sábado, 22 de dezembro de 2018

FALTA DE MULHER PODE IMPEDIR CRUZEIRO, PALMEIRAS E SÃO PAULO DE JOGAR NA LIBERTADORES 2019


Palmeiras, São Paulo e Cruzeiro ameaçados de não disputarem a Libertadores

Conforme destaco sempre, nesse período sem jogos, as especulações avançam com força total. Só que eu imaginava fossem elas ficar somente no mercado das contratações e vendas de atletas. Mas este ano a coisa extrapolou e chegou ao cume das inverdades, tudo porque algum comentarista ou repórter chutador tira voraz coelho da cartola, como este caso de que o Palmeiras, campeão brasileiro de 2018; o Cruzeiro, vencedor da Copa do Brasil, e o São Paulo, classificado pelo Campeonato Brasileiro, serão impedidos de disputar a Libertadores porque não têm times de futebol feminino, conforme exigência da Conmebol e da CBF.
São pendências fáceis de serem solucionadas desde que se associem a alguma agremiação que tenha e pratique este tipo de competição. Caso esta imbecilidade se realize, imagino como ficarão estes três clubes perante a opinião pública e, principalmente, de suas torcidas. Pense bem: o seu time se planeja durante o ano todo, faz ótima campanha, ganha título e não pode disputar a principal competição continental do ano seguinte. Isso é uma possibilidade concreta no caminho de Palmeiras, Cruzeiro e São Paulo.
Em 2016, a Conmebol divulgou seu novo estatuto e regulamento. O documento adéqua a entidade com o artigo 23 do estatuto da FIFA, que obriga às confederações ter medidas de governança. “O solicitante (à licença) deverá ter uma primeira equipe feminina ou associar-se a clube que possua o mesmo. Além do mais, deverá ter pelo menos uma categoria juvenil feminina ou associar-se a clube que possua.
Em ambos os casos, o solicitante deverá prover de suporte técnico e todo o equipamento e infraestrutura (campo de jogo para a disputa de jogos e treinos) necessária para o desenvolvimento de ambas as equipes em condições adequadas. Finalmente, se exige que ambos os times participem de competições nacionais e regionais autorizadas pela respectiva associação membro, prevê o regulamento a todas as equipes que pleiteiam obter a licença para competições da Conmebol.
As equipes tiveram as temporadas de 2017 e 2018 para se adaptarem a esta exigência. Até agora, Cruzeiro, Palmeiras e São Paulo são os clubes brasileiros que não cumprem tal determinação. Não poderão disputar a Libertadores até regularizarem isso.
Situação de cada clube
Palmeiras – o presidente Galiotte deu entrevista sobre o assunto em agosto; afirmou o clube trabalhava as possibilidades. Leila Pereira, presidente da Crefisa, disse que o verba de sua empresa no Palmeiras é o clube decide como usá-la, mas nunca conversou sobre isso com Galiotte.
Cruzeiro – tem interesse em estipular parceria com algum time já existente no futebol feminino. Nada concretizado ainda.
São Paulo – pretende montar equipe própria de futebol feminino profissional. Realizou uma peneira com 400 jogadoras. Já tem time sub-17, bicampeão paulista.
Além deles, Bahia, Botafogo e Fluminense, que estão classificados para a Sul-Americana, não têm times femininos. Também não poderão disputar a competição se não se adequarem.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Escolha a melhor forma de se identificar em Comentar como: Depois pitaque à vontade.