quarta-feira, 9 de maio de 2018

QUEM ME VAIA HOJE, APLAUDIRÁ AMANHÃ QUANDO O GALO FOR CAMPEÃO -(SETTE CÂMARA)

 

MELHOR OUVIR ISSO DO QUE SER SURDO, OU MELHOR LER  DECLARAÇÕES DO PRESIDENTE SETTE CÂMARA DO QUE SER CEGO

 

Os protestos verbais que parte da torcida atleticana dirigiu ao cartola/mor do clube tão logo terminou o jogo Atlético 0 x 0 San Lorenzo, empate que tirou o Galo da Copa Sul-Americana foram inteiramente justos. Tais manifestações foram originadas na decisão do técnico Tiago Larghi em escalar uma equipe alternativa neste jogo decisivo e com total apoio do Presidente Sette Câmara.

 

Os torcedores protestavam e nem ouviram as declarações do cartola, chamando a competição de segunda divisão da Libertadores, sem importância financeira e sem prioridade no planejamento do clube que está de olho tão somente na Copa do Brasil e no Campeonato Brasileiro. E não ouviram, também, o Presidente rotular as vaias de manifestação vazia, pois gritarão o seu nome quando o Atlético for campeão, do Brasileiro ou da Copa do Brasil.

 

Sette Câmara, na entrevista à beira do gramado, após o jogo, ainda prometeu o Galo forte na briga pelo título do Campeonato Brasileiro e respondeu aos críticos de sua gestão, que o vaiaram após a queda do time da competição continental. Respondeu que "a Sul-Americana é torneio sem retorno financeiro;. por isso, o clube fez a opção de poupar os titulares, preservando-os para o Brasileiro e a Copa do Brasil.  O Galo está forte na briga pela Série A, nossa grande ambição, pois  é o título que o Galo não ganha desde 1971". 

 

E continuou a esfolar a Copa Sul-Americana:

 

-"É assim que eu a enxergo. Se tivesse esse valor tão grande, as duas copas que o Atlético ganhou teriam mais valor do que na verdade têm. No entanto, a gente não as vê valorizadas assim, e olha que, naquela época, quem classificava para a Conmebol não era o nono, o décimo, o décimo primeiro não, era o segundo e o terceiro do Campeonato Brasileiro. Então, assim, eu acho que a Sul-Americana, além de pagar pouco, ela tem pouco valor."

 

-"Você vê até pelos públicos que comparecem nas partidas; são públicos pequenos se comparados com os públicos que você vê na Libertadores. E nós entendemos que é um campeonato que poderia ser interessante se  tivéssemos passado com esta equipe alternativa e então iríamos continuar o torneio com a equipe alternativa, e ia até onde fosse possível; tentar o título, obviamente, mas não fomos, né?"

 

E finalizou:

-" entendemos que a equipe mostrou ter elenco. Nós dominamos o jogo, tivemos controle de ações muito maior que o time do San Lorenzo, que é  o terceiro colocado no Campeonato Argentino e inclusive já está classificado para a fase de grupos da Copa Libertadores do ano que vem. O torcedor fica chateado, é óbvio, eu também fico. A gente não entra em nenhum torneio para perder. Mas nós temos que fazer também planejamento; sabemos que participar de três campeonatos ao mesmo tempo pode fazer com que você não belisque nenhum deles. E aí, nós tivemos que fazer as nossas opções".

 

Sette Câmara deixou a arquibancada sob vaias. Antes mesmo do apito final, alguns torcedores do setor Galo na Veia Preto se viraram para o espaço onde fica a diretoria alvinegra nos jogos no Independência e xingaram o mandatário. Após o fim da partida, o coro aumentou. Além de palavrões, houve gritos de 'diretoria omissa' e 'some do Atlético', também direcionados a Sette Câmara, que respondeu:

 " Esses críticos  gritarão o meu nome quando o Atlético for campeão".


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Escolha a melhor forma de se identificar em Comentar como: Depois pitaque à vontade.