quinta-feira, 24 de maio de 2018

SABIÁ QUE SE ESCONDE ATRÁS DO FRUTO DA FIGUEIRA

PERDÃO, SABIÁ DA FIGUEIRA

(Flavio Anselmo - maio/2018)

 

Sabiá, o ninho está desfeito

Será que há algum jeito

de tudo ser refeito

de maneira bem diferente

sem decisões ou repentes?

 

Será que a forte ventania

surpresa de novo viria

sem força suficiente,

como o gaúcho minuano

cuja corrente, não causa dano,

nem de noite e nem de dia;

e que não conseguiria destruir

esse ninho difícil de construir

 

Canta, canta Sabiá, joga

a tristeza pra lá,

perdoe a quem rasteja

de joelhos atrás de ti.

Deixa de fora a pouco provável

perda do ninho inestimável

que no tormento, quase destruí.

 

Você que canta na figueira

pois ama figo, fruto dela,

volta a fazer ninho nela

num galho bem mais alto

para que maus momentos,

sempre que rastejam por perto

Não o vejam no cimo

nem perturbem depois

esse eterno amor a dois.

 (Fim)


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Escolha a melhor forma de se identificar em Comentar como: Depois pitaque à vontade.