sábado, 31 de março de 2018

VOO NA ESCURIDÃO DA FALSA SOLIDÃO

NESTE  VOO ÀS ESCURAS SEGUE EM FRENTE, ANDORINHA

Voa andorinha, voa
mesmo que no momento
esteja sem visão,
nesta dura escuridão
que lhe causa o  tormento.

Perdoa, Andorinha, Perdoa
os percalços atuais
que a vida lhe traz
Perdoa  ligeiro e voa mais
foge da escuridão, fica na paz
De onde jamais saíste,
Pois a beleza que aí existe
Alhures, não encontrarás jamais.

Não é de fuga, entretanto
que precisas tanto,
mas de novo amor
no lugar do antigo morto
Sufocar constante dor
da falsa solidão, angústia do peito,
Como se não houvesse mais jeito
de ser feliz nessa vida
sem o velho companheiro de voo.

Claro que existe um lugar vazio,
os outros estão preenchidos
pelos filhotes adquiridos
quando a vida era só manhã de sol,
 no ninho e no arrebol.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Escolha a melhor forma de se identificar em Comentar como: Depois pitaque à vontade.