quarta-feira, 21 de novembro de 2018

MUSSULA É OUTRO AMIGO QUE SE VAI MAIS CEDO QUE O ESPERADO

 

LUTO

EX-GOLEIRO MUSSULA MORRE AOS  8O ANOS

 

Em 2016, Mussula participou da comemoração dos 45 anos da conquista do Brasileiro pelo Atlético. Agora, depois de lamentar a morte do ex-goleiro atleticano Marcial, o futebol mineiro se entristece com o falecimento do ex-goleiro e ex-técnico do Atlético,  Mussula. Luiz de Matos Luchesi, nascido em Belo Horizonte.

 

Mussula ganhou este apelido em alusão ao ditador italiano Mussolini, faleceu aos 80 anos nesta terça-feira. Sua maior conquista dentro dos gramados foi o Campeonato Brasileiro de 1971, pelo Atlético. Revelado pelo Cruzeiro, clube em que teve duas passagens, ele também jogou no América, Villa Nova e Renascença. 

 

TRINCHEIRA: Nas relações pessoais que fiz durante minha longa carreira no futebol mineiro, cerca de 60 anos de janela, Mussula foi uma das mais agradáveis e empáticas.  Sempre com otimista sorriso, bom de casos, era dos melhores papos nos clubes e na porta da FMF, aonde ia diariamente, curtir seu amigo Elmer Guilherme Ferreira, outro enorme coração que nos deixou, também, fora do prazo previsto.


O corpo de Mussula foi velado nesta quarta-feira, no Cemitério do Bonfim na Região Noroeste de Belo Horizonte. Depois das homenagens de parentes, amigos e ex-companheiros no futebol, houve o sepultamento. 

 

Mussula atuou em 168 jogos pelo Atlético e sofreu 156 gols. Ele teve duas passagens pelo clube e conquistou três títulos, o mais importante o do Brasileiro de 1971. Nas décadas de 70 e 80, o ex-goleiro ainda foi treinador do Galo em quatro ocasiões e conquistou o Campeonato Mineiro de 1983.

Mussula, ex-Cruzeiro, Atlético, América e Villa,

Mussula começou a carreira esportiva no Cruzeiro. Ele vestiu a camisa azul em 126 oportunidades entre 1955 e 1958 e depois de 1961 a 1963. O goleiro também defendeu Villa Nova, em 1958 e 1961, e América, em 1966, e o extinto Renascença, de 1964 a 1966.

A chegada ao Atlético foi em 1958, como terceiro goleiro. Mussula ganhou a grande oportunidade no time profissional dez anos depois, no empate diante do Leão do Bonfim por 3 a 3, em 1968. As atuações memoráveis em duelos contra Pelé, Tostão, Dirceu Lopes e Garrincha ficaram marcadas.

"Era difícil ser goleiro naquela época. Eu me lembro de um jogo em que defendi uns quatro chutes do Pelé, que ficou inconformado. Aquilo me marcou", costumava lembrar. 

Mussula encerrou a carreira de atleta no Galo, em 1973, e se dedicou à profissão de treinador. Ele foi auxiliar de Telê Santana até assumir a equipe principal, no início da trajetória do hexacampeonato mineiro, alcançado em 1983, com o ex-goleiro no comando. Depois de 121 jogos como treinador do Atlético, Mussula ainda trabalhou como supervisor no clube alvinegro. 

 

Luiz de Matos Luchesi, Mussula

Nascimento: 21 de agosto de 1938; local: Belo Horizonte

Carreira como atleta

Cruzeiro - 1955/57; Atlético - 1958; Villa Nova - 1958/1961;

Cruzeiro - 1961/1963; Renascença - 1964/1966; América - 1966

Atlético - 1968/1973

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Escolha a melhor forma de se identificar em Comentar como: Depois pitaque à vontade.