quarta-feira, 18 de abril de 2018

CONFIE NA SUA VERDADE APENAS

QUE A VERDADE  SEJA SEMPRE A SUA E NUNCA A DOS OUTROS:LEMBRE-SE E SERÁ FELIZ.

 

Sei que viver em comunidade opinativa, fofoqueira e mal adestrada é algo difícil, para o qual se necessita muito expediente de vida e paciência nas análises.

 

Eu não tenho: sou ermitão e detesto a vida social; aquele agarro do dia-a-dia faço-o apenas pra ser simpático e sociável; incomoda-me mais do que me faz qualquer tipo de bem.

 

Quem aceitar conviver comigo, como diria Dona Geralda, minha mãe, tem que comer um quilo de sal, lado a lado, todos os dias. Mas acabará por sentir-se isolado, maquiado, estilizado e dominado.

 

Minha paciência é curta. Falo o que penso. Detesto fofoca de qualquer tipo. As pessoas mais incisivas, que conhecem alguma coisa de meu perfil,  dizem que eu não relevo ninguém: sou imparcial, não me submeto, sou franco da franqueza que dói.

 

Mas que, também, não reclamo da cozinheira; como qualquer coisa, com muito ou pouco sal e pimenta. Não exijo luxo. Durmo no chão, gosto de lugares simples, botequins,em vez de restaurantes chiques.

 

Porém, não me aticem pois falarei alto o que sinto. Brigo bem e dou sorte.

 

Sou  católico, nada praticante, mas gosto da minha religião. Pois amo Nossa Senhora das Graças, a Rainha da Minha Igreja; sou fiel defensor e súdito das palavras e da imagem de seu filho, Jesus Cristo.

 

Por fim, acredito e respeito nosso Deus. Faço Dele meu ponto de partida e minha linha de chegada. Quem quiser acreditar, e acredite. Quem achar que tais sentimentos são impossíveis de conviverem comigo, dane-se.

 

Algumas pessoas acham que é sofrimento para mim ter o seu desprezo e ficar longe delas, afinal me comovo e choro por pequenos infortúnios. É que adoro dançar conforme a música que tais pessoas põem a tocar em nossas parcas emoções de encontro aleatórios. Sou prático.

 

Caso perceba durante essas poucas convivências que elas são a encarnação do Mal e do Demônio, dou-lhes o troco imediato. Torno-me possuidor do ódio imortal e das ventas escancaradas do Senhor do Inferno, mesmo sem acreditar na possibilidade de sua existência.

 

Apenas, recrio no palco da vida tudo que li no Inferno de Dante.

 

Para as pessoas boas, nada fingidas, nem traiçoeiras ou pedantes, criadoras de suas próprias vontades, por serem na realidade mentirosas, odiadas e que se auto-proclamam " gente boa, cheia de amigas", digo-lhes que eu, também, sou de ótima convivência.

 

Basta que me respeitem como sou, não gritem comigo, não sejam falsas, nem traidoras,mas amantes de um homem apenas.

Das capciosas, cheias de armadilhas para tomar-me algo, que custei a ganhar na vida, cujo preço da compra foi alto, exijo que fiquem longe, muito longe de mim.

No mínimo 120 quilômetros de distância.

 

Vocês, caros leitores desprotegidos por  acreditarem que não há maldade no mundo, que o Bem é vizinho do lado e sempre esteve por ali nos últimos 40 anos, montem suas trincheiras e bunker.  Exijam que as verdades sejam sempre as  suas  e nunca as dos outros. Só assim terão paz e vida harmoniosa com a história.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Escolha a melhor forma de se identificar em Comentar como: Depois pitaque à vontade.