segunda-feira, 4 de fevereiro de 2019

A AGRESSÃO MEDIÁTICA DE VITÓRIO MEDIOLI

CRUZEIRO VENCEU O LEÃO DE NOVA LIMA COMO TIME GRANDE E O VILLA PERDEU COM DIGNIDADE. TÁ BOM OU QUER MAIS,GROSSA ESTRUTURA MEDIÁTICA DO ITALIANO MEDIOLI?

Irritaram-me as críticas sem fundamento e de profundo desconhecimento dos  analistas que infestam novos jornais e emissoras de rádio, principalmente as que têm chancela do Senhor Vitório Medioli, prefeito de Betim. Ele montou sua organização mediática por causa da campanha difamatória que sofreu dos Diários Associados e, especialmente, do Estado de Minas.

Quando deixou de ser mais vitrine e tornou-se atiradeira, Medioli resolveu botar lenha na fogueira em todas as áreas, mais especificamente na Política e no Esporte. Juntou-se, então com Zezé Perrela, então presidente do Cruzeiro e depois Senador.

Medioli foi deputado, fundou o partido verde, e acabou na estrada das eleições para a Prefeitura de Betim. Coitados dos betinenses!!!

Seu jornaleco de Betim, O Tempo, virou estadual e com arrogância de nacional. Inventou um outro pasquim de R$0,25 - hoje ao preço de CR$ 0,50 - que só noticias mortes, escândalos, tráficos, assaltos, sem informar quando, como e onde, mais arroga-se que é o mais vendido no Brasil. Conversa de arrogantes italianos. Como sou descendente de Molinari, fico de queixo caído com as besteiras do senhor Medioli.

Atualmente, como rompeu relações com o deputado Marcelo Aro, seu ex-companheiro de partido e de política que resolveu não ser, também, seu súdito, Medioli decidiu perseguir a família Aro. Começou com o pai de Marcelo, José Guilherme (Lito) eleito deputado estadual e com o filho deste e irmão de Marcelo, Adriano Aro escolhido por aclamação presidente da Federação Mineira de Futebol.

Não vou afirmar que toda organização mediática de Medioli é uma porcaria, porque tem profissionais excelentes como Roberto Abras, colunista nos jornais e repórter na rádio; Artur Morais, idem, idem; Wilson José, com uma página semanal em o Tempo sobre a história do futebol; Chico Maia, um dos maiores nomes do colunismo esportivo do País; os narradores com os quais tive participação na história profissional de cada um deles.

Outra coisa, os jornais precisam urgente de bons revisores que eliminem seus grotescos erros de português.

É preciso que se alerte à comunidade mineira, incluindo a betinense, que o objetivo do Italiano dono da Sada é voo  alto, bem alto, até aonde seja-lhe permitido pela cidadania estrangeira. Certa vez, quando escrevia uma coluna para estes jornais fui censurado por Teodomiro Braga, súdito de Medioli, porque criticava pesadamente o ex-presidente do Cruzeiro, Zezé Perrela. Medioli mandou Teodomiro me informar que meu contrato não seria renovado.

Tudo bem, o dono é ele. Mas fiquei inteirado depois do verdadeiro motivo: a Sempre de Medioli negociava com Perrela para montar a equipe de vôlei, Sada Cruzeiro. Como não gosto de mentiras sujas, na época, lhe mandei uma carta atrevida que ele respondeu nos mesmos termos.

TRINCHEIRA: Medioli e eu,  neto do Juca Molinari, temos o mesmo sangue italiano. Somos pau-pereira puro....

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Escolha a melhor forma de se identificar em Comentar como: Depois pitaque à vontade.