segunda-feira, 2 de abril de 2018

BOLA PARADA DE OTERO LEVA GALO A VITÓRIA NO CLÁSSICO


Ricardo Oliveira marcou duas vezes na vitória por 3 a 1 e foi decisivo para o Atlético no clássico contra o Cruzeiro.

Diante de seu torcedor, que fez grande festa nas arquibancadas do Independência, o Atlético reverteu a vantagem do Cruzeiro na briga pela taça de campeão mineiro.

Na tarde deste domingo, no Horto, o Galo fez a sua bola parada funcionar com perfeição e venceu por 3 a 1.

Em oito minutos, dos 37 aos 45, do primeiro tempo, o Galo botou os três gols nas redes de Fábio. Em todos, houve a participação de Otero, autor de três assistências, e com os lances começaram em bolas paradas.

-"Como bolas paradas!" questionaria o saudoso e inigualável Kafunga.
-"Se a bola não rola, fica parada, como entraria na meta adversária?" gostava de perguntar o criador de Vapt-Vupt.
Gozações à parte, as cobranças de escanteios e faltas de Otero são meio gols.

 Ricardo Oliveira, duas vezes, e Adilson balançaram as redes de Fábio. Na etapa final, Arrascaeta  diminuiu o prejuízo azul.

Com a vitória por 3 a 1, o Atlético pode até perder por um gol de diferença no próximo domingo, às 16h, no Mineirão, que levantará a taça de campeão mineiro. Para o Cruzeiro, só resta vencer por pelo menos dois gols para voltar a conquistar o título estadual.

Porém o foco das equipes muda nesta semana. Na quarta-feira, às 19h30, o Atlético recebe o Ferroviário-CE, pela quarta fase da Copa do Brasil, no Independência.
No mesmo dia, às 21h45, o Cruzeiro receberá o Vasco, em jogo válido pela Copa Libertadores.

LARGHI JÁ COMEÇA VENCENDO

Enquanto o Atlético entrava em  campo no clássico com a equipe que venceu o América na segunda partida da semifinal, Mano Meneses na sua mania de mexer no time, jogo a jogo, fez mudanças. Larghi manteve  Otero e, ainda no primeiro tempo, mostraria que a decisão dele foi acertada.
Mano Menezes, tapado treinador do Cruzeiro, trocou  Raniel pelo lesionado Fred, e de Léo na vaga de Dedé.

Foi o melhor clássico dos últimos tempos.

No primeiro tempo bem equilibrado até a parada técnica para que os jogadores se reidratassem, era assim: as duas equipes se alternaram no controle da partida. Quando o Atlético tinha a bola, o Cruzeiro recuava suas linhas.

Quando os azuis recuperavam a posse, era a vez do alvinegro se compactar defensivamente.

O time de Thiago Larghi conseguiu alternar bem as posições em seu ataque, tentou jogar pelos dois lados e também pela faixa central.

Já a equipe de Mano Menezes tentou criar pelo lado esquerdo, com Egídio e Rafinha, enquanto o lado direito, com Romero e Robinho, ficou mais isolado.

Aos poucos o Atlético  se soltou mais em campo, dominou a parte central e avançou suas linhas. Com Cazares e Ricardo Oliveira, o time levou perigo. O Cruzeiro ficou acuado, esperando o momento certo para dar o bote. E ele veio em contra-ataque de alta velocidade. Robinho lançou Thiago Neves, que dominou e fuzilou para grande defesa de Victor.

Aos 31 minutos, o árbitro Delson Freitas parou o jogo para que os jogadores se reidratassem. Logo depois, a escolha de Thiago Larghi fez a diferença: Otero. O camisa 11 sofreu falta aos 36' minutos. A TV mostrou que a infração de Egídio não existiu.

Otero cobrou cruzado na segunda trave. Ricardo Oliveira, livre, de coxa, abriu o placar Galo,  1 a 0.

Cinco minutos depois, escanteio para o Atlético no lado direito. Otero, que é destro, resolveu cobrar de esquerda. Jogada ensaiada, na primeira trave. Adilson apareceu, tocou de cabeça para trás. A bola passou no meio das pernas de Fábio:: Galo, 2 a 0.

 Aos 45', novo escanteio. Desta vez, Otero cobrou curto com Cazares, que segurou e tocou de novo para o venezuelano. Em cruzamento perfeito, Otero encontrou Ricardo Oliveira livre para cabecear.  Galo: 3 a 0.

Na etapa final, Mano Menezes colocou Arrascaeta no lugar de Rafinha. O time celeste voltou melhor, partiu para cima e tentou buscar o gol. O Atlético, com grande vantagem no placar, controlou mais a partida e só foi ao ataque com o jogo controlado.

Em busca do primeiro gol, Mano Menezes mexeu mais duas vezes na equipe celeste, com as entradas de Sassá e Mancuello. No Galo, entraram Tomás Andrade e Yago. A entrada do volante, no entanto, não foi uma mudança de esquema. O jovem entrou na vaga de Elias. 

Num contra-ataque, Tomás Andrade  chutou forte  para boa defesa de Fábio. Em jogada de alta velocidade da Raposa, quase fez seu gol. Egídio levou no fundo e cruzou. Sassá, livre, cabeceou e Victor fez defesa espetacular.

De tanto insistir, a equipe celeste diminuiu o marcador. Em troca de passes rápida, Sassá tocou para Thiago Neves, que achou Arrascaeta livre. O uruguaio finalizou sem chances para Victor e balançou as redes: 3 a 1.

Como ficou agora

Com a vitória por 3 a 1, o Atlético pode até perder por um gol de diferença no próximo domingo, às 16h, no Mineirão, que levantará a taça de campeão mineiro. Ao Cruzeiro, só resta vencer por pelo menos dois gols para voltar a conquistar o título estadual.

O foco das equipes muda nesta semana. Na quarta-feira, às 19h30, o Atlético recebe o Ferroviário-CE, pela quarta fase da Copa do Brasil, no Independência. No mesmo dia, às 21h45, o Cruzeiro receberá o Vasco, em jogo válido pela Copa Libertadores.
Sobre o rival, Atlético conquistou nona vitória sob o comando do técnico interino Thiago Larghi

TÉCNICO INTERINO?
Thiago Larghi ainda é técnico interino do Atlético, mas já pode falar que venceu um clássico em final de Campeonato Mineiro. Ele, que estreou no comando do Galo num sábado de Carnaval com derrota para a Caldense, no Independência, conquistou a maior vitória de sua carreira num domingo de Páscoa.
Com uma equipe bem organizada e consciente de suas ações em campo, o Alvinegro venceu o Cruzeiro por 3 a 1 e deu grande passo pra levantar a taça de campeão Estadual.
Palavra do pé-frio

Considerado grande pé frio, o diretor de futebol Itair Machado, depois do jogo, falou: "Nesse momento, temos que digerir essa derrota e, a partir de amanhã, pensar no jogo de quarta-feira, na Libertadores. O gol colocou o Cruzeiro no páreo novamente.
Antes vamos tentar os três primeiros pontos na Copa Libertadores. É uma competição difícil", complementou.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Escolha a melhor forma de se identificar em Comentar como: Depois pitaque à vontade.