terça-feira, 20 de novembro de 2018

O AMOR ACONTECE NA VIDA, PEGA A GENTE DESPREVENIDO

AMOR NÃO SE FAZ

(Flávio Anselmo - novembro/2018)

 

ELA: Estou no clima, meu bem. Vamos fazer Amor?

ELE:  Não.

ELA: Porque não? Não gosta mais de mim?

ELE: Não é bem assim.

          Amor não se faz. Acontece.

          Amor feito, é logo desfeito.

          É Amor dos bordéis.

          Escolhido e comprado nos sofás da sala dos lupanares.

            Prostíbulos chiques, destruidores de lares.

            Ou Amor de motéis.

            Encontrado nas ruas, nos barzinhos, em viagens, nas praias capixabas, quando de cara cheia.

            "Vamos transar" - é papo de maloqueiro

            "Vamos amar" é o correto, papo de cavalheiro.

            "Vamos meter" - baixaria, pergunta de farofeiro

à beira mar.

            "Quero te comer" - revelação de esfomeado, mal educado e tarado juvenil.

             "Podemos nos amar", pergunta do doador encantado com os olhos da amada, pois não é senil.

ELA: Então, querido, encantada estou, quero te amar agora.

ELE: Pode não, querida, o Amor não tem hora marcada, não é egoísta, nem é comandante.

         No Amor de verdade some o 'EU' e surge o "NÒS";

        Sentimento que não se submete à frieza prazer solo, mas do dueto, pois é doado, é amante.

        O Amor real quer se entregar, não possuir.

        O Amor que acontece cria para dois seres um mundo à parte.

         Onde tudo é estranho e diferente.

         É sub-real, inconstante, inexistente às necessidades da vida sofrida.

         Auto-sustenta-se ao liquidar, sem paradigmas,

a sede, a fome e o mal dele próprio.

ELA: Que aula, Meu Amor! A cama, ou qualquer lugar, nos espera. Aconteceu: vamos nos amar! (Fim)


Livre de vírus. www.avast.com.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Escolha a melhor forma de se identificar em Comentar como: Depois pitaque à vontade.