quarta-feira, 28 de fevereiro de 2018

TRINCHEIRA DO FLAVIO ANSELMO

 

estreia azul na libertadores não foi boa:

DEUSES DO FUTEBOL  ATUARAM CONTRA E DESFALCARAM CRUZEIRO AINDA MAIS  À ULTIMA HORA FACILITANDO VITÓRIA DO RACING EM BUENOS AIRES - 4 A 2.

Quem segue os passos deste filho de Sodico e Dona Geralda através de seus pitacos nas emissoras de rádio, nos programas de televisão, nas colunas dos jornais, sabe que ele mantém-se convicto quanto a ação extra-campo dos rotulados Deuses do Futebol.

Aliás, salvo melhor juízo, essa expressão, como outras tantas, foram criadas por ele e caíram rapidamente em domínio público face às verdades que detêm.

Não era bem aquele o time que Mano Menezes pretendia escalar: seu excelente goleiro Fábio foi retirado da meta azul antes da partida para viajar de volta ao Brasil e acompanhar o velório e o enterro de seu Pai e maior incentivador, Sr. José Maciel, em Nobres, no Mato Grosso.

Sem estar 100% recuperado de velha lesão, o goleador Fred sentiu incomodo na panturrilha direita aos 5m de jogo e foi substituído pelo anacrônico Rafael Sóbis que só se serviu da inoperosa correria e pela competência em perder gols fáceis na cara do goleiro adversário.

O lateral direito Edilson e o zagueiro Léo foram comunicados pela Conmebol de suas suspensões em outras competições continentais, porém com obrigação de cumpri-las naquela partida no Estádio Cilindro, em Avellaneda.

Querem mais outras intervenções negativas dos Deuses do Futebol?

Os substitutos Rafael, do goleiro Fábio; Lucas Romero, de Edilson; Manoel, de Léo; o garoto Murilo, na sua estreia neste tipo de torneio; Thiago Neves, ainda em recuperação de lesão, ficou no banco e seu substituto, o encapetado Arrascaeta e o novo ídolo Rafinha não estiveram bem, foram apagados.

O pior de tudo é que os Deuses infestaram a cabecinha jovem da joia argentina, Lautaro Martinez e o colocaram em estado de graça. Jogou como gente grande, craque que é, e marcou três gols. E pior ainda: o Cruzeiro, num todo, não esteve tal mal quanto pode parecer o placar de 4 a 2 para o Racing. Tudo porque os Deuses entortaram os pés dos atacantes azuis que muito chutaram e pouco acertaram as redes argentinas.

Segundo Thiago Neves, "perdemos para um time que jogou bem, jogou melhor,. Não que jogamos mal, mas erramos muito, e que isso fique como aprendizado".

TRINCHEIRA: Na realidade foi com ajuda dos Deuses um baile do camisa 10 do Racing na desorganizada defesa azul. O Baixinho de 1,67 de altura subiu mais que o grandão Manoel e marcou de cabeça o primeiro gol do Racing na defesa de Mano que, em 2018, só havia levado um gol."


segunda-feira, 26 de fevereiro de 2018

TRINCHEIRA DO FLAVIO ANSELMO

SE EU VIVESSE EM BUENOS AIRES SERIA DA HINCHADA DO RACING, PORÉM COMO VIVO EM BH, MEU MUNDO É PRA LÁ DE AZUL E ASSIM SERÁ NESTA NOITE DE LIBERTADORES.

 

Dou-me ao direito de sonhar sempre! Estive na final da Libertadores, em Buenos Aires e no terceiro jogo, em Santiago, entre Cruzeiro e River Plate. Aquele do famoso gol de Joãozinho, passando à frente de Nelinho pra cobrar a falta decisiva.

 

Estive em Montevidéu na terceira partida decisiva em campo neutro entre Cruzeiro e Boca Juniors, vencida pelos boquenses nas cobranças de penais. Rodei a América do Sul em todas as Libertadores com Atlético e Cruzeiro nos tempos de antanho. Lembro-me de gols incríveis, como o de Roberto Batata, no Peru, o último de sua maravilhosa carreira antes de morrer no trágico acidente.

 

Na Copa do Mundo de 78, me parece que fui à Avellaneda assistir uma partida entre duas seleções estrangeiras. Estive lá em vários jogos entre mineiros e argentinos pela Libertadores. Bons tempos nos quais eu viajava demais como diretor e comentarista principal das Rádios Guarani e Capital. Hoje me nego a deixar meu modesto escritório de escritor no despenhadeiro da Abre Campo, no Bairro Santo Antônio, pois o futebol de agora torrou meus culhões.

 

ESTRÉIA DO AZULÃO NA LIBERTADORES

 

o Cruzeiro estreia nesta terça-feira na Taça Libertadores atrás do tricampeonato do torneio. Pega logo osso duro de roer o Racing, dos mais populares clubes de futebol na belíssima Buenos Aires. O time de Avellaneda, região metropolitana de Buenos Aires, vive bom momento.

 

Não perde no Campeonato Argentino desde 28 de janeiro, quando foi superado pelo Unión Santa Fé, fora de casa. Depois, emplacou triunfos contra Huracán (4 a 0), Olimpo (2 a 1), Lanús (3 a 1) e Godoy Cruz (2 a 1). O La Academia ocupa o quinto lugar na classificação, com 28 pontos.

O time mudou de treinador em dezembro passado. Eduardo Coudet assumiu após a saída de Diego Cocca, último comandante a levar o clube alviceleste ao título argentino, em 2014. O curioso é que os dois trocaram de times: Cocca assumiu o Tijuana, clube que era dirigido por Coudet.

Coudet não poderá ficar no banco de reservas na partida contra o Cruzeiro porque cumprirá suspensão por confusão generalizada quando comandava o Rosário Central em 2016. O auxiliar técnico Ariel Broggi será o seu substituto.

Para lutar pelo título da Libertadores, o Racing foi ao mercado e contratou bons nomes: os meias Centurión (Genoa-ITA) e Neri Cardozo (Monterrey-MEX); o volante  Nery Dominguez (Independiente-ARG); os zagueiros Donatti(Tijuana-MEX) e Sigali (Dínamo de Zagreb-CRO) e o lateral-esquerdo Gonzalo Piovi.

O Racing não poupou dinheiro. Prova disso é que fez a aquisição mais cara da sua história: Centurión custou 4 milhões de euros (R$ 15,7 milhões) por 70% de seus direitos econômicos. 

Como joga o Racing

 

"O estilo Coudet oferece pressão alta e ataques diretos depois da roubada de bola, com a recuperação pelos meio-campistas e laterais, que se lançam ao ataque. Também há jogadas de bolas paradas a partir dos especialistas que chegaram no último mercado de passes", disse o jornalista Christian Leblebidjian, do jornal La Nación.

Racing deve jogar no esquema 4-1-3-2. O goleiro será o jovem Juan Musso, de 23 anos. Os laterais de projeção serão Renzo Saravia e Alexis Soto. No miolo de zaga, Leonardo Sigali e Alejandro Donatti, ambos chegaram ao clube no início do ano. O experiente Nery Domínguez é o volante central. O trio de meias, rápido e inteligente, deve ser formado por Diego Gonzáles, Matias Zaracho e Neri Cardozo. Na frente, a revelação Lautaro Martínez e o experiente Lisandro López.


CRUZEIRO

Título, vitórias marcantes e decepções:  retrospecto do Cruzeiro contra maiores clubes do futebol argentino em Libertadores

Segundo o jornalista Rafael Arruda, do Superesportes, o Clube celeste já enfrentou Boca Juniors, River Plate, Independiente e San Lorenzo pela maior competição futebolística do continente americano. Primeiro duelo com o Racing será nesta terça, às 21h30, em Avellaneda

 

Da parte deste filho do Sodico e da dona Geralda, nascido na belíssima República Independente de São João do Caratinga, minhas idas e vindas a Buenos Aires, Rosário, Mar del Plata, Mendoza e cidades da região metropolitana de Buenos Aires devem-se a jogos contra os cinco chamados grandes argentinos. E claro pelos jogos entre as Seleções Argentinas e Brasileiras e a Copa do Mundo de 78. Nesta, eu fiquei 40 dias por lá, rodando por belas cidades.


"Embora tenham ocorrido vários jogos por torneios como Supercopa, Copa Máster e Mercosul, o Cruzeiro nunca encarou o Racing pela Copa Libertadores da América. O debute desse duelo na maior competição do continente acontece às 21h30 desta terça-feira, no estádio Presidente Perón, conhecido como El Cilindro, em Avellaneda (ARG). A partir do momento em que a bola rolar na Argentina, a Raposa já terá enfrentado todos os gigantes do país "Hermano" na Libertadores",
escreve o jornalista Rafael Arruda..

 

E vai mais adiante o excelente periodista tupiniquim: "Dos 148 jogos disputados pelo Cruzeiro na competição, 18 foram diante dos grandes argentinos. E o retrospecto geral aponta equilíbrio: são oito vitórias celestes, três empates e sete derrotas. Levando em consideração apenas os jogos na Argentina, a equipe mineira ganhou duas vezes, empatou uma e perdeu cinco.

 

Sem dúvidas, a maior vitória aconteceu no terceiro jogo da final de 1976, no dia 30 de julho, quando o Cruzeiro se sagrou campeão da Libertadores pela primeira vez ao bater o River Plate. O gol de Joãozinho aos 43min do segundo tempo garantiu o triunfo por 3 a 2, no estádio Nacional de Santiago, no Chile. Nelinho e Eduardo marcaram os outros gols celestes, enquanto Oscar Mas e Urquisa fizeram os do River.

Em 1994, mais uma página heroica e imortal foi escrita na história do Cruzeiro. No dia 16 de março, o goleiro Dida se transformou num verdadeiro paredão e segurou o 0 a 0 no primeiro tempo do jogo contra o Boca Juniors, no La Bombonera, pela fase de grupos. Na etapa final, uma bela cobrança de falta do lateral-direito Paulo Roberto Costa aos 14min abriu caminho para a vitória celeste. Roberto Gaúcho ampliou a vantagem aos 27min. No fim, Acosta fez o gol de honra do Boca (2 a 1), que amargava a quarta derrota em casa contando todas as participações em Libertadores.

 

Mas o mesmo Boca Juniors havia sido anos antes algoz cruzeirense pela competição. Em 1977, os xeneizes

venceram a final da Libertadores nos pênaltis, por 5 a 4, depois de empate sem gols no tempo normal. A terceira partida da final aconteceu em 14 de setembro, no estádio Centenário, em Montevidéu (URU). Já em 2008, o Boca voltou a impor sua força no confronto válido pelas oitavas de final e ganhou os dois jogos por 2 a 1, no La Bombonera e no Mineirão.

 

Em 2014 e 2015, o Cruzeiro amargou eliminações nas quartas de final da Libertadores para San Lorenzo e River Plate. Esta última gerou um sentimento forte de decepção nos torcedores, pois o time havia vencido a partida de ida no Monumental de Núñez, por 1 a 0, porém foi goleado na volta por 3 a 0, no Mineirão.

Já contra o Independiente, o Cruzeiro deixou escapar grande chance de disputar a final da Libertadores de 1975. O time celeste poderia perder por 2 a 0 ou 3 a 1 a partida de encerramento do triangular da semifinal, mas acabou goleado por 3 a 0, em Avellaneda. O resultado fez os Rojos avançarem pelo saldo de gols, deixando a Raposa e o Rosário Central para trás. O time argentino ganhou a competição ao bater na decisão a Unión Española, do Chile.

Outros adversários argentinos

 

Cruzeiro enfrentou, ao todo, 14 clubes argentinos. E criou uma espécie de rivalidade com alguns fora da lista dos cinco grandes, casos de Estudiantes (algoz na final da Copa Libertadores de 2009) e Vélez Sarsfield (adversário da decisão da Supercopa de 1996).

Contabilizando amistosos e competições oficiais, a Raposa encarou também Argentinos Juniors, Atlético Tucumã, Belgrano, Chacarita Juniors, Huracán, Rosário Central e San Martín.

No geral, foram 97 partidas contra times argentinos. O Cruzeiro ganhou 49, empatou 14 e perdeu 34. São 134 gols pró e 123 contra.

 

 


TRINCHEIRA DO FLÁVIO ANSELMO

PARA AONDE CAMINHAMOS?...

 

(Flávio Anselmo)

 

O TÍTULO poderia encerrar-se com ponto de interrogação, como se o articulista, em dúvida, quisesse saber várias outras opiniões.

 

Ou em três pontinhos:  significaria  que se tem a resposta da questão, numa demonstração de onisciência, somente admitida no Poder Supremo.

 

Admito que a segunda hipótese, entretanto, permite divagações face aos acontecimentos que explodem em manchetes diárias.

 

De uma coisa todos temos certeza e nem precisamos de forças divinas pra estabelecer a verdade desses fatos: o mundo caminha pra autodestruição.

 

A humanidade está podre, incrédula, egoísta, vampiresca e suja.

 

Sodoma e Gomorra são paraísos extintos pertos do que apuramos, assistimos (sem nenhuma indignação) nos noticiários das tevês. A arte imita a vida, hoje a vida imita a arte. O faz-de-conta das novelas globais (83% de audiência nacional) são folhetins escaneados da vida comum.

 

De tal forma assustadora tal realidade que nós, pais e avós, em vez do descanso merecido da aposentadoria, desdobramos-nos numa vigilância espiritual e material pra cuidar dos jovens, nossos descendentes, desacostumados pela correria do tempo de hoje, a proteger sagrados princípios que a humanidade já nem releva mais.

 

Meu mano Fábio Paceli, de Brasília, é incansável em descobrir lições de vida. Mandou-me esta frase da filósofa russo-americana Ayn Rand ( judia, fugitiva da revolução russa, e que chegou aos Estados Unidos na metade da década de 1920).  Mostra visão com conhecimento de causa:

 

"Quando você perceber que, para produzir, precisa obter a autorização de quem não produz nada;

quando comprovar que o dinheiro flui para quem negocia não com bens, mas com favores;

 

quando perceber que muitos ficam ricos pelo suborno e por influência, mais que pelo trabalho;  que as leis não nos protegem deles, mas, pelo contrário, são eles que estão protegidos de você;

 

quando perceber que a corrupção é recompensada e a honestidade se converte em auto-sacrifício; então poderá afirmar, sem temor de errar:

 "a nossa sociedade está condenada".

 

 


domingo, 25 de fevereiro de 2018

TRINCHEIRA DO FLAVIO ANSELMO

ELEIÇÕES 2018

SÓ DEPENDE DO URSO BRAVO PRA GENTE COLOCAR KALIL NO PALÁCIO DA LIBERDADE

Membros do PHS querem candidatura de Kalil, prefeito desconversa.

-O quê que é isso, Urso Bravo? Arregaça as mangas e senta a pua nesta turma de políticos ultrapassada. Minas precisa de machos corajosos, sem manhas políticas pra ser levantada do ultrajem no qual foi enfiada por este fracassado e perigoso Fernando Pimentel. Só alguém com o seu perfil de Urso Bravo, deixando a hibernação, pode realizar tal proeza.

-"Vamos lá, Urso Bravo", os mineiros te querem no Palácio da Liberdade, para onde a Democracia Mineira retornará, abandonando aquele monte de corrupção lá Cidade Administrativa, construída pela gulodice do neto do saudoso Tancredo e de sua irmã. Estaremos - Caratinga e eu, e toda Geraes - com você, meu amigo e ídolo.

PARTIDO PRESSIONA

Partido quer lançar o prefeito de BH ao governo de Minas, que, questionado, diz apenas que é 'homem de palavra', de cara raspada, livrando-se daquela barba de Fidel Castro, outro ídolo meu.

FURACÃO KALIL

Feito ciclone a pré-candidatura do prefeito de Belo Horizonte, Alexandre Kalil (PHS), ao governo de Minas Gerais nas eleições deste ano domina latifúndio mineiro. Em evento do PHS, na manhã deste sábado (24), na Câmara Municipal, região Centro-Sul da capital mineira, filiados do partido, por diversas vezes, falaram que ele será o próximo chefe do Executivo. O prefeito, no entanto, não confirma nem nega se vai tentar o pleito.
Após o evento, Kalil disse à ávida Imprensa que é homem de compromisso. Ou seja, deu a entender que cumprirá o seu mandato até o fim.
-"Eu tenho vários defeitos. Todo mundo os conhece. Eu tento, todo dia, diminuí-los. Todavia, tenho algumas qualidades, e uma é bem forte: eu quero falar que sou homem de compromisso e palavra", afirmou.
Fontes da legenda consideraram a movimentação como "balão de ensaio" para conseguir elevar o nome da legenda nacionalmente e conseguir mais atenção pra o evento partidário. É dito que o prefeito já demonstrou interesse em disputar outro cargo público, mas somente em 2022. Entre os motivos pra ele não disputar agora estão o desejo de finalizar o mandato - que termina em 2020 -, e a difícil situação financeira do Estado, como o pagamento do funcionalismo feito atualmente de forma escalonada e o atraso em repasses para as prefeituras mineiras.
Se for candidato, Kalil tem que deixar a Prefeitura até 7 de abril a fim de entrar na corrida eleitoral. Esse é o prazo máximo determinado pela Justiça Eleitoral pra agentes políticos se descompatibilizarem dos cargos.

Senado

Durante o evento partidário, Alexandre Kalil fez discurso eleitoral, parecido com o de 2016, quando disputou as eleições municipais. Pessoas presentes no encontro até mesmo pensaram que ele iria revelar o desejo de disputar a administração estadual, mas o Prefeito informou que o jornalista Carlos Viana seria apoiado pelo PHS na disputa ao Senado. Este, no entanto, diz ainda que analisa o convite.
O jornalista contou que aceita o convite com carinho e confiança, mas que a decisão sobre a filiação virá próximo do mês de abril.
"Já conversei com vários partidos, surgiram muitos boatos, histórias e tudo mais. Mas a minha decisão caminhou agora para analisar tudo que eu recebi e até o dia 7 de abril vou anunciar a filiação definitiva", declarou Carlos Viana, que pretende pleitear uma cadeira ao Senado.
O prefeito declarou que a "festa da mala acabou. Não adianta; não vamos comprar ninguém, comprar com empreguinho, com dinheirinho. Vamos atender esse povo que abandonado e jogado. Está jogado pelos carregadores de mala que durante anos e anos nunca olharam até se instalar o caos absoluto no Estado de Minas Gerais", disse.

Esta declaração do URSO BRAVO, no entanto, deu a entender que ele não coloca somente na conta do governador Fernando Pimentel (PT) a crise econômica de Minas Gerais. 
-"Não vamos aqui colocar na conta de um. Ninguém estoura os recursos do Estado em dois ou três anos. Acabar com este fato vergonhoso, liquidar Minas Gerais demorou muitos anos. Eles liquidaram este Estado e agora cabe ao nosso senador (Carlos Viana) ajudar a reconstruir este Estado, que precisa da saúde decente, de educação, de segurança, nada mais do que isso. É pagar o funcionalismo em dia, é trabalhar sério", disparou Alexandre Kalil.

Batuque

Faixas com os dizeres "Minas tem jeito, Kalil governador" e "Kalil, governador pra funcionar! É bom pra BH, é bom pra Minas!" foram espalhadas pelo prédio do Legislativo. O prefeito foi recebido com batuques da bateria da torcida organizada Galoucura, ao som de: 
"Não tem conversa, não tem caô, vamos eleger Kalil governador".
Durante a música e falas de correligionários pedindo que ele se candidate ao governo de Minas, o prefeito manteve uma expressão séria e riu poucas vezes.


sábado, 24 de fevereiro de 2018

TRINCHEIRA DO FLAVIO ANSELMO

Homem condenado por extorquir Tardelli é preso em Itabira

 Simon Nascimento* /Estado de Minas

 

A Polícia Militar de Itabira, na Região Central de Minas Gerais, prendeu na madrugada desta quinta-feira um foragido da Justiça que havia sido condenado em março de 2014 pelo crime de extorsão contra o atacante e ex-jogador do Atlético Diego Tardelli, atualmente no Shandong Luneng da China

 

De acordo com a corporação, Arthur Venâncio Duarte Barbosa, de 28 anos, estava em casa, no Bairro Amazonas, quando foi localizado e preso. Havia um mandado de prisão em aberto para o homem desde julho de 2017.

 

Diego Tardelli foi vítima do crime em junho de 2010 e registrou um boletim de ocorrência na 4ª delegacia da Polícia Civil, no Centro de BH. Na queixa, consta que um homem enviou mensagens para o jogador, identificando-se como hacker e dizendo que havia criado um software que conseguia capturar todas as telas de celular e computador usadas por Tardelli. 

 

Ainda conforme a ocorrência, o suspeito ameaçou divulgar o material, dizendo que isso poderia causar "transtornos incalculáveis" à carreira do jogador. Consta ainda no boletim de ocorrência que o homem exigia R$ 100 mil do atleta para não divulgar o conteúdo.

Após os registros, a Polícia Civil começou a investigar o caso e, em 30 de junho de 2017, Arthur Venâncio Duarte Barbosa foi preso no Centro de BH, em cumprimento a mandado judicial. O inquérito foi finalizado e, nos autos do processo, constam cópias das mensagens enviadas por Arthur ao jogador, com cobranças e ameaças. 

 

O Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG) informou que Arthur Venâncio foi  condenado em 27 de março de 2014 a cinco anos e quatro meses em regime semiaberto, mas recorreu por três vezes da pena, sendo a última ao Superior Tribunal de Justiça (STJ), solicitando que o cumprimento fosse em prisão domiciliar, mas o pedido foi negado.

 

O cumprimento da pena, segundo o TJMG, começou em 5 de julho de 2017, e o mandado de prisão cumprido na madrugada desta quinta-feira foi expedido em 18 do mesmo mês pela magistrada. 

 

A assessoria de imprensa do Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG) informou que Ricardo Henrique Pinto Coelho, de 25 anos, também foi condenado por envolvimento no crime e está preso. 

 


TRINCHEIRA DO FLAVIO ANSELMO

 

DESPREZADO NO SANTOS, DONIZETE QUER VOLTAR AO GALO

 

O volante Leandro Donizete está encostado no Santos. Ficou de fora até da lista de inscritos do clube no Campeonato Paulista. Com mais 22 meses de contrato pela frente, ele tenta negociar sua saída do Peixe para voltar a jogar. O experiente jogador, de 35 anos, foi oferecido ao Atlético. 

"Existe o interesse dos dois (Atlético e Donizete)", disse o empresário Edson Khodor, - "Donizete não quer ficar no Santos. Tem contrato até dezembro de 2019 e não vai ser aproveitado. A vontade dele é sair desde o ano passado", completou o agente.

Donizete deixou o Atlético em 2017. Hoje tem salário dos maiores da folha do Santos.
"Ele adora Belo Horizonte, tem investimentos na cidade, voltar seria uma grande oportunidade para clube e jogador. Mas a negociação depende dos clubes. Santos e Atlético precisam se entender", afirmou o empresário Khodor.
"Não posso dizer que tem 50%, 70% de chances. Temos que esperar os clubes se acertarem",
adicionou.

Na temporada passada, Donizete fez apenas 22 jogos (4 pela Libertadores, 9 pelo Brasileiro, 2 pela Copa do Brasil e 7 pelo Campeonato Paulista). Em 2018, ele ainda não jogou. O técnico do Santos, Jair Ventura, já informou o atleta que não pretende contar com o futebol dele.

Atualmente, o Atlético conta com seis volantes no elenco: Yago, Elias, Adilson, Roger Bernardo, Gustavo Blanco e Arouca.  A imprensa tentou contato com o péssimo diretor de futebol do Atlético, Alexandre Gallo, que não atendeu o telefone. 

Nesta quarta-feira, a Gazeta Esportiva e a rádio Inconfidência noticiaram que o Atlético propôs trocas por empréstimo do meia Cazares e do lateral-direito Patric por Victor Ferraz, Copete e Leandro Donizete. O Santos teria recusado a negociação.

��+ (9

TRINCHEIRA DO FLAVIO ANSELMO

EMPATE SEM GOLS EM TOMBOS, SOB CHUVA, É COMEMORADO POR TOMBENSE E AMERICA  QUE NÃO PERDEM POSIÇÃO NO CLASSIFICAÇÃO GERAL

Eu queria acompanhar esta partida íntegra pela Rádio Sonora 104 de Tombos, instituição que já se tornou costumeira no meu computador pela qualidade da equipe de profissionais da emissora, comandada por Frederico Linhares, excelente narrador.

Infelizmente, não me foi possível porque minha querida filha Juliana chegou às 13h de Caratinga, com o marido Gustavo, e com hora marcada pra operar o joelho, maltratado pelo excesso de aulas e festivais de balé e danças em geral, na sua Academia Aplausos, da minha querida Terrinha Natal. A artroscopia a que ela se submeteu foi feita por um dos melhores e mais entendidos especialistas em joelho deste País, Dr. Octacílio da Mata Lopes Júnior, filho da Dona Eni Rodrigues e do saudoso Dr. Lopes, de Corinto.

Junior foi responsável pelo departamento médico do Cruzeiro por mais de 15 anos e pediu demissão quando a coisa degringolou. Aqui na minha casa, é responsável por todo mundo e, principalmente, por mim quando quase morri. Operou os joelhos dos meus filhos Alexandre (professor Santelmo) e Flávio Júnior.

Porém tive oportunidade de ouvir alguns comentários dos meus amigos da Rádio Sonora, após a partida e por isso fiquei por dentro dos acontecimentos. O jogo só foi bom no primeiro tempo, no segundo caiu bastante. Ninguém mereceu vencer e até os comentaristas  de lá receberam bem o empate em 0 a 0, porque o Tombense chegou a 12 pontos e manteve-se em terceiro lugar. O Coelho chegou a 13 pontos e corre risco de perder sua vaga de segundo lugar nos jogos deste sábado e domingo.

Os jogos deste final de semana são os seguintes:

8ª RODADA

PATROCINIO C

X

VILLA

24/02/2018 16:00 - Pedro Alves do Nascimento

CRUZEIRO 

X

BOA ESPORTE

24/02/2018 16:30 - Mineirão

CALDENSE

X

URT

25/02/2018 16:00 - Ronaldão

TUPI

X

 GALO

25/02/2018 17:00 - Mário Helênio

DEMOCRATA

X

      

UBERLÃNDIA

No Estádio Mamud Abas - em GV


quinta-feira, 22 de fevereiro de 2018

TRINCHEIRA DO FLÁVIO ANSELMO

 

TOMBENSE RECEBE AMÉRICA 6ª FEIRA À NOITE NA ABERTURA DA 8ª RODADA DO MINEIRO

  

Parada indigesta terá o América de Enderson Moreira nesta sexta-feira ao enfrentar no Almeidão, na bela Tombos, o quarto colocado Tombense, comandado pelo jovem treinador Ramon Meneses, contratado para a temporada de 2018 visando o Mineiro e a Série C. Com passagens  pelo Cruzeiro, Vitória, Vasco, Atlético-MG e Joinville, Ramon, de 45 anos, tem experiência como treinador na Aseev-GO, Anápolis-GO, Guarani-MG e Joinville.

 

Segundo a diretoria do Tombense, -"optamos pelo Ramon por ser  treinador jovem, que já trabalhou no Joinville, Anápolis, Guarani-MG e conhece o Mineiro. É um treinador novo, com mentalidade nova e passamos o projeto do clube para o ano. Entramos em um acordo e ele aceitou o projeto. Abraçamos isso juntos e esperamos que seja bom para os dois".

Ramon trabalhou no Estadual de Minas Gerais no ano passado, quando assumiu o Guarani-MG, que brigava para não cair, a quatro rodadas do fim da competição. Na ocasião, o técnico conseguiu duas vitórias, um empate e uma derrota, mas não conseguiu evitar o rebaixamento do Bugre. Ele também comandou o JEC na Série B de 2016, clube onde começou como auxiliar técnico. O último time foi o Anápolis, na Série D deste ano.

CABEÇA FRESCA DO COELHO

 

O América encerrou a preparação da partida contra o Tombense, no treinamento desta quinta, no CT Lanna Drumond. O técnico Enderson Moreira comandou trabalho tático e esboçou o time titular do Coelho. 


Neste confronto desta sexta, o América estará desfalcado novamente do goleiro João Ricardo. O titular do gol americano continua em tratamento no departamento médico devido a desconforto muscular na coxa direita. Já o zagueiro Lima, que se queixou de dores na região lombar, ficou fora da última atividade antes da partida em Tombos. 

Enderson Moreira iniciou o treino com atividade de troca de passes, exigindo movimentação dos atletas. Em seguida, ele orientou rápido treino tático, com ênfase nas bolas paradas defensivas e ofensivas. O treinador fez mudanças ao longo do treinamento. Alguns jogadores, como Norberto, Carlinhos, Rafael Moura e Aylon, praticaram cobranças de falta e pênaltis.

A provável escalação do América para encarar o Tombense é Glauco; Norberto, Messias, Rafael Lima e Giovanni; Zé Ricardo e Juninho; Aylon, Serginho e Luan; Rafael Moura. Após o treino, a delegação americana viajou de ônibus e ficará hospedada em Pedra Dourada, cidade localizada a 23km de Tombos. 

O América busca recuperação no Campeonato Mineiro depois de derrota no clássico contra o Atlético, por 3 a 0, no fim de semana passado. O Coelho é o vice-líder do Estadual, com 13 pontos. Já o Tombense ocupa o quarto lugar, com dois pontos a menos.

 

q.NF�zH+�

TRINCHEIRA DO FLAVIO ANSELMO

GALO DÁ UMA AULA DE CONTRA-ATAQUE E GOLEIA BOTAFOGO NA PARAÍBA: 4 A 0

 

Se você não acompanhou pela Globo nesta quarta-feira à noite, a goleada do Atlético sobre o Botafogo-PR, no Estádio Almeidão, em João Pessoa, perdeu uma verdadeira aula de como jogar futebol moderno, defendendo bem e atacando em velocidade. A aula durou 45m exatos, sem qualquer acréscimo da arbitragem, no segundo tempo. Isso porque na fase inicial , o Botafogo conseguiu segurar o Galo que teve apenas paciência e bom toque de bola, mas ninguém no meio-campo que fizesse a ligação rápida de contra-ataque.

Porém foi numa jogada típica que o Atlético abriu o marcador aos 27m. Otero recuperou uma saída de bola dos locais e em velocidade foi ao fundo, cruzando na medida para a cabeçada de Roger Guedes, sem chance de defesa do goleiro Edson: Galo 1 a 0.

No segundo tempo, o jovem Thiago Larghi, treinador interino que já merece ser efetivo, mexeu com acerto ao colocar Casares no lugar de Erick, que não vinha bem. Aos 15m, foi marcado o segundo gol, num rápido contra-ataque, puxado por Otero, que lançou Elias. Com ligeiro toque, deixou Casares na frente da meta. Casares driblou dois, e com simples toque mandou a bola às redes: Atlético 2 a 0, golaço de Casares.

O terceiro gol foi anotado por Ricardo Oliveira, ainda num contra-ataque puxado por Roger Guedes, aos 31m. A bola foi a Otero, que em mais uma assistência notável, colocou o centroavante na cara do goleiro Edson. Com o faro de artilheiro que não brinca em serviço, Ricardo Oliveira tocou de chapa de pé direito no canto de goleiro e marcou 3 a 0, com incrível facilidade.

Apesar de filme repetido, o quarto gol foi de rara beleza, pela velocidade usada por Otero e pelo passe na medida pra Luan, que entrara no lugar de Roger Guedes e manteve os episódios dos contra-ataques como fazia o titular. Luan emendou da entrada da área, de primeira, e fez o placar final no Almeidão, despachando o Botafogo-PR da Copa do Brasil: Atlético 4 a 0. O próximo jogo do Galo será contra o Figueirense, no Estádio Orlando Scarpelli, em Santa Catarina na próxima quarta-feira. Nesta fase acontecerá duas partidas e a segunda entre Atlético x Figueirense será dia 14 de março, em Belo Horizonte.

Após a partida, o atacante Roger Guedes comentou que "-a boa atuação do Atlético nos contra-ataques teve o dedo do técnico Thiago Larghi, além do que  a gente vem se entrosando, e soubemos usar a velocidade como ele orientou e pediu. Deu certo."


quarta-feira, 21 de fevereiro de 2018

TRINCHEIRA DO FLAVIO ANSELMO

HOJE TEM GALO OUTRA VEZ NA COPA DO BRASIL NA PARAÍBA CONTRA BOTAFOGO LOCAL, DIRIGIDO  POR MINEIRO

 

 

Detalhe importante neste jogo em João Pessoa, nesta quarta-feira, à noite, entre Botafogo-PB e Atlético, pela segunda fase da Copa do Brasil, será o confronto fora de campo de dois jovens técnicos.

 

O mineiro Leston Júnior, de 39 anos, está no futebol há 20 anos, e desde 2010 é treinador profissional. Já são dez trabalhos no período. À frente do time paraibano, está invicto este ano e começa a ganhar visibilidade nacional.

 

No banco atleticano estará Thiago Larghi, de 37 anos, que vive sua primeira experiência como comandante. Interino desde a demissão de Oswaldo de Oliveira, ele fez carreira como analista de desempenho – inclusive na Seleção - e busca com seus cursos no Brasil e no exterior, credenciais para ser efetivado.


Leston Júnior

 

Natural de Divinópolis, Leston Júnior iniciou sua carreira de treinador nas categorias de base de Cruzeiro, América e Bahia. Sua estreia como profissional foi em 2010, no Inter de Bebedouro SP, aos 31 anos. Desde então, passou por Olímpia-SP (2012), Guarani-MG (2013/2014), Madureira (2014), Tupi (2015), Mogi Mirim (2016), Remo (2016), Villa Nova (2017) e Moto Club (2017). O trabalho no Botafogo-PB começou em outubro do ano passado, mas com foco no planejamento e na montagem do elenco para esta temporada.

 

Leston lembra com carinho os primeiros trabalhos como profissional em clubes do interior paulista; a passagem pelo Madureira, em 2014; e o acesso do Tupi à Série B, em 2015.

"Em São Paulo, fiz a transição base para o profissional. Tive uma sequência de bons trabalhos no interior, com acessos, depois o quase acesso à Série B com Madureira, e o acesso à Segunda Divisão com o Tupi em 201,  consolidou o trabalho e abriu o mercado nacional".


segunda-feira, 19 de fevereiro de 2018

TRINCHEIRA DO FLAVIO ANSELMO

BOLAS TIVERAM OUTRO DESTINO DAQUELE APONTADO PELA ARBITRAGEM

A arbitragem  comandada por Igor Bevenuto, conforme  chiou o presidente do América, Marcus Salum, realmente aprontou uma das maiores sacanagens jamais vistas no Campeonato Mineiro em uma só partida.

Prejudicou, junto com seu assistente, Guilherme Dias Camilo, - considerado o melhor do Brasil, com certeza amigo leal de Eduardo Cunha - o América ao marcar a entrada da bola cabeceada pelo atacante atleticano e que não ultrapassou a linha do gol;

E no segundo tempo, com o placar em 1 a 0 pró Atlético, com  este gol pirata, num lance idêntico, não deixou a bola entrar e não deu gol do Coelho.

Mauro Molinari, meu primo e americano puro sangue, pois meu Tio Zezito torcia pro América local, em Caratinga e veio para BH ser americano verdadeiro. Cara e alma do Pai, o primo Mauro sofre e vibra com o Mequinha.

Mauro recebeu mensagem da Avacoelhada Desorganizada com o mais perfeito tira-teima que vi este final de semana. E me tirou as dúvidas. A bola do Galo não entrou e a do Coelho entrou.

 Não me venham dizer que no lance do América seria apenas empate em 1 a 1 e que o jogo terminou com a vitória atleticana por 3 a 0. Desta forma, o placar final seria de 3 a 1.

No entanto, acontecia naquele momento, uma reação do América; poderia até mesmo virar o marcador e ganhar o jogo, ainda que o Galo lançasse o garoto argentino bom de bola Tomás Andrade, grande destaque na vitória alvinegra, além da arbitragem tendenciosa.

t

domingo, 18 de fevereiro de 2018

TRINCHEIRA DO FLAVIO ANSELMO

GALO BICA MÁ FASE E GOLEIA COELHO EM CLÁSSICO CONFUSO DE LANCES QUE DEIXARAM DÚVIDAS: BOLAS ENTRARAM OU NÃO?

 

No primeiro tempo, o jogo foi bem equilibrado em boa parte, porém nos 10m finais, o Galo mandou e até conseguiu fazer 1 a 0, na primeira polêmica do clássico. Linha de passe pelo alto, e Roger Guedes cabeceia pra meta.

 O goleiro americano Glauco cai lá dentro e estica o braço direito dando soco na bola. O assistente Guilherme Camilo, considerado um dos melhores -senão o melhor - bandeira do futebol tupiniquim assinala que a bola pelo alto ultrapassou a linha do gol e corre para o meio-campo, alertando o árbitro que confirma o lance e o gol.

Vibração total no banco do Atlético e da torcida no Independência. Os americanos não concordaram alegando que a bola não havia entrado.

Discussão: a bola entrou ou não entrou? Ninguém sabe de verdade e ninguém viu de verdade? Todos pitacaram e chutaram.

 No segundo tempo, novas emoções e discussões foram reservadas. Outro lance de polêmica e dúvida geral;

 O Galo tomou conta. As duas substituições feitas por Enderson Moreira no intervalo, não surtiram efeito. O técnico do Galo, Thiago, esperou  mais e optou pela entrada do argentino Tomás Andrade. Revolucionou o jogo.

Antes o segundo lance polêmico: confusão na área do Galo e Marquinhos, ex-Cruzeiro, que havia entrado no time americano, cabeceou para defesa de Victor. A bola subiu e foi tirada no alto por Gabriel, do jeito que aconteceu no primeiro gol do Galo; os americanos pediram gol, o árbitro Igor Bevenuto não deu nada, pois o assistente Guilherme Camilo não correu pro meio-de-campo. A bola entrou ou não entrou? Ninguém sabe ninguém viu, só ouvimos chutes e pitacos.

 GAROTO ARGENTINO REVOLUCIONA

O menino Tomás Andrade, argentino contratado pelo Atlético, entrou aos 38m e botou fogo na partida. Sua luta e qualidade técnica com a perna esquerda criaram o segundo gol atleticano. Ele ganhou a disputa com a zaga alvinegra e virou o jogo para Roger Guedes, na ponta direita. Este mandou uma bomba cruzada e a bola desviou em Norberto e entrou. Galo 2 a 0.

O Coelho, longe de repetir suas atuações seguras no Campeonato, ficou perdido em campo. Então, de novo o argentino assumiu a bola pela esquerda, levantou a cabeça e viu Ricardo Oliveira entrando livre pela direita. Se passe saiu na medida e o goleador atleticano fez 3 a 0, Ricardo Oliveira.

Agora, o Galo se volta para a Copa do Brasil e tem jogo decisivo contra o Botafogo de João Pessoa, nesta quarta-feira, lá na Paraíba. O América joga contra o Tombense, no sábado, em Tombos, pelo Campeonato Mineiro,


sexta-feira, 16 de fevereiro de 2018

TRINCHEIRA DO FLAVIO ANSELMO

PARTE DA IMPRENSA JÁ MUDA SEUS CONCEITOS SOBRE NEYMAR

 

 Ao acompanhar a transmissão da Band sobre o jogo Real Madrid e PSG, os comentários de Neto foram me enojando por causa dos "baitas" dele e da proteção exagerada com Neymar. Lembrei-me então que em 2010, após o jogo do Santos contra o Atlético-GO, dirigido por ele, Renê Simões, o treinador afirmou que nós estávamos criávamos "um monstro no futebol brasileiro". E explicou:

 

-" Estou desde garoto no futebol e poucas vezes vi alguém tão mal-educado desportivamente. Sempre trabalhei com jovens e nunca vi nada assim. Está na hora de alguém educar esse rapaz, ou vamos criar um monstro" - disse René na época.

 

 E Renê estava coberto de razão, pelo que se vê. A mídia não cessa de cobrir as atuações e atitudes selvagens de Neymar, até quando ele não joga nada como aconteceu nesta partida de Madrid, com a derrota do PSG por 3 a 1.

 

OPINIÃO DE CASAGRANDE

 

Outra opinião que pesa pelo veículo onde trabalha, é a de Walter Casagrande. Com a experiência de ter disputado competições europeias pelo Porto (Portugal) e Torino (Itália), Casagrande afirmou que o Paris Saint Germain sofre por não ter tanta tradição na Europa. E que o time não vai virar potência no futebol europeu apenas contratando jogadores a peso de ouro.

 

- A camisa e a história pesam muito na Europa. Quando você entra em um mata-mata e você tem pela frente uma potência desse tipo (Real Madrid), é muito difícil ganhar. Não é para qualquer um. Você tem que ter um pouco de história. Não adianta você contratar um monte de grandes jogadores e colocar a camisa do Paris. Não adianta. - afiançou Casagrande.

 

-"O Paris não vai virar grande time, com grande história só por colocar grandes jogadores com a sua camisa. Não vai virar. A camisa do Paris continua a mesma e a história continua a mesma. Do lado de lá isso leva importância.

O Real vai falar "os caras são bons, mas qual a história deles? Com qual camisa eles vão jogar? Então vamos para cima deles". - declarou Casão.

 

Se você colocar o mesmo time do Paris  na Juventus de Turim, aí seria outra parada (...) Pode ser até que o Paris vire. Mas eu acho muito difícil, e a tendência é que o Real faça mais três ou quatro porque o Paris vai ter que ir para cima. Mas o Real tem o Cristiano Ronaldo - disse Casagrande.