terça-feira, 3 de julho de 2018

brasileiro da Rússia arrepende-se de dizer NÃO à Seleção Brasileira

 

BRASILEIRO DA SELEÇÃO RUSSA REVELA  ARREPENDIMENTO  DE NÃO ACEITAR CONVOCAÇÃO ANTERIOR PARA SELEÇÃO BRASILEIRA

 

Mário Fernandes, lateral direito brasileiro, revelado no Grêmio, destaque da Seleção Russa na Copa do Mundo tem trajetória bastante peculiar no futebol mundial.

 

Em 2011, ele recusou  convocação  pra  Seleção Brasileira na época do técnico Mano Menezes sem grandes explicações. Meses depois, voltou a ser chamado, agora Dunga, jogou duas partidas, e decidiu se naturalizar russo. Hoje é destaque da seleção russa.

Embora bem acolhido no seu novo país, ele afirmou que se arrepende de ter dito "não" à Seleção Brasileira;

-"Hoje eu não voltaria a repetir. Não que eu queria estar lá. A Rússia me abriu as portas e eu sou muito feliz aqui. Se fosse hoje, naquela oportunidade, eu certamente me apresentaria. O motivo não preciso dizer, mas arrependi de não ter me apresentado. Eram problemas meus. Me arrependo do que eu fiz", afirmou o lateral-direito brasileiro.

O "não" à seleção brasileira aconteceu em 2011. Sua velocidade e presença ofensiva pelo lado direito do Grêmio chamaram a atenção do técnico Mano Menezes.

 

Mário Fernandes foi chamado pra disputar as partidas do Superclássico das Américas contra a Argentina, nos dias 5 e 22 de setembro. Até hoje, Mário não revela as razões da desistência, mas a pessoas próximas, ele teria dito que se revoltou com a indiferença da Comissão Técnica e não se sentiu à vontade.


No ano seguinte, o jogador se transferiu para o CSKA Moscou, da Rússia, onde ganhou seis títulos nacionais. Em 2014, voltou a ser chamado pela Seleção Brasileira no processo de reconstrução após a derrota na Copa do Mundo. Desta vez, pelo técnico Dunga. Aceitou. Jogou 45 minutos no amistoso diante do Japão, mas não foi convocado novamente.

CIDADÃO RUSSO - Ambientado na Rússia, Mário Fernandes tomou  decisão ainda mais importante em 2016. Deu entrada no requerimento de cidadania russa. Meses depois, o próprio presidente Vladimir Putin, torcedor do CSKA Moscou, assinou o decreto de naturalização do brasileiro.

 "Todos me respeitam muito. Sempre. Eles gostam de mim e eu gosto deles. Já são seis anos aqui já. Estou bastante feliz e espero continuar aqui bastante tempo. Desde o roupeiro até os jogadores me tratam de maneira excelente", contou o jogador de 27 anos.

"Eu agradeço a eles por me receberem tão bem e me darem essa oportunidade de jogar a Copa do Mundo".

Mário Fernandes conserva o poder ofensivo da época do Grêmio. Também conserva a habilidade rara para quem joga na defesa - ele é filho de  técnico de futsal. 

"Para mim, é bastante importante,realização pessoal. Mas o mais importante é o grupo. Se eu não jogasse, eu estaria feliz da mesma forma. Respeito todos os jogadores", disse.

 Mário Fernandes afirma que ainda assiste às partidas da Seleção Brasileira. "Eu olhei o jogo contra a Suíça; Danilo e o Fagner são grandes jogadores. A Seleção está bem servida de laterais", avaliou.

CRUZEIRO SOLTOU UM, MAS SEGUROU O NOVO VITINHO.

 

O estoque de jovens craques com apelido de Vitinho que o Cruzeiro possui quase foi desfalcado de mais um deles. O primeiro foi levado para o Futebol Belga, que pagou R$ 10 milhões de multa rescisória. Este novo Vitinho que completou 16 anos no último dia 25, renovou com o clube celeste contrato que agora será de cinco anos.  

 

Foi o primeiro vínculo profissional assinado pelo meia,

 grande destaque da equipe Sub-17. Ao contrário do outro Vitinho, a atual revelação definiu com a diretoria celeste que o clube estrangeiro interessado em tirá-lo da Toca nos próximos cinco anos terá que desembolsar R$330 milhões.

DEPOIS DE 24 ANOS SUÉCIA JOGA QUARTAS DE FINAL

A Suécia derrotou a Suíça por 1 a 0 em São Petersburgo, e garantiu vaga nas quartas de final da Copa do Mundo da Rússia, feito que a seleção nórdica não alcançava desde o Mundial de 1994, quando terminou em terceiro lugar. 

Agora a Suécia joga nas quartas de final contra a Inglaterra, que venceu a Colômbia na disputa de Pênaltis por 4 a 3, após 1 a 1 no tempo normal de jogo. 

Como era de se esperar, Suécia e Suíça fizeram jogo truncado, de pura marcação e pouca habilidade.Faltavam Neymar, ou Cristiano Ronaldo, ou Messi para quebrar as linhas de marcação quase intransponíveis. Coube então ao camisa 10 sueco, Forsberg fazer as vezes de craque, num contra-ataque espetacular já no final da partida.

 

 

 


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Escolha a melhor forma de se identificar em Comentar como: Depois pitaque à vontade.