sexta-feira, 8 de junho de 2018

COM APENAS UMA VITÓRIA GALO TEVE TRÊS BOAS COISAS COLATERAIS

 

COM VITÓRIA NO CLÁSSICO GALO SOBE NA CLASSIFICAÇÃO, E DOMINGO RECEBE FLUMINENSE PRA SUBIR MAIS

 

Foi bom demais para o Atlético vencer o América (3 a 1) na última quinta-feira, pois além de ver o time voltar a jogar bem, vencer, ainda teve este pulo para  o quarto lugar, com 17 pontos, ganhar lugar no G-4 tomado do arquirrival Cruzeiro. Apaziguar o ambiente no clube e diminuiu a pressão sobre a Comissão Técnica e os diretores do futebol.

 

Afinal, o time havia passado três jogos sem vencer e começava a entrar em erupção o vulcão da crise no meio da Massa. O diretor Alexandre Gallo, que voltou da Europa sem nenhum reforço, estava na boca do vulcão juntamente com o jovem técnico Thiago Larghi.

O duelo valeu pela 10ª rodada da competição. 

Este foi o quarto jogo entre os dois times na temporada e vencidos pelo Atlético. Na fase classificatória do Campeonato Mineiro, venceu por 3 a 0. Na semifinal do Estadual, triunfou por 1 a 0 e 2 a 0.

 

Com a vitória, o Atlético chegou aos 17 pontos e assumiu a quarta colocação da Série A. O triunfo sobre o rival ameniza as críticas sobre o time, que empatou com a Chapecoense (3 a 3) e perdera para Flamengo (1 a 0) e Sport (3 a 2) nas últimas partidas.No próximo compromisso, neste domingo,  o Atlético recebe o Fluminense, no Independência.

 

JOGO TÁTICO PERFEITO

 

TRINCHEIRA:  longe de encher-se de entusiasmo pela vitória o técnico Thiago Larghi deve  analisar bem a escalação inicial sem Emerson e Bremer, com Patric e Léo Silva além de Juninho, adaptado, na vaga de Fábio Santos, suspenso.  O meio-campo só melhorou com a entrada de Elias e Tomás Andrade nos lugares de Luan e Casares e a de Bremer, no de Juninho.

Fechou o lado esquerdo da defesa, por onde o Coelho entrava com facilidade, marcou seu gol e estava perto de empatar.  Os dois primeiros gols atleticanos  - de Ricardo Oliveira e Casares - foram facilitados pela ousadia do América que adiantou a marcação desde o início e deixou a defesa exposta aos contra-ataques que o Galo  executou com perfeição, na velocidade de Roger Guedes e de Casares.

 

Fla vence Flu e abre cinco pontos na liderança do Brasileirão

 

Diante do Fluminense enfraquecido por desfalques, o Flamengo imprimiu ritmo veloz desde o início. A vitória por 2 a 0, com gols de Henrique Dourado e Felipe Vizeu, mostrou bem o que foi o jogo: o rubro-negro organizado, bem estruturado e cirúrgico dentro da área, contra o tricolor combalido e inofensivo no ataque.

 

Com grandes atuações de Vinicius Junior e Lucas Paquetá, o Fla abriu cinco pontos na liderança e chegou à terceira vitória seguida no Brasileirão. Melhor em campo, o Fla logo abriu o placar com Henrique Dourado, ao seu estilo, em pênalti de Marlon em Marlos Moreno. Dali até o fim da primeira etapa, viu-se atuação soberba de Vinicius Junior e Paquetá que não cansaram de dar dribles desconcertantes, irritando a defesa tricolor.

 

O único erro claro foi do juiz Dewson Freitas da Silva, que ignorou cotovelada de Rodinei em João Carlos no fim do primeiro tempo.

 

Após o péssimo primeiro tempo, Abel Braga mexeu por atacado no intervalo. Saíram Renato Chaves - que se estranhava com Vinicius Junior - e Sornoza, o pior do Flu, e entraram Pablo Diego e Matheus Alessandro. Quando parecia melhorar no jogo, Abel perdeu Pablo e precisou colocar Robinho.

 

Mais uma vez, o camisa 17 irritou a torcida tricolor com a falta de esforço e sua displicência. Em uma bola perdida por ele, o Fla, que controlava a partida com melhor posse e uma boa dose de cera, fez contra-ataque e em linda tabela de Paquetá com Éverton Ribeiro, matou o jogo com o oportunista Felipe Vizeu, escorando no segundo pau . Fla 2 x 0 Flu.

 

Com dribles desconcertantes, muita velocidade e passes inteligentes, Vinicius Junior deixou a zaga do Fluminense de cabelo arrepiado.

Por conta de suas jogadas, também, o irritado Renato Chaves foi substituído no intervalo. Sem os três zagueiros de costume, o Flu virou presa fácil e Vinicius Junior teve mais espaço. Apesar disso, diminuiu o ritmo junto com a equipe, exceto pelos dribles, que lhe valeram uma boa dose de faltas recebidas. Foi  grande nome do Flamengo no jogo.

 

Dedé curte momentos de atacante no Cruzeiro

 

Em meio ao baixo número de gols do Cruzeiro no Campeonato Brasileiro (sete em 10 jogos), o zagueiro Dedé tem roubado a cena tanto por ser o artilheiro da equipe na competição, com dois tentos, quanto pela condição de segundo melhor finalizador.

 

Segundo o Footstats, Dedé contabiliza seis conclusões certas – ou seja, as que vão em direção às metas adversárias. Ele está empatado com Thiago Neves. O primeiro colocado do elenco é Arrascaeta, com sete. Abaixo vêm Rafael Sobis (5), Mancuello (2), Sassá (2), Bruno Silva (2) e Raniel (2).

 

Dedé melhorou seus números no empate por 1 a 1 com o Vasco, nessa quarta-feira, no Mineirão.Ele ficou perto de balançar a rede em duas oportunidades. Na melhor delas, exigiu grande defesa de Fernando Miguel após chute rasteiro no canto esquerdo.

 

Também se aventurou como lateral-direito. Por duas vezes, colocou os companheiros na cara do gol. Em um desses lances, o colega Leo  não alcançou a bola. No outro, o atacante Marcelo dominou errado e perdeu a chance de adiantar a bola, pra chegar em boas condições para chutar.

 

Nos minutos finais do jogo contra o Vasco, a ordem do técnico Mano Menezes foi para que Dedé jogasse no ataque. A intenção era explorar a estatura do zagueiro, que mede 1,92m e tem excelente impulsão.

Os gols do 'Mito' asseguraram ao Cruzeiro duas vitórias na competição: 1 a 0 sobre Botafogo (4ª rodada) e 2 a 0 diante do Sport (5ª rodada). Os jogos foram no Mineirão. No geral, a equipe aparece com 17 pontos, na quarta posição (cinco vitórias, dois empates e três derrotas).

Soberano na defesa

As obrigações defensivas de Dedé também estão em dia no Cruzeiro. No Campeonato Brasileiro, o jogador é líder da equipe azul em desarmes certos, com 15 intervenções, e segundo no quesito rebatidas, com 50 ações. O aproveitamento em lançamentos está dentro do esperado para um atleta da posição: 46,4%.

 

Graças à boa sintonia entre Dedé, Leo, Fábio e os demais defensores, o time celeste começou a Série A com apenas quatro gols sofridos em 10 jogos. O desafio agora é melhorar o rendimento no ataque. O próximo compromisso da Raposa é neste sábado, às 19h, contra a Chapecoense, na Arena Condá, em Chapecó.

 

BRASIL COM FORÇA TOTAL CONTRA ÁUSTRIA: NEYMAR E MAIS 10 NESTE DOMINGO EM VIENA

Recuperado, Neymar será titular da Seleção Brasileira no domingo, na vaga de Fernandinho, no amistoso de domingo contra a Áustria. A definição ocorreu no treino realizado na quinta-feira no CT do Tottenham, em Londres, na Inglaterra.
Será a única alteração em relação ao time que venceu a Croácia por 2 a 0 em Liverpool, no último amistoso. A tendência é que essa também seja a equipe que o técnico Tite escalará na estreia da Copa do Mundo, dia 17, contra a Suíça.

O centroavante Gabriel Jesus foi mantido no ataque, com Firmino no banco. Willian e Philippe Coutinho também seguem entre os titulares. Com isso, Tite volta a apostar na formação mais ofensiva e que deu bons resultados quando foi utilizada.

A escalação da Seleção Brasileira para o amistoso terá Alisson; Danilo, Thiago Silva, Miranda e Marcelo; Casemiro, Paulinho, Willian, Philippe Coutinho e Neymar; Gabriel Jesus. O amistoso acontecerá em Viena, às 11h (de Brasília).

A Seleção Brasileira está no Grupo E da Copa do Mundo. Depois de enfrentar a Suíça na estreia na cidade de Rostov, a equipe de Tite jogará contra a Costa Rica dia 22, em São Petersburgo, e fechará a participação na primeira fase dia 27, contra a Sérvia, em Moscou.

TRINCHEIRA: A única decepção que tenho quanto à escalação da Seleção para o amistoso de domingo contra a Áustria é a ausência de Douglas Costa que imaginava como titular pela direita. Dou crédito à decisão de Tite em razão de Douglas estar de volta agora de série contusão; é preciso de calma nesta hora.Seria, no entanto, ótima oportunidade de testá-lo para a Copa do Mundo, como se fez com Neymar. Que fique no banco e entre alguns minutos na fase final do jogo. Quanto a Renato Augusto, meu entusiasmo por seu futebol não chega às raias do exagero de Walter Casagrande, por exemplo. Pode ser bom, como realmente parece que sim e homem de confiança de Tite, porém como peça de reposição. Será mantido no grupo da Copa, sem risco de corte, porque treinou bem na quinta. Quem está agora sob risco é o mineiro Fred, vítima de dura entrada de Casemiro no último coletivo. Fred está entregue ao Doutor Lasmar que dará a última palavra sobre suas condições reais e possibilidade de recuperação para a Copa da Rússia.

 

 



Livre de vírus. www.avast.com.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Escolha a melhor forma de se identificar em Comentar como: Depois pitaque à vontade.