segunda-feira, 31 de dezembro de 2018

AINDA BEM QUE NOS RESTA VOCÊ, MARIA DODORA


TODOS NÓS TE VENERAMOS, QUERIDA DODORA
(Flávio Anselmo - final de 2018)

“Uma jovem senhora de 35 anos caminhava sem rumo, por uma estrada deserta, árida, cheias de pedras pontiagudas e que lhe machucavam os pés descalços.
Certo momento, não suportando a dor que trazia na alma pela perda de ente querido e os medos dos difíceis atalhos que via pela frente, sentou-se numa pedra e chorou copiosamente.
De repente, do nada, um velhinho maltrapilho, barbudo, aspecto sombrio, mas doce, parou à sua frente e perguntou:
- Por que choras tanto assim, minha filha?
E ela respondeu, sem levantar os olhos:
- Perdi minha vida, perdi meu jovem companheiro de tantos anos, estou sem rumo e me corroendo numa dor implacável.
Ao que o velhinho retrucou:
- Mas se perdeste um ente tão querido, ficaram outros?
- Sim – respondeu a senhora.
- Tens filhos?
- Tenho três jovens; dois rapazes e uma mocinha.
- Tens pai? Tenho, mas, coitadinho, tá doente e morrendo longe de mim.
- Então, ele precisa de seus cuidados, pra ter final tranquilo.
- Tens mãe? - quis saber o velhinho.
- Tenho, também mora longe e  sofre muito com meu pai doente. Quando ele  se for, porque viveram juntos mais de 50 anos, sofrerá mais ainda..
- Então, sua Mãe ,também, haverá de precisar muito de você.
- Tens irmãos?
- Sim, são quatro todos fortes e sadios.
- Então podereis tirar um pouco de vida e de afeto de cada um deles.*
- Tens muitos parentes, sobrinhos, netos?
- Sim, nossa família é unida e grande.
- Tens então, vários amigos?
- Claro - respondeu a senhora - me rodeiam, me embalam, me sustentam...
E o velhinho falou por fim:
- Se tens tanto, mais que muita gente, transforme tua dor de momento num repositório de amor e traga todos pra sua guarda. Você é uma pessoa santa que sofreu as chagas da vida dos bons.
Dito isso, o velhinho retirou-se. A Senhora então olhou seus pés e os viu sangrando, protegido apenas por velhas sandálias.
E ao seu lado, enquanto caminhava, outras pegadas ficavam marcadas no solo poeirento.”

*Dois dos irmãos mais velhos, Zito e Neném, morreram; Papai, Mamãe, e todas as tias maternas, também. Resta uma, Dilce, com mais de 100 anos. Um dos filhos, o do meio, Lincoln, também se foi, cedo demais. Fábio e eu, que sou o caçula, por enquanto estamos por aqui.Minha irmã Dodora é o nosso norte.

Esta fábula, querida mana Dodora, eu a escrevi no dia dos seus 80 anos , e a republico nesta virada de 2018/2019 para homenageá-la, para felicidade de sua filha Gracinha, que entre as mulheres, é a neta mais velha e mais carinhosa de nossos pais, Dona Geralda e Sodico. Que estejamos todos juntos, esta Anselmada querida, em várias outras viradas futuras. .
Hoje, Maria Dodora, a história ganha contornos especiais. Os velhos pais descansam em paz, com o dever cumprido. Os seus dois filhos restantes, Gracinha e Raimundinho, precisam da mão que acalenta, afaga e representa proteção.
Os irmãos morrem de medo, porque do quinteto dois se foram e cá na ponta Fábio e eu estamos cada dia mais desamparados, mortos de saudade de Zito e Neném, dos quais não nos bastam mais os espíritos. Queremos que voltem com as mesmas piadas, os mesmos defeitos e as mesmas qualidades.
Que Raimundo Tubaca volte tomando seus homéricos fogos de Ron Merino e enchendo o saco da gente com aquela sua paixão pelo Galo que o fez sair de cuecas pela Cristovão Colombo quando seu time ganhou da Seleção campeã do mundo em 70. E que garantia, com a sabedoria dos que tudo sabem, que as mulheres dos cronistas esportivos todas davam. Claro, que davam, pros seus maridos.
AINDA BEM QUE NOS RESTA VOCÊ

A ressurreição que os céticos duvidam, Deus materializou. A Mão protetora, a Avó preocupada, a Tia interessada, a Irmã que estende a mão, a prima, a amiga, como exatamente era sua saudosa mãe Geralda. Só que, pra nossa felicidade, você chega aos 87, com carinha e disposição dos 35 daquela senhora chorona que o velhinho encontrou na estrada da vida.
E como precisamos que esses anos não corram! Eu combinei com o homem lá de cima, que subo apenas depois dos 150 anos. Com isso, meus filhos, meus sobrinhos e minhas netas, subirão mais tarde ainda. O Fábio Paceli e sua gang subirão depois que ele fizer 154 anos.
E Você terá de ir até os 190 pra que não nos falte o gás que nos anima; o ar que nos faz respirar vida e a presença que nos faz acreditar no AMOR.
Todos aqui, não te amamos. Nós te veneramos – como dizem minhas netinhas.
BEIJOS, MIL BEIJOS E TODA A SAÚDE DO MUNDO.  Querida Dodora.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Escolha a melhor forma de se identificar em Comentar como: Depois pitaque à vontade.