sexta-feira, 1 de fevereiro de 2019

TIME DE ESTRELAS DE MANO NÃO JOGOU NADA EM VARGINHA

BOA ESPORTE PAROU A MÁQUINA AZUL DE MANO, EMPATOU EM 2 A 2, E ESTEVE MAIS PERTO DA VITÓRIA EM VARGINHA

 

Ao fazer 1 a 0, gol de Robinho na cobrança de falta à entrada da área, aos 28m do primeiro tempo, o Cruzeiro deu a impressão que derrotaria o Boa Esporte, no Melão, em Varginha, sem problema. Ledo engano! Venceu só no primeiro tempo, e sem jogar bem; foi, também, encarado pelos locais sempre rondando a meta do goleiro Fábio.

Logo no início do segundo tempo, aos 9m, o Boa não precisou de rondar mais a meta de Fábio. O atacante Gustavo Henrique soltou uma pedrada de fora da área, no ângulo do goleiro azul e estabeleceu a verdade da partida: o merecido empate do BEC. 

Balançou os alicerces da equipe de Mano Meneses que não levava a partida a sério. No meio-campo de Henrique, Lucas Silva, Robinho e Thiago Neves tinha apenas Lucas Silva se esforçava. Os demais eram enfeites.

No ataque, Marquinhos Gabriel ia bem pelo lado direito e Fred assustava os zagueiros. Foi dele o segundo gol cruzeirense, numa jogada iniciada por Edilson, que levantou para a área; Thiago Neves escorou de cabeça e fez assistência para Fred matar no peito e mandar para as redes. Aos 18m, Cruzeiro 2 a 1.

Só que o adversário estava vivo no jogo e não se abateu: aos 30m, novo empate, em outro chutaço da entrada da área, feito por Gabriel Vieira. Fábio esticou-se todo, mas não desviou a bola. Boa Esporte 2 x 2 .

Aos 33m, o zagueiro Murilo, inexperiente, levou cartão vermelho, pois tinha sido amarelado no primeiro tempo, tolamente. Repetiu a besteira de Dedé no clássico e deixou o time apavorado. Mano tentou corrigir: tirou Thiago Neves, que não jogava nada  e colocou o zagueiro Fabrício Bruno. Logo depois, outra substituição, sai Fred e entra Renato Kayzer.

Duas mexidas equivocadas. No caso de Murilo, bastava Mano recuar Henrique. Como havia colocado Sassá no lugar de Marquinhos Gabriel, ano pensou em tornar o time mais agressivo com o meia atacante Kayzer e Sassá de centroavante. Deu certo não e o Boa segurou o empate de 2 a 2 até o final.

POLÍCIA DE SÃO PAULO INVESTIGA MORTE DA GINASTA

A Polícia Civil de São Paulo abriu na sexta-feira um inquérito para investigar a morte de Jackelyne Silva. A ginasta de 17 anos morreu na quarta-feira, mas a causa da morte não foi divulgada. Após o pai da atleta do Pinheiros, Marco Silva, abrir um boletim de ocorrência no 32º Distrito Policial registrado como "morte suspeita", o inquérito foi instaurado.

No boletim de ocorrência, o pai de Jack conta que a ginasta sofreu uma queda em casa no dia 12 de janeiro, lesionando a região da lombar. Ela recebeu atendimento médico na Unidade de Pronto Atendimento 26 de Agosto, em Itaquera, na zona leste de São Paulo. As dores levaram Jack à UPA de Itaquera novamente nos dias 13, 14 e 15 de janeiro, quando foi realizada uma tomografia que constatou uma lesão na lombar, sem a necessidade de internação. No dia 16 de janeiro (quarta-feira), a ginasta sentiu fortes dores no peito, foi mais uma vez atendida na UPA de Itaquera, mas sofreu a parada cardiorrespiratória.

O Instituto Médico Legal (IML) tem prazo de 30 dias para publicar o laudo da perícia e estabelecer a causa da morte de Jack Silva. A ginasta de 17 anos foi enterrada na sexta-feira no cemitério da Vila Formosa, em São Paulo. A família da atleta está em luto e no momento não quer se manifestar sobre a investigação.

Jack chegou a defender a seleção brasileira nas categorias de base. Ela entrou na categoria adulta em 2017 e ainda não havia conseguido um espaço na equipe principal do país, mas sonhava chegar à elite nacional.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Escolha a melhor forma de se identificar em Comentar como: Depois pitaque à vontade.