quarta-feira, 28 de fevereiro de 2018

TRINCHEIRA DO FLAVIO ANSELMO

 

estreia azul na libertadores não foi boa:

DEUSES DO FUTEBOL  ATUARAM CONTRA E DESFALCARAM CRUZEIRO AINDA MAIS  À ULTIMA HORA FACILITANDO VITÓRIA DO RACING EM BUENOS AIRES - 4 A 2.

Quem segue os passos deste filho de Sodico e Dona Geralda através de seus pitacos nas emissoras de rádio, nos programas de televisão, nas colunas dos jornais, sabe que ele mantém-se convicto quanto a ação extra-campo dos rotulados Deuses do Futebol.

Aliás, salvo melhor juízo, essa expressão, como outras tantas, foram criadas por ele e caíram rapidamente em domínio público face às verdades que detêm.

Não era bem aquele o time que Mano Menezes pretendia escalar: seu excelente goleiro Fábio foi retirado da meta azul antes da partida para viajar de volta ao Brasil e acompanhar o velório e o enterro de seu Pai e maior incentivador, Sr. José Maciel, em Nobres, no Mato Grosso.

Sem estar 100% recuperado de velha lesão, o goleador Fred sentiu incomodo na panturrilha direita aos 5m de jogo e foi substituído pelo anacrônico Rafael Sóbis que só se serviu da inoperosa correria e pela competência em perder gols fáceis na cara do goleiro adversário.

O lateral direito Edilson e o zagueiro Léo foram comunicados pela Conmebol de suas suspensões em outras competições continentais, porém com obrigação de cumpri-las naquela partida no Estádio Cilindro, em Avellaneda.

Querem mais outras intervenções negativas dos Deuses do Futebol?

Os substitutos Rafael, do goleiro Fábio; Lucas Romero, de Edilson; Manoel, de Léo; o garoto Murilo, na sua estreia neste tipo de torneio; Thiago Neves, ainda em recuperação de lesão, ficou no banco e seu substituto, o encapetado Arrascaeta e o novo ídolo Rafinha não estiveram bem, foram apagados.

O pior de tudo é que os Deuses infestaram a cabecinha jovem da joia argentina, Lautaro Martinez e o colocaram em estado de graça. Jogou como gente grande, craque que é, e marcou três gols. E pior ainda: o Cruzeiro, num todo, não esteve tal mal quanto pode parecer o placar de 4 a 2 para o Racing. Tudo porque os Deuses entortaram os pés dos atacantes azuis que muito chutaram e pouco acertaram as redes argentinas.

Segundo Thiago Neves, "perdemos para um time que jogou bem, jogou melhor,. Não que jogamos mal, mas erramos muito, e que isso fique como aprendizado".

TRINCHEIRA: Na realidade foi com ajuda dos Deuses um baile do camisa 10 do Racing na desorganizada defesa azul. O Baixinho de 1,67 de altura subiu mais que o grandão Manoel e marcou de cabeça o primeiro gol do Racing na defesa de Mano que, em 2018, só havia levado um gol."


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Escolha a melhor forma de se identificar em Comentar como: Depois pitaque à vontade.