terça-feira, 5 de junho de 2018

DECLARAÇÃO DE AMOR - POEMA DE FLAVIO ANSELMO

 

                                     DECLARAÇÃO DE AMOR ( 10/11/06)

 

 

Imagine, o dia escuro, apagado.

Ou a noite sem estrelas

e sem a lua-cheia dos poetas.

Imagine a moça sem o doce balanço

a caminho do mar;

o mar bravio

de ressaca engolindo a praia.

 

Imagine a garota sem minissaia,

Sem tatuagem no tornozelo,

Nem flerte do colega de sala.

 

Imagine o mundo sem música;

uma sabiá sem canto,

São Paulo sem a rua Augusta,

a Bahia sem aquele encanto;

Beagá sem Pampulha,

o Rio sem Ipanema,

Manaus sem a Amazônia

e Fortaleza sem Iracema.

 

Imagine a oração menos justa,

A cama  fria, solitária sem amor,

Por isso mais curta.

Imagine uma floresta queimada,

A terra não semeada, o pasto infestado.

 

Imagine a Natureza cansada,

Um homem desanimado,

uma mulher desamada.

Imagine todos os dias iguais,

As manhãs insensíveis.

Ou como são os olhos sem brilho e luzes

do garoto no parque sem patins, velotrol ou patinete,

e proibido de chupar picolé.

 

Imagine a Argentina sem tango,

O Brasil sem samba, futebol sem olé.

Imagine um velho sem amigos, nem amigas,

Aprisionado nas manhã de domingo,

numa cadeira de rodas.

 

.    Assim me sinto, menina, 

sem você ao meu lado.

 

Em compensação, menina, imagine

uma sinfonia de bem-te-vis e curiós;

o riacho sonolento e límpido a serpentear

por entre galhos curvos e sedentos.

Imagine o sorriso largo da criança amada,

pés descalços, cabelos soltos dos nós.

Igual ave de arribação: no bom tempo pula nágua;

Debaixo de chuva, brinca na enxurrada.

Imagine a vida sem compromisso,

fazer amor de alma lavada,

Espíritos flutuando, corpos entregues

 

Imagine o lual na Copacabana

 dos velhos tempos,

Andar de bondinho toda a semana

de mãos dadas.

Ser ousado na galeria do Cine Alvorada.

e permitir amasso atrás da árvore,

Fingir-se difícil, fazer beicinho e ficar zangada.

Imagine, eu sangue nas suas artérias,

Sabonete no seu banho,

escova de dente no seu armário.

Colírio nos seus olhos,

perfume do seu corpo.

 

Você, senhora do meu santuário.

Imagine como a imagino:

Adoçante do meu suco,

Dona dos lençóis de minha cama,

Canto dos meus cânticos,

Melodia das minhas canções,

Enlevo das minhas orações.

                                             Assim é que eu preciso                                               

que você seja, menina,

a minha emoção mais sentida

.   Assim é como preciso 

                                       que você seja, menina, por toda vida.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Escolha a melhor forma de se identificar em Comentar como: Depois pitaque à vontade.