sexta-feira, 14 de julho de 2017

PACOTE, DESEMPREGADO, SÓ VOLTA A TRABALHAR ANO QUE VEM.

PACOTE, DESEMPREGADO, SÓ VOLTA A TRABALHAR ANO QUE VEM.
Como anda agitado o mercado dos treinadores, com dispensa de 17 profissionais, numa tremenda falta de respeito dos clubes, o treinador do Galo, Roger Machado, abriu os olhos, pois tem recebido pressão enorme no clube, por causa das derrotas como a de 05/07, na Bolívia, para o Jorge Wilstermann (1 a 0) pela Libertadores e a por esta outra, em casa, para o Santos (2 a 0), no Independência. Duas seguidas.
Caso perca de novo, neste sábado, para o Atlético-G\0, no Serra Dourado, Roger deve cair.
Por isso, em defesa da classe vou abrir espaço pra publicar a entrevista de Marcelo Oliveira ao Estado de Minas/Superesportes sobre seu trabalho por onde passou e o seu futuro como técnico.
TRINCHEIRA: Sei não, mas após acompanhar a nova derrota do Atlético, a terceira neste Brasileiro, no Horto, mais aumenta minha sensação de que Marcelo Oliveira voltará a atuar em Minas, dirigindo o Galo e corrigindo a besteira de sua dispensa. Roger estaria com os dias contados, porque a diretoria está decepcionada com seu trabalho.
Pacote tem dois títulos brasileiros, com o Cruzeiro e uma Copa do Brasil pelo Palmeiras. O técnico Marcelo Oliveira ( o meu amigo Pacote) entrou para a galeria dos técnicos mais vencedores do país recentemente.
Apesar disso, o mineiro de 62 anos está longe do futebol há sete meses, desde que foi dispensado pelo Atlético antes da finalíssima da Copa do Brasil, contra o Grêmio.
Nesse período, teve propostas de clubes, mas não aceitou. Ele não descarta investir no mercado alternativo (Oriente Médio, China ou Japão) ou mesmo voltar a trabalhar no país.
-"O técnico não se pode dar ao luxo de escolher mercados. Vou trabalhar em algo que me chame a atenção, desperte a chance de fazer algo produtivo", afirmou Marcelo.
Que revelou, ainda, ter tido problemas com Dagoberto na Raposa, há três anos, e o afastou do grupo. O treinador também disse não ter mágoas pela demissão no Galo, clube do qual foi ídolo nos anos 1970 e 1980.
Na entrevista ao Estado de Minas/Superesportes, o treinador fala sobre as ambições para a continuidade da carreira e conta sobre os bastidores do sucesso no Cruzeiro.
Como estão sendo estes sete meses acompanhando o futebol mais à distância?
-"Tudo o que você faz que pode agregar ao trabalho feito é importante. Fiz três reuniões com minha comissão técnica para discutir nossos últimos trabalhos, o que foi bom e deu muito certo e o que pode ser melhorado.
"-Essa comissão trabalha comigo há seis anos, quando conquistamos muita coisa. É sempre possível agregar e melhorar o trabalho. Vejo e analiso muitos jogos, gosto também de ler. A princípio, tive o interesse de sair do país pra fazer cursos"
E continuou Pacote: .- "Mas, ou eu fazia curso curto, que não aproveitasse tanto, seria mais pra dizer que eu fiz, ou longo, que confrontaria com meus interesses no momento. Precisava de tempo com minha família, pra ficar mais em casa e fazer coisas que não fazia.
Qual será o Marcelo Oliveira que vai voltar ao mercado? Renovado, com novas visões, ideias, ou o mesmo que teve o auge?
-"Não terá diferenças substanciais, até porque esses seis últimos anos foram bons. Conquistamos seis títulos, fomos a seis finais de Copa do Brasil, sempre trabalhando na ponta com clubes diferentes, Coritiba, Cruzeiro, Palmeiras e finalmente o Atlético. Por tudo o que aconteceu, essa última passagem no Atlético criou a expectativa imensa em todos pra conquistar o título nacional, mas infelizmente não conseguimos por várias dificuldades."
 Marcelo foi bicampeão com o Cruzeiro

-"Conseguimos o quarto lugar, que valia vaga na Libertadores, colocação que o Atlético não tem hoje. E também a decisão da Copa do Brasil. Claro que uma ou outra coisa a gente muda. A postura dos times que treinei sempre foi ofensiva, com times técnicos".
"- Conseguimos isso bem no Coritiba, Cruzeiro e em algum momento no Palmeiras. O time jogava pra a frente, dos melhores ataques do país. Em relação à postura profissional, seguirei honesto, correto, leal, intenso e tratando os jogadores com respeito e criando bons ambientes, porque isso é fator básico pra chegar às conquistas".
Atlético apresenta projeto de seu estádio pra 45 mil pessoas em agosto
O presidente do Atlético, Daniel Nepomuceno, fará a apresentação do projeto do estádio do Atlético ao Conselho Deliberativo no dia 7 de agosto.O próprio Nepomuceno quer apresentá-lo. Farei a convocação nos próximos dias, diz o presidente do conselho, Rodolfo Gropen.
Maquete do CAM Estádio para 45 mil pessoas
Neste primeiro momento, não haverá debate, apenas uma apresentação. Os conselheiros terão acesso ao plano de construção, com todos os detalhes arquitetônicos, e ao estudo financeiro para custear a obra.
Depois dessa etapa, segundo Gropen, ainda não há uma programação definida para a sequência de debates e votações acerca do estádio. A diretoria tem como objetivo começar as obras em 2018.
0 estádio terá preço final fechado, sem gastos extras que possam prejudicar a vida financeira do clube. Um fundo será criado especificamente para cuidar dos recursos da construção. Dessa forma, nem mesmo o presidente poderá transferir verbas para o futebol, por exemplo.
Com grandes parceiros, o Atlético conseguirá erguer sua casa sem investir recursos próprios. O custo total está orçado em R$ 450 milhões e será bancado, principalmente, pela MRV Engenharia, pelo Banco BMG e pela venda de cinco mil cadeiras cativas. Cada uma custará R$ 25 mil, com parcelamento em quatro anos. A receita com essa comercialização chegará a R$ 125 milhões.
A construtora dirigida pelo atleticano Rubens Menin comprou o terreno onde será construído o estádio, no Bairro Califórnia, na região Noroeste de Belo Horizonte, por R$ 60 milhões e vai adquirir os naming rights por R$ 40 milhões.
A casa do Galo, a ser construída em 28 meses, entre 2018 e 2020, nascerá com o nome MRV Arena. A empresa ainda usará o seu know-how na execução da obra e em negociações com fornecedores. Por conta disso, o custo por assento será o menor entre todos os estádios recém-construídos no país: R$ 10 mil.
O Banco BMG, do ex-presidente Ricardo Guimarães, será outro grande aliado no empreendimento. O clube trabalha mais parcerias para chegar ao valor total da obra.
NÚMEROS DA ARENA
Capacidade: 47 mil lugares
Estacionamento: 2.700 vagas
Distância do 1º assento ao gramado: 6 metros
Camarotes: 36
Áreas Vip: três categorias
Cadeiras cativas: 5 mil
Custo total: R$ 450 milhões
Parceiros fechados:
MRV Engenharia (R$ 100 milhões – terreno + naming rights)
Banco BMG
Torcida: cadeiras cativas (cerca de R$ 125 milhões)
TORCIDA APOIA TIME EMBALADO
Embalado pelas vitórias sobre Palmeiras (3 a 1) e Atlético-PR (2 a 0), o Cruzeiro espera bom público na partida contra Flamengo, pela 14ª rodada do Campeonato Brasileiro, domingo, às 16h, no Mineirão.
O clube celeste informou, nas redes sociais, que 20.084 ingressos já foram comprados para o confronto. A comercialização de entradas foi aberta na última segunda-feira para sócios e começa nesta sexta-feira nas bilheterias. Os tickets serão vendidos nas bilheterias do Ginásio do Barro Preto e do Gigante da Pampulha.
CLÁSSICO BRASILEIRO
Cruzeiro e Flamengo sempre fizeram clássicos importantes e empolgantes. Este agora de domingo, 16h no Mineirão, resulta na possibilidade de os celestes conseguiram a terceira vitória seguida no Brasileiro, marca importante, e o clube carioca, caso vença, voltar para o G-4. Lotação total é a previsão.
DIEGO ALVES TREINA EM RIBEIRÃO PRETO E ESPERA ACERTO DO FLAMENGO COM VALÊNCIA.
Diego Alves já deixou o Valência e treina no interior de São Paulo à espera do acerto entre Flamengo e o time espanhol.
A negociação entre Flamengo e o goleiro Diego Alves, do Valencia, empolgou o torcedor rubro-negro. Mas com o time na metade da temporada e quatro competições simultâneas no segundo semestre, fica a pergunta: como o goleiro está fisicamente? O último jogo oficial dele foi no dia 13 de junho, na vitória do Brasil por 4 a 0 sobre a Austrália, em Melbourne.
Leandro Franco, preparador de goleiros e treinador particular do jogador da Seleção, garante que Diego está em boa forma. Ele o acompanha há muito tempo e o treina diariamente em Ribeirão Preto, onde o jogador passa férias até definir o futuro.
O Flamengo, com negociações avançadas com Diego Alves, espera a definição do Valencia. Os empresários do jogador tentam a liberação dele na Espanha para que possam acertar com o Rubro-Negro

TROCA ENTRE BAYERN E REAL MADRI
O meia colombiano James Rodrigues que despontou na seleção de seu País, na Copa do Mundo do Brasil e em seguida foi negociado com o Real Madrid. Não é que agora, o Madrid perdeu interesse em ficar com o craque e James, reserva no time madrileno, interessou-se pela proposta do Bayern de Munique. Pediu pra ser trocado com o brasileiro Douglas Costa e os clubes chegaram num acordo por dois anos.

Comentários
Flavio Geraldo Anselmo
Escreva um comentário...



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Escolha a melhor forma de se identificar em Comentar como: Depois pitaque à vontade.