quarta-feira, 19 de dezembro de 2018

EVOCAÇÃO AO TEU ESPÍRITO

  
SONHO QUASE REALIZADO

Pensei que viesses comigo.
quanto anos, sonhamos  conhecer Costa Rica.
O sonho crescia e só não se realizou
devido a tua partida, subiu à estratosfera.
Mudou de planeta.
Porém, em meus desejos,
imaginei teu espírito em minha companhia.
O corpo, claro, já o aceitara terminado, irrecuperável.
Mas a alma, o espírito, não. Aceito que estão aqui
 - ou um ou outro. E o que está comigo. me protege.

Rezo por ti nas minhas poucas viagens
pra que me dê proteção.
É a única  Alma que não deixei de acreditar.
Por mais que te evoque, como nas noites frias de San José, não há resposta.
Nem consigo sonhar contigo.
Minha fé expulsa os maus espíritos,
limpa os meus pensamentos,
e meu coração das maldades
que tentam arrastar-me aos pesadelos,
talvez porque não acorde.
O inconsciente produz os sonhos bons
que não nos despertam.
E nem nos deixa lembrar deles no dia seguinte.
Talvez passe por eles, vivam comigo 
por ser  sonho bom, não me lembro nada no dia seguinte.
Mas queria me lembrar,  sentir -te nos meus sonhos
e tê-la o dia todo junto de mim.
Realizando juntos, os sonhos que tivemos durante anos.
Costa Rica está aqui, a gente queria assim.
Ouço chamados estranhos de meu nome.
Não reconheço a voz. É de homem ou de mulher.
É tão rápido. Procuro e não vejo ninguém.
São tantas vezes, de dia,de noite.
Penso que estar amalucado, 
pois nem acredito mais na força dos espíritos.
Tive  fase de estudos e evocações. 
Nada ocorreu e desisti de entrar neste mundo,
ainda que sinta ser o único caminho
a levar-me a ti, ou trazer-te até a mim.
Acreditei forte no primeiro ano. 
Acreditei na força do amor.
 Foram esperanças tolas.
O amor existe, mas a transcendência é irreal.
Perdi tempo com leitura mal fundamentada
Todavia  agora acredito que tua alma esteja por aqui,
descansando do amor cansado que o destino houve por mal entregar-nos. Triste assim...

Sabor tropical é o nome do trio que curto ao vivo no restaurante Hanoy em Havana Vieja, por coincidência na Calle Brasil.
No prato, degustei  lagosta como gosto e com teu tempero . Foi o condimento que exigi do destino naquele momento.
Dois daiquiris antes, também lheno de tua magia, porque típica do Caribe.
Consegui, enfim, encontrar a reencarnação.
Tu estás aqui como  nos momentos pelos quais passamos em lugares diferentes, comidas e bebidas diferentes.
Talvez Itaúna, no boteco em frente ao hotel:  prato cheio de bagres bem temperados e brahmas geladas.
Ouço vozes que me chamam. Reconheço a tua gostosa risada, a moça do trio requebra no ritmo caribenho. Que nem Tu.
Sinto que um furacão haverá de passar por Cuba nesse verão, encantador.
A semear paixões pelo mar que arrebenta nos paredões do Malecom. Assim é que ressurges, gloriosa e bela, Cecéu.
Até o dia do nosso reencontro, no céu;
como Deus quiser; e Ele quer.
Beijos do teu Zão (FIM)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Escolha a melhor forma de se identificar em Comentar como: Depois pitaque à vontade.