateral direita e retornaria ao meio-campo.
A equipe celeste realizou na manhã desta terça a última atividade antes da viagem a Curitiba. Os trabalhos foram abertos para a imprensa. O provável time que encarará o Atlético-PR terá Fábio; Ezequiel, Leo, Murilo e Diogo Barbosa; Henrique, Lucas Romero, Lucas Silva e Thiago Neves; Alisson e Rafael Sobis. Sétimo colocado no Brasileiro, com 17 pontos, o Cruzeiro quer retornar ao G6 – zona de qualificação para a Copa Libertadores. A sexta colocação é ocupada pelo Sport, com 18 pontos.

O Furacão EM CRISE
O cartola Petraglia criou nova crise no Furacão. Dispensou o técnico Batista e o diretor remunerado Paulo Autuori, além do meia Carlos Alberto. Bonitão e fanfarrão só ele, Petraglia, continua intocável.
Casares e Otero estarão firmes esta boite no Horto

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Escolha a melhor forma de se identificar em Comentar como: Depois pitaque à vontade.