domingo, 4 de fevereiro de 2018

HISTÓRIA DA MÁRTIR, IRMÃ ADELAIDE MOLINARI, CONTADA PELA MANA NELLY

 

A história das famílias Anselmo e Molinari é longa, mas agradável. Gosto muito de curti-la ou vivê-la, como, por exemplo, na comemoração dos aniversários da Tia Dilce Molinari, única sobrevivente dos meios-irmãos de meu pai, Sodico, que na hierarquia histórica da árvore genealógica seria o mais velho.

Tia Dilce, uma figura amada, carismática, bela, está com 102 anos e a cada festa de aniversário, se reúne toda família num clube ou na fazenda de seu genro.

 

Agora, passo a conhecer este outro leque dos Molinari, assentados do sul do País, no Rio Grande. Que sensação maravilhosa!

 

Troco mensagens com Nely e conheço mais um bom pedaço dos Molinari. Foi ela quem me falou sobre Irmã Adelaide Molinari, sua mana, assassinada no norte do País.

 

A história dela diz assim:

 

Irmã Adelaide Molinari pertenceu a agora é mártir da Galeria da Irmandade dos Mártires da Caminhada. Nasceu em 02/02/1938, na cidade de Garibaldi -RS filha dos agricultores Salvador e Cecília Molinari.

 

Mudou-se, ainda menina, para Palmeira das Missões RS. Trabalhava com a família na roça. Aí descobriu sua vocação religiosa. Com o apoio de seus pais, foi morar com as Filhas do Amor Divino.  

1.      

Na noite de 15 para 16 de abril de 2017, aconteceu a 32ª Caminhada Irmã Adelaide, de Eldorado dos Carajás até Curionópolis, no Pará, com a participação de grande número de Filhas do Amor Divino, e a participação da Superiora Geral Irmã Maria Dulce Adams e da Superiora Provincial..

 Irmã Adelaide trabalhava na cidade Curionópolis, no Pará, que pertence à diocese de Marabá. Seu trabalho principal consistia em dar catequese às crianças e jovens. Cuidava também de vários clubes de mães da região. Muito simpática, era a alegria da juventude e das crianças.

Livro conta a história da Irmã Adelaide  

 

No dia 7 de dezembro de 2010, lançou-se o  livro que retrata a história da Irmã Adelaide Molinari, na Paraíba. O livro  é "Homens e Mulheres que Morreram na Luta pela Reforma Agrária e pela Vida" de autoria do técnico Agrícola Ivanildo Pereira Dantas, assessor da Federação dos Trabalhadores na Agricultura da Paraíba.

 

OS 30 anos da morte de Irmã Adelaide ...

 

Em 12 de abril de 2015, a religiosa, da mesma congregação, Irmã Lourdes Dill, foi vítima de assassinato quando atuava em favor dos mais pobres em Eldorado do Carajás, uma zona ainda hoje conflagrada no norte do País. O crime faz 30 anos e vale conferir o texto-homenagem à irmã Adelaide Molinari, escrito em 14 de abril de 2009.. leiam:

 

"- Hoje a Igreja dos Pobres faz a memória do martírio da Irmã Adelaide Molinari, assassinada na rodoviária de Eldorado dos Carajás - PA, depois de ter assumido com ousadia profética a missão de anunciar a Boa Nova da vida e da liberdade aos pobres da Amazônia, Adelaide Molinari, religiosa, 47 anos, foi assassinada na Rodoviária de Curionópolis-PA.

O disparo feito contra o presidente do Sindicato dos Trabalhadores atingiu-a no pescoço. Arnaldo Delcídio Ferreira viria a ser assassinado no dia 2 de maio de 1993. Irmã Adelaide Molinari morreu no dia 14 de abril de 1985.

 

p 1���#�A3

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Escolha a melhor forma de se identificar em Comentar como: Depois pitaque à vontade.